Estadual Júnior: Tupi bate o Progresso de virada por 2 a 1

Juiz de Fora (MG), 26 de março de 2011

  O time júnior do Tupi derrotou o Progresso, de Cachoeira do Campo, por 2 a 1, de virada, neste sábado, 26, em Santa Terezinha, pela segunda rodada do Campeonato Mineiro da categoria. Neto e Michel marcaram para o carijó, que teve dois expulsos, Luan e Maguinho. Eles não enfrentam o Sport, no próximo sábado, 2 , na preliminar de Tupi x América, pelo Campeonato Mineiro, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio. Sport e Tupi estão na liderança da chave, com diferença de um gol a mais para o Sport, que derrotou o Tupynambás por 3 a 0, também neste sábado, 26, em Juiz de Fora.

  O Tupi não começou bem a partida. O Progresso, sim, mostrava bom toque de bola e não se intimidava por atuar fora de casa. Com personalidade, marcou logo aos 5 minutos, em sua primeira jogada mais perigosa. Igor dominou no peito, escorando para Bruuno Negrini. O camisa 10 invadiu a área e bateu cruzado, sem chances para o goleiro Vítor Hugo, filho do ex-goleiro do Tupi Zé Luiz,  hoje técnico da equipe júnior do Tupynambás. O Tupi aos poucos foi criando oportunidades, mesmo sem atuar bem. O lateral Neto, que acertou a rede pelo lado de fora, e Maguinho, que exigiu bela defesa de Ranule após grande jogada individual, ameaçaram o adversário, que respondeu com uma cabeçada de André Carrara que passou rente à trave, com Vítor Hugo batido no lance. Aos 42, depois de cobrança de escanteio pela direita, com o campo molhado em função da chuva que só veio na etapa inicial, Neto desviou e o goleiro não segurou a bola escorregadia: 1 a 1, placar do primeiro tempo.

 O segundo tempo foi um festival de cartões amarelos e vermelhos. O árbitro parava o jogo a todo instante, marcando as faltas e chamando os atletas, para mostrar cartão ou advertir verbalmente. Luan, do Tupi, e  André Carrara, do Progresso, se estranharam e foram expulsos. O apoiador Maguinho, um dos destaques do time juizforano, recebeu o segundo cartão amarelo e também foi expulso, em lance em que o árbitro foi avisado pelos auxiliares e pelo delegado da partida que o atleta já havia recebido o primeiro amarelo.

  Aos 40, o Tupi roubou uma bola na intermediária e construiu boa jogada pela direita. Após cruzamento da linha de fundo, Michel se antecipou aos zagueiros e empurrou para as redes, garantindo os 100% de aproveitamento carijó na competição – a equipe vinha de uma vitória por 2 a 0 fora de casa, diante do Primeiro de Maio.

  O treinador Jésus Vieira, o Fia, não comemorou muito o resultado. Elogiou o bom futebol do adversário, reconheceu que “no início da partida o Progresso teve muito espaço para trabalhar as jogadas” e atribuiu a reação ao melhor posicionamento de seus jogadores na etapa final. Fia criticou a arbitragem, que, segundo ele, não deixou o jogo correr, e observou que a expulsão de Maguinho só ocorreu porque o árbitro teve que ser informado que era o segundo cartão amarelo. “Perdemos dois jogadores importantes para o clássico contra o Sport, e agora vamos torcer para regularizar os atletas que ainda não puderam estrear”.

  Já antecipando um grande clássico contra a equipe alviverde no próximo sábado, Fia analisou a situação da chave: “O Tupi vai brigar para ficar em primeiro na chave, por isso a vitória contra o Sport é fundamental”.

  O Tupi atuou com Vitor Hugo; Neto (Santiago), Cláudio, Douglas e Gustavo; Luan, Maguinho, Guilherme (Juninho) e Renan; Santana (Tadeu) e Michel. Técnico: Fia. O Progresso, treinado por Edilson Monteiro, começou a partida com Ranule; Jonathan, José Nivaldo, Eduardo e Wellinton; Guilherme, Allan, Italo e Bruno Negrini; Igor e André Carrara. Árbitro: Wanderson Alves de Souza, auxiliado por  Juan Carlos Montez Maia e Helen Aparecida Gonçalves Silva Araújo. 

Texto: Ivan Elias

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário