Moacir Júnior adianta que vai precisar de reforços em todos os setores do time. Ouça entrevista na íntegra

Juiz de Fora (MG), 8 de fevereiro de 2012

Em sua apresentação à imprensa, na manhã desta quarta-feira, 8, o novo treinador do Tupi, Moacir Júnior, revelou que já disse aos jogadores que o clube precisará de pelo menos três contratações. Moacir disse que já viu os dois primeiros jogos do Tupi no Campeonato Mineiro – em filmagens feitas pelo clube – e adiantou: “Vamos precisar de pelo menos três reforços, nos três setores da equipe – defesa, meio-campo e ataque.”

  Acesse o banner central do Portal, e veja no Toque TV, os melhores momentos e o vestiário de Tupi 0x1 Nacional de Nova Serrana. É só clicar em “Arquivos Toque TV” e localizar o VT.

  Clique no ícone, ao final do post, para ouvir a íntegra da entrevista coletiva de Moacir Júnior.

O novo técnico foi apresentado pelo presidente Áureo Fortuna – “temos satisfação em repatriar um profissional sério, que sempre acompanhou o Tupi, foi difícil a saída dele do Americano, de Campos, e ele tem autonomia para mexer no que achar necessário no futebol do clube”. Antes,  o dirigente José Roberto Maranhas disse que, em função da necessidade de resultados rápidos no Campeonato Mineiro, “nada como conciliar a qualidade técnica de um profissional com uma pessoa que conhece o clube e todo o ambiente de trabalho”.

O auxiliar técnico de Moacir, Altair Coimbra, também sentou à mesa na coletiva, mas não recebeu perguntas. Altair não esteve com o treinador em sua passagem anterior pelo carijó.

Em sua primeira manifestação, o profissional já descartou o rótulo de salvador da pátria: “Sassá Mutema não existe, a mudança do comportamento da equipe vai depender da mudança de atitude dos atletas”. Ele confirmou que desde a sua saída, em fevereiro de 2008, numa passagem definida por ele como “feliz e marcante”, mantinha contatos permanentes e amizade com os dirigentes, imprensa e pessoas ligadas ao clube. “Existe uma identidade”.

Outra preocupação do técnico foi mostrar que ficou chateado com a forma como repercutiu sua saída do clube, em 2008. Na oportunidade, ele deu uma entrevista à tarde, garantindo que não deixaria o Tupi até o final do Campeonato Mineiro, e naquele mesmo dia, à noite, informou a diretoria sua transferência para o Ipatinga. “O que importa é o contrato, e a conduta deste profissional enquanto está a frente do time, respeitando a entidade, isso nunca faltou”. Para tranquilizar os torcedores sobre uma possível nova saída repentina – naquela oportunidade, o Tupi liderava o Estadual  – Moacir informou ter proposto à diretoria um contrato com multa irrisória para o clube, caso o Tupi o dispense, e um valor muito alto caso seja ele, Moacir, a deixar Santa Terezinha.

A participação de Moacir no banco de reservas diante do Cruzeiro, domingo, em Sete Lagoas, ainda não foi confirmada. “Vamos ver até sexta-feira. O auxiliar-técnico Felipe Suriani conhece melhor o elenco que eu, vamos ver como a coisa vai caminhar até sexta-feira para avaliar se ficaremos no banco”.

Embora conheça alguns jogadores do elenco – o ataque do time, quando ele deixou o clube em 2008, era justamente o mesmo de hoje – Allan-Ademilson, Moacir disse que não conhece a maioria do elenco.

Entre outras revelações de destaque do treinador, a referência que foi muito bem recebido em Juiz de Fora, já com comentários sobre o time, “desde o posto de gasolina até as cozinheiras aqui de Santa Terezinha”. Ele disse que nunca perdeu um jogo no comando da equipe no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, e considera que o elenco deve ter consciência da necessidade de fazer um bom Campeonato Mineiro para a disputa da Série C, que teve nova fórmula de disputa divulgada, com duas chaves de 10 equipes. “Que o elenco saiba entender a importância de se valorizar para a sequência de trabalho de toda a temporada”.

Leia tambémCBF divulga Diretriz Técnica da Série C

Sobre a chegada de reforços, Moacir não entende que isso possa, por si só, ocasionar a saída de jogadores do atual elenco. “Um reforço pode chegar para uma posição que eu tenha que dispensar alguém. Já  dependendo da posição, podem chegar reforços sem que seja necessária a saída de outros. A diretoria do Tupi nessa parte é tranquila para trabalhar, e vamos fazer isso em conjunto. “É preciso calma e critério, mas por outro lado, como o Campeonato Mineiro é curto, também precisamos, agora, de agilidade.

  Clique no ícone abaixo para ouvir a íntegra da entrevista coletiva de Moacir Júnior, em Santa Terezinha.

Deixe um comentário