Exclusivo! Romário parabeniza a torcida do Tupi: “Foi bastante digna essa conquista”

Juiz de Fora (MG), 27 de novembro de 2011

O blog Toque de Bola não para. Desta vez, foi ao encontro de Romário. Um dos maiores atacantes do futebol brasileiro e mundial de todos os tempos, hoje deputado federal, veio prestigiar evento da ALAE (Associação de Livre Apoio ao Excepcional) no Morro do Cristo e parabenizou a torcida do Tupi pela conquista do título brasileiro da Série D. E mais: o Baixinho autografou a camisa alvinegra que será sorteada pelo blog Toque de Bola, que está recebendo torpedos e e-mails com a frase “Sou Tupi” pelo telefone 32 9912-2329 e pelo campo de contato do blog. Além da frase “Sou Tupi”, a pessoa deve identificar o nome e a cidade de onde está enviando (o torpedo ou o e-mail).

Durante o evento da ALAE, Romário foi bastante solícito com todos. Disse que nos últimos sete anos conheceu “um mundo melhor” no convívio com a filha Ivy, que tem Síndrome de Down. O ídolo recebeu diversas manifestações de carinho dos portadores em todo o tempo que permaneceu no evento, e retribuiu. “Chamo essas pessoas de anjos, e eu tenho a sorte de ter um anjinho desse em casa, se todos conhecessem o mundo deles o nosso outro mundo seria bem melhor”. E destacou que em sua atuação no Congresso espera estar correspondendo, principalmente na questão das pessoas que têm algum tipo de deficiência. “O que não pude contribuir como ídolo agora acho que tenho condições como ídolo e deputado”, afirmou, citando que houve conquistas importantes sobre a questão.

A íntegra da entrevista com Romário (sobre Tupi, Copa do Mundo no Brasil e atuação na Câmara Federal) foi exibida nesta sexta-feira, 25, às 10h, no Toque TV, o canal de TV exclusivo do Toque de Bola. Outros horários de veiculação da entrevista do Baixinho em nosso Toque TV: sexta-feira, dia 25: 19h e 21h; neste sábado e domingo, nos mesmos horários: 10h, 15h, 18h e 21h.

Veja fotos: Romário em Juiz de Fora

 

 

  Duas vezes “quase” jogador do Tupi

Você sabia que Romário foi duas vezes “quase” jogador do clube de Santa Terezinha? Em 2006, ele chegou a participar de um treino com a camisa da equipe no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio. Ele jogaria por alguns meses em Juiz de Fora, mas na época a transferência não teria sido autorizada pela Fifa, pelo fato de o craque já ter atingido o limite de equipes permitido numa só temporada.

Mas na década de 80, quando Romário despontou na categoria júnior do Vasco, integrantes da Comissão Técnica do Tupi tiveram a oportunidade de trazê-lo para um período de empréstimo. Treinador Augusto Clemente, supervisor Danilo Batista e preparador físico Beto Nunes, na época profissionais do Tupi, estiveram em São Januário observando possíveis reforços, mas Romário não teve o empréstimo confirmado porque, segundo consta, na época o então presidente carijó, empresário Maurício Baptista de Oliveira, já falecido, não gostava de atacantes de baixa estatura.

O blog vai voltar a este tema, em breve, recuperando este capítulo do centenário alvinegro.

  Leia as principais declarações de Romário (a íntegra da entrevista está no nosso canal de TV, o Toque TV)

“Quero parabenizar o Tupi, os torcedores, tive o prazer e a honra de quase ter vestido a camisa do Tupi num jogo oficial, mas na época não fui liberado pela Fifa. O Tupi sempre foi tradicional, é a primeira vez que tem um título nacional, tem que ser respeitado. Hoje o Tupi é visto como um time diferente de antes. Eu já tive a oportunidade de vir a Juiz de Fora no Estádio Municipal e no estádio do Tupi, já participei de jogos, de treinamentos, como jogador, como dirigente do América (RJ).”

“Mesmo não tendo jogado pelo Tupi, tenho uma história com a cidade, muito carinho por Juiz de Fora, é com certeza a cidade fora do Rio de Janeiro onde eu mais tive a oportunidade de estar e fico feliz por essa conquista brilhante do Tupi, espero que daqui para a frente as pessoas possam enxergar que o time pode ser grande no estado, como um Cruzeiro ou Atlético. É só as pessoas serem profissionais, e investirem certo, eu tenho certeza que o Tupi com esse título vai daqui para a frente chegar muito longe.

Perguntamos a ele sobre a época em que, na década de 80, ele, então  júnior do Vasco, quase veio para o Tupi.

“Quem me lembrou isso foi o Júlio Delgado, companheiro de partido”

Como foi a participação como comentarista nos Jogos Pan-Americanos pela TV Record?

Já tive em 98, na Copa do Mundo, mas foi diferente. Em 98, tinha voltado da França mas não estava no local dos jogos. Desta vez foi bem interessante, estava lá no local da competição. Gostei bastante, e posso pensar em profissão depois desses três anos que tenho como deputado federal.

Copa do Mundo no Brasil: atrasos, preocupação com andamento e gerenciamento das obras. Qual é a situação hoje, sendo o senhor um dos parlamentares da Comissão da Lei Geral da Copa no Congresso Nacional?

A Copa do Mundo vai ter. Infelizmente não será a maior Copa de todos os tempos, como eu mesmo falei quando recebemos a notícia que o País seria a sede do Mundial. Temos muitos problemas de mobilidade urbana. Nas 12 capitais, problemas seriíssimos. Acredito que 50% destas sedes não estarão prontas para servir ao turista. Infelizmente terá que ser dado aquele jeitinho brasileiro, em algumas capitais será decretado feriado. Pode até vir a ser uma alternativa mas eu sou meio contra isso, acho que o Brasil teve, e ainda tem, tempo suficiente para fazer aquilo que ainda não fez, colocar em dia o que está atrasado. Dos 12 estádios que visitei, no mínimo oito deverão ficar prontos, e os aeroportos a gente vê no nosso dia a dia, quando há um feriado ou próximo dele, é um caos em quase todas as cidades. Se não melhorar, se as obras não avançarem, se as licitações não saírem para resolver problemas dos aeroportos, nós vamos ter muitos problemas. Mas repito: a Copa vai ter, não vai ser a Copa do brasileiro, o preço do ingresso é muito caro, a FIFA veio com o objetivo de estar acima da nossa soberania, e alguns não entenderam isso – quando eu digo isso quero dizer alguns políticos – a gente não pode deixar acontecer. Não só como brasileiro mas como deputado federal tenho lutado bastante, brigado para que a Copa seja no Brasil mas seja do Brasileiro, eu digo principalmente o brasileiro das classes C, D e E, aqueles que gostam do estádio e vibram com o futebol.

A sua atuação como deputado tem superado as suas próprias expectativas?

Quando decidi me candidatar, tinha pleno conhecimento das dificuldades que eu iria encontrar, do que seria para mim, ainda posso dizer que sou totalmente inexperiente na política, mas com a ajuda de alguns colegas da casa, da assessoria minha e da liderança do meu partido posso dizer que tenho feito um trabalho que eu sou feliz, e tenho deixado muitas pessoas felizes. O mais importante é que não tenho decepcionado nem um pouco aquelas quase 150 mil pessoas que acreitaram e vitaram em mim. Hoje as pessoas não me veem apenas como mais uma celebridade na política, já sou uma pessoa respeitada por muitos como um político e fico feliz por isso.

Mensagem final ao torcedor do Tupi:

Parabenizo a todos os desportistas da cidade, dizer que o esporte é uma coisa maravilhosa, brilhante para a qualidade de vida de todos nós. Deixo mensagem especial aos torcedores do Tupi, que sofreram durante muitos anos para ver o clube chegar aonde chegou, ter o primeiro título nacional, e conquistado contra um adversário tradicional do futebol brasileiro, Santa Cruz, venceu aqui por 1 a 0, lá 2 a 0. Foi bastante digna essa conquista, e a gente só espera que não só os patrocinadores como a Prefeitura e as pessoas que ajudam o Tupi sejam profissionais, continuem ajudando, e a tendência é ver o Tupi daqui a três, quatro anos, na Série A. Parabéns e boa sorte a todos.

 Foto: Rogério Caetano

Deixe seu comentário