Tupi perde por 3 a 0 para Cruzeiro na estreia de Moacir Júnior

Sete Lagoas (MG), 12 de fevereiro de 2012

Um gol de Wellinton Paulista, de cabeça, logo aos 3 minutos do primeiro tempo, definiu o primeiro tempo em Sete Lagoas, encerrado com o placar de 1 a 0 para o Cruzeiro diante do Tupi, pela terceira rodada do Campeonato Mineiro.

Na etapa final, depois de bons momentos do Tupi e um erro da arbitragem, que não assinalou pênalti de Leo sobre Henrique, o Cruzeiro marcou mais duas vezes, ambas com Anselmo Ramon, aos 22 e 24. Final: Cruzeiro 3×0 Tupi.

Primeiro tempo

O gol surgiu de uma falta cometida por Jailton sobre Montillo pela direita de ataque. Roger cobrou na pequena área e Wellinton se antecipou aos zagueiros e ao goleiro Rodrigo.

Depois do gol, o Tupi até conseguiu trocar passes mas não levou o goleiro Fábio a praticar grandes defesas. Aos 8 minutos Henrique deu o primeiro chute carijó a gol. Aos 13, o Cruzeiro deu o troco com Roger, que, cara a cara com o goleiro Rodrigo, chutou em cima do goleiro.

Dois minutos depois, novamente Henrique, improvisado na lateral-esquerda, criou uma boa situação ao tabelar com Michel Cury e receber nas costas da zaga cruzeirense, já dentro da área. A zaga aliviou para escanteio, mas a arbitragem marcou tiro de meta.

Aos 28, George chutou de longe e Fábio segurou sem rebote. Aos 37, Michel Cury tinha a bola dominada, perdeu para Montillo e foi obrigado a cometer falta. pela direita de ataque do Cruzeiro, recebendo cartão amarelo. Aos 39, George proporcionou lance bisonho, chutando de fora da área totalmente sem direção.

Na saída para o vestiário, Moacir Júnior disse que as bolas aéreas sobre a defesa do Tupi estavam “um pandemônio”, mas que a equipe não estava mal na partida.

A TV mostrou imagens de um soco de Wellinton Paulista em Michel Cury. A arbitragem não se manifestou nem puniu o atacante da Raposa.

Antes de o jogo começar, o Diretor de Futebol Dimas Fonseca anunciou sua saída do clube alegando motivos particulares.

Segundo tempo

Com uma postura mais agressiva, o Tupi criou boas oportunidades de empatar no segundo tempo. Aos 4, George cruzou e Ademilson raspou de cabeça, sem conseguir desviar a bola como gostaria. Aos 8, Michel Cury acertou um belo chute de fora da área, Fábio fez grande defesa, a bola bateu no travessão, e no rebote Fábio praticou outra defesaça, em chute de Henrique.

Aos 9, Rodrigo saiu jogando errado, e Wesley teve que cometer falta sobre Montillo, recebendo cartão amarelo. Aos 12, Jailton tentou de fora da área, e Fábio novamente espalmou para escanteio. Na cobrança do córner, Ademilson tenou de calcanhar, a bola desviou na zaga e chegou amortecida para nova defesa do goleiro da Raposa. O Cruzeiro promoveu duas alterações pelo treinador Vágner Mancini. Colocou Walter e Rudinei nas vagas de Wellinton Paulista e Marcelo Oliveira.

Aos 16,  um lance-chave, que matou as pretensões alvinegras na Arena do Jacaré. Henrique, pela esquerda, foi derrubado na área pelo zagueiro Leo. Além de não marcar o pênalti, o árbitro ainda mostrou cartão amarelo para Henrique ao considerar que houve simulação.

Aos 19, Moacir Júnior partiu para o tudo ou nada. Sacou Jailton e lançou Ulisses. Coincidência ou não, depois da alteração o Cruzeiro “matou” o jogo. Aos 22, Rudinei lançou Anselmo Ramon, que livrou-se com facilidade da marcação de Flávio e tocou na saída de Rodrigo: 2 a 0. Logo depois do gol, o “cochilo” no lance fez Flávio ser sacado do time, para a entrada de Carlão, sendo Henrique deslocado para a lateral direita, sua posição de origem. Dois minutos depois, jogada pela direita e bola na área carijó. Outro “pandemônio”: gol de Anselmo Ramon, desta vez de cabeça.

O jogo ficou aberto. As duas equipes encontravam espaços para atacar. Michel Cury e Ulisses tiveram novas chances de diminuir. O Cruzeiro ainda lançou Wallyson na vaga de Anselmo Ramon e o Tupi sacou Salino para colocar Paulinho, mas o placar não se alterou.

“São muitas falhas, três jogos sem gol é muito preocupante, precisamos de reforços, talvez repatriar jogadores mais identificados com o clube.  A diretoria já está trabalhando, falta muito conteúdo. Atitude teve até só o segundo gol, depois não gostamos nada do que vimos. Agora é ter a cabeça no lugar. Não vamos descansar enquanto o Tupi não melhorar essa posição decepcionante na tabela”, analisou Moacir Júnior após a partida.

Sobre o resultado, Moacir acredita que pelo menos o empate poderia ser alcançado pelas oportunidades criadas. O lance do pênalti foi minimizado: “Não tem que transferir a responsabilidade para a arbitragem. Precisamos melhorar muito. Não vai ter carnaval, temos que trabalhar e impregnar a cabeça dos atletas. O emocional é ruim, três resultados negativos…”. O técnico já aproveitou para convocar o torcedor para o próximo desafio, somente no dia 25, em Juiz de Fora, diante do Uberaba.

“Minha preocupação hoje é manter o Tupi na primeira divisão, não adianta esconder essa realidade”, alertou. São 12 dias até a próxima partida. “Terça-feira vem um pessoal de São Paulo para uma análise completa do elenco, e talvez até alguns reforços já cheguem também no início da semana”.

Nomes de reforços? Moacir citou Marcel, Adalberto, Fernando e Caetano, sem entrar em detalhes. E voltou a usar o termo “repatriar” para buscar soluções diante do péssimo início na competição.

Cruzeiro: Fábio, Marcos, Léo, Vitorino e Diego Renan; Leandro Guerreiro, Marcelo Oliveira (Rudinei), Roger e Montillo: Wellington Paulista (Walter) e Anselmo Ramon (Wallyson); Tupi (que estreia o treinador Moacir Júnior): Rodrigo, Flávio (Carlão), Wesley Ladeira, Fabrício Soares e Henrique; Jailton (Ulisses), Léo Salino (Paulinho), George e Michel Cury, Allan e Ademilson.

Árbitro: Adriano Alves de Oliveira (FMF), auxiliado por Marcus Vinícius Gomes (CBF/FMF) e Mauro Antônio Ferreira Santos (FMF).

Público: 1.923 pagantes
Renda: R$ 33.540,25

Também neste domingo à tarde, o Villa Nova venceu de virada o América de Teófilo Otoni (2 a 1) em Nova Lima e o Uberaba goleou o Democrata de Governador Valadares por 5 a 0. Mais cedo, Boa Esporte e  Guarani, de Divinópolis, empataram em 0 a 0, em Varginha.

Foto: Washington Alves/Vipcomm

[wpfootball id_league=5 id_template=2]

Este post tem um comentário

  1. AILTON NASSER - SP

    O Moacir Junior começou mal. Fez uma substitução ridícula. Abriu o time com a colocação do fraco Ulisses no lugar do volante marcador Jailton aos 19 do segundo tempo. Esqueceram de avisá-lo que o adversário era o Cruzeiro e não o Democrata e que o técnico adversário acabara de colocar um atacante finalizador e um volante com gás novo para ir com tudo para cima do galo.Se o Jailton estava cansado, bastava colocar o Paulinho no lugar. E isso com dois caras “pedindo”para sair: Léo Salino e o Allan.
    Que saudade do professor Ricardo.
    OUTRA COISA: Mais uma vez roubaram o Tupi contra os times da Capital. Se ele marca o pênalti em cima do Herinque, a história do jogo seria outra. A Federação precisava reabilitar o Cruzeiro em campo ou fora dele.
    ASSIM FICA DIFÍCIL. VAMOS LUTAR PARA NÃO CAIR.

Deixe seu comentário