Tupi segura Cruzeiro em noite de Rodrigo e sobe para o G-4

Com grande atuação do goleiro Rodrigo (foto), o Tupi empatou com o Cruzeiro em 0 a 0 nesta quarta, 9, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora. O Cruzeiro desperdiçou um pênalti aos 40 minutos do primeiro tempo com Montillo, que acertou o travessão. O craque argentino, contundido, não voltou para o segundo tempo. Com o resultado, o Tupi subiu para a quarta colocação do Estadual, com nove pontos, e o Cruzeiro desperdiçou a chance de alcançar a liderança.
Se não teve gols, a partida foi bastante movimentada e com diversas oportunidades de gol. O Cruzeiro chegou mais perto, mas o Tupi também fez Fábio trabalhar, como num belíssimo chute de Marcel.
O torcedor, que reclamou bastante, desde o atraso na abertura dos portões (anunciado para 19h30, abriu às 19h45) até a demora, provocada pela exigência de comprovante na meia-entrada, como no caso de estudantes, de certa forma foi recompensado pelo futebol bem disputado, embora nada justifique os problemas extra-campo.
Com transmissão da partida inclusive para Juiz de Fora pela TV Panorama e o horário (21h45), o apelo de público, ainda numa quarta-feira de cinzas, era menor. E quem se dispôs a largar a poltrona não foi lá muito bem recebido. Uma triste sina do torcedor juiz-forano (que, infelizmente, não é “privilégio” nosso).
Aos 4 minutos, o primeiro sinal de que a noite seria dos goleiros, principalmente Rodrigo. Em grande jogada de Montillo pela direita, o goleiro cortou o cruzamento cheio de efeito na pequena área. Mais dois minutos, Paulo Roberto escorregou a Thiago Ribeiro chutou, a bola desviou na zaga e foi aa escanteio. Aos 9, Henrique, convocado para a seleção brasileira, fez grande jogada pela esquerda e rolou para Montillo que bateu fraco. Nova defesa do camisa 1.
O time celeste seguiu atacando. Aos 12, o argentino dominou, avançou e bateu, pela esquerda, da entrada da área, acertando o travessão. O Tupi, jogando desde o início com muita determinação e tentando conter as principais armas do Cruzeiro, respondeu aos 21. A defesa se atrapalhou e proporcionou a Marcel, que completava 50 jogos pelo carijó, invadir a área pela direita e mandar um foguete, que Fábio espalmou de forma espetacular para escanteio.
Rodrigo voltou a ser acionado aos 22 e 24 em conclusões de Wallyson e Thiago Ribeiro. Aos 25, novo sinal de vida em ações ofensivas do Tupi. Sem muitas opções para trocar passes, o lateral-direito Felipe Cordeiro driblou dois adversários e resolveu bater da entrada da área, em chute cruzado que passou à direita de Fábio.
Aos 40, Wallyson passou o pé sobre a bola, deixou Paulo Roberto para trás, já na área, e foi tocado pelo braço. O árbitro Alício Pena Júnior acompanhava de perto e assinalou a penalidade máxima. Montillo bateu e acertou o travessão. O zero a zero premiava a determinação do Tupi em campo e castigava o grande volume de jogo do adversário.
Na etapa final, um dos maiores motivos de preocupação do time juiz-forano não reapareceu. Montillo, com dores no joelho, foi poupado e deu lugar a mais um atacante, André Dias.
Aos 9, Felipe Cordeiro arriscou de fora da área mas Fábio estava atento e pegou, em dois tempos.
Aos 11 minutos, mais uma demonstração que a noite era mesmo de Rodrigo. O Cruzeiro tramou pela esquerda e Éverton bateu diante do goleiro, que defendeu no puro reflexo. A bola sobrou para a direita de ataque e foi novamente lançada, Wallyson encheu o pé e Paulo Roberto se atirou na bola, evitando, logo em seguida, a abertura do placar.
As equipes fizeram substituições. Cuca lançou o meia Dudu na vaga de Rômulo e ainda tirou o meia Marquinhos Paraná para colocar Ernesto Farias. Mesmo com quatro atacantes azuis na reta final (Wallyson, Thiago Ribeiro, André Dias e Farias), o Tupi resistiu à pressão e ainda encontrou algumas oportunidades em contra-ataques, sem, no entanto, voltar a exigir a presença de Fábio.
Leonardo Condé sacou Claudinho Baiano para a entrada do recém-contratado Evandro Teixeira. Michel Cury deu lugar ao atacante Evandro, e já nos instantes finais o zagueiro Leonardo Devanir, contundido, foi substituído por Wesley Ladeira.
Tupi: Rodrigo; Leo Devanir (Wesley Ladeira), Fabrício Soares e Paulo Roberto; Felipe Cordeiro, Assis, Claudinho Baiano (Evandro Teixeira), Michel Cury (Evandro), Marcel e Michel; Yan. Treinador: Leonardo Condé.
Cruzeiro: Fábio; Rômulo (Dudu), Gil, Vitorino e Éverton; Marquinhos Paraná (Ernesto Farias), Leandro Guerreiro, Henrique e Montillo (André Dias); Wallyson e Thiago Ribeiro. Treinador: Cuca.
Árbitro: Alício Pena Júnior, auxiliado por Guilherme Dias Camilo e Jair Albano Félix.
Renda: R$ 60.880,00
Público pagante: 4.349
Público presente: 5.104.
Cartões amarelos: Leandro Guerreiro, Claudinho Baiano, Assis, Yan, Paulo Roberto, Rômulo, Vitorino e Thiago Ribeiro.
Texto: Ivan Elias
Fotos: Thiago Stephan

[wpfootball id_league=2 id_template=2]

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Este post tem 3 comentários

  1. Eduardo Kaehler

    Orgulho em ser carijó. Rodrigo é o melhor goleiro que vi no Tupi, felizmente nos ajuda sempre!

  2. Otávio Botti

    Rodrigo tem tudo para chegar a seleção brasileira… infelizmente não ficará muito tempo no galo mas tem um belo futuro

  3. Nel

    Apoiar, nossa tradição em apoiar e reconhecer o trabalho dos nossos goleiros é importante, dá resultados, como este. Rodrigo e sua capacidade invejável de saber como ser um profissional!

Deixe seu comentário