Dudu Monsanto lança livro do Fla campeão mundial

Juiz de Fora (MG), 18 de novembro de 2011

Com a presença numerosa de jornalistas e torcedores rubro-negros, não necessariamente nesta ordem, foi lançado com grande sucesso, nesta sexta, 18, o primeiro livro do jornalista juiz-forano Dudu Monsanto (ESPN Brasil), “1981 – O Ano Rubro-Negro”, na livraria Saraiva Megastore do Shopping Independência.

“Eu conto a história do maior time que o Flamengo já teve, o que conquistou o mundial de 1981 com Zico e cia. Entrevistei todos os titulares daquele time, treinador, dirigentes, torcedores, jornalistas, etc. Tem várias fotos raras, fac-símiles, estatísticas e um monte de histórias de bastidores. Foi uma delícia de fazer, acho que vocês também vão curtir.”

Brincadeiras

O ambiente na fila foi de muita descontração. Os rubro-negros folheavam as páginas ansiosos, à espera da dedicatória de Dudu. Os não rubro-negros garantiam que estavam fazendo aquilo “pelo amigo”. Na verdade, Dudu Monsanto teve uma noite de reconhecimento na cidade em que se formou (UFJF). Com a serenidade habitual, Dudu, que atuou na Rádio Solar e na TV Panorama antes de vestir a camisa da ESPN, dedicou atenção a cada um da fila, agradecendo muito pela presença.

Alguns momentos chamaram a atenção, como no momento em que o jornalista e professor da UFJF, Márcio Guerra, foi abraçá-lo. Dudu abriu justamente a página que destacava os 6 a 0 do Flamengo sobre o Botafogo, para provocar o amigo. Entre os jornalistas presentes, Renato Henrique Dias, Paulo César Magella, Geraldo Muanis, Kátia Dias, Wendel Guiducci, Wallace Mattos, Juliana Duarte, Chico Brinatti, Ivan Costa,  Ricardo Wagner, Henrique Fernandes e Lucimar Brasil. Alguns que não puderam participar estavam bem representados, como Bruno Sakauê, ex-companheiro de Monsanto na TV, representado pelo pai.

O presidente do Tupi, Áureo Fortuna, também fez questão de entrar na fila para receber a dedicatória. Em diversos momentos, no microfone da ESPN ou nas redes sociais, Dudu Monsanto demonstra entusiasmo e orgulho com o bom momento vivido pelo futebol carijó.

O livro

No próximo dia 13 de dezembro, a maior conquista da história do Flamengo completa 30 anos: o título mundial de clubes de 1981. A final contra o Liverpool, campeão europeu, foi disputada em Tóquio, e os japoneses acompanharam uma exibição sublime dos rubro-negros. O placar de 3×0 foi construído em apenas 41 minutos, e o time brasileiro virou sinônimo de futebol-arte, arrancando aplausos até das torcidas adversárias.

A escalação, com Raul, Leandro, Marinho, Mozer e Júnior; Andrade, Adílio e Zico; Tita, Nunes e Lico se tornou um mantra entre os rubro-negros. Nenhum time dava tantas alegrias a seus torcedores, que comemoraram três voltas olímpicas (Taça Libertadores, Campeonato Carioca e Mundial de Clubes) num intervalo de apenas 21 dias. A temporada quase perfeita fez de 1981 um ano mágico para o Flamengo. Três décadas mais tarde, o jornalista Eduardo Monsanto mergulhou na história daquele time inesquecível, e o resultado é “1981 – O Ano Rubro-Negro”, editado pela Panda Books.

O livro parte de 1976, ano da chegada do treinador Cláudio Coutinho ao clube e acompanha a evolução do time até 1981. Após duas temporadas marcadas por derrotas nos pênaltis para o Vasco (1976 e 77), o Flamengo conquistou a hegemonia do futebol carioca sendo tricampeão estadual (78/79/79 especial). O próximo passo foi o primeiro título nacional em 1980, e depois vieram a Libertadores vencida em 1981 e a chegada ao topo do mundo no mesmo ano, feito que até hoje nenhum outro clube carioca repetiu.

O livro traz depoimentos de Adílio, Andrade, Anselmo, Antônio Augusto Dunshee de Abranches, Antônio Maria Filho, Baroninho, Bruno Caritato, Cláudio Cruz, Dino Sani, Eduardo Mota, Júnior, Kléber Leite, Leandro, Lico, Marcelo Rezende, Márcio Braga, Marinho, Moraes, Mozer, Nei Dias, Nelsinho Rosa, Nunes, Paulo César Carpegiani, Paulo César Coutinho (Cascão), Peu, Raul, Rondinelli, Tita e Zico.

Orelha escrita por Geneton Moraes Neto; texto de contracapa por Mauro Cezar Pereira.

Mais de 40 fotos históricas.

Réplicas de 15 ingressos históricos, incluindo os da final do Mundial contra o Liverpool e os dos três jogos decisivos da Libertadores contra o Cobreloa.

Esquemas táticos ilustrados mostrando a evolução do time do Flamengo entre 1976 e 1981.

Fichas técnicas de todos os jogos do Flamengo na Libertadores de 1981.

Ilustrações de Lycio Vellozo Ribas para todos os gols do Flamengo na Libertadores de 1981, além de ilustrações dos gols da final do Campeonato Brasileiro de 1980 e do Mundial Interclubes de 1981.

Reproduções de documentos históricos, incluindo cinco páginas da revista oficial do Mundial Interclubes distribuída em Tóquio no dia da partida; primeira carteira de treinador de Cláudio Coutinho no Flamengo; álbuns de figurinhas com o time do Flamengo entre 1976 e 1978; atestado de óbito de Cláudio Coutinho; ofício do então presidente da Fifa João Havelange parabenizando o Flamengo pelo título mundial; e outras raridades.

Deixe um comentário