08 abr 2012

Vasco tem 5 “expulsões retroativas”. Loco e Herrera “funcionam”, Botafogo garantido



O árbitro Wagner dos Santos Rosa não economizou na súmula do polêmico jogo entre Flamengo e Vasco, pela Taça Rio. Após marcar pênalti nos acréscimos do clássico – em jogada que definiu a vitória rubro-negra por 2 a 1 –, o juiz foi cercado por vascaínos, indignados com o lance. Nesta segunda-feira, a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) divulgou o relatório sobre o jogo. Cinco jogadores do Vasco foram expulsos por Rosa por causa da briga: Diego Souza, Fagner, Felipe Bastos, Rodolfo e Eduardo Costa.

De acordo com o árbitro, Rodolfo e Eduardo Costa o ameaçaram durante a confusão após o apito final. Com ofensas, os dois jogadores tentaram transpor a barreira feita pelos policiais que o protegiam. Diego Souza foi expulso por ter tentando acertar o juiz com a bola. A primeira tentativa aconteceu através de um chute. Em seguida, o camisa 10 jogou a bola com a mão.

A dupla Fagner e Felipe Bastos, segundo a súmula assinada por Rosa, invadiu o gramado do Engenhão tentar agredir a equipe de arbitragem. Os dois jogadores, contidos pelos policiais, começou a xingar juiz e bandeirinhas.

Os cinco atletas estão automaticamente suspensos e não irão participar da última partida do Vasco pela Taça Rio. O Grupo B do Estadual ainda está indefinido. Três equipes brigam pela classificação às semifinais. O surpreendente Bangu está na ponta (12 pontos) e tem a companhia do Vasco logo em seguida (11). O Fluminense corre por fora e tem dez pontos.

O Bangu visitará o Resende, enquanto o Vasco irá enfrentar o Nova Iguaçu. O Fluminense fará jogo contra o Olaria torcendo para tropeço de um de seus rivais. Todas as partidas da rodada estão marcadas para o mesmo dia e horário: domingo, às 16h.

Daniel Freitas, diretor de futebol do Vasco, lamentou e informou que o clube pretende acatar a decisão da arbitragem. O departamento jurídico irá se reunir durante o dia para tratar sobre a estratégia de defesa dos cinco jogadores.

“O clube precisa acatar a súmula, já que o juiz é soberano e pode tudo. Isso que o Jorge Rabello falou. Vamos preparar a defesa dos atletas. Infelizmente, é o retrato da arbitragem do Rio de Janeiro”, afirmou.

Fogo já está lá

O Botafogo venceu em casa o Friburguense por 3 a 1 neste domingo em confronto válido pela sétima rodada da Taça Rio do Campeonato Carioca. Com o resultado, o time de General Severiano chegou aos 17 pontos e segue na segunda colocação do grupo A, enquanto o time da região serrana permaneceu com cinco pontos e deu adeus às chances de classificação para as semifinais.

A vitória, mais o empate do Resende – que chegou a 13 pontos e não pode mais ultrapassar o time alvinegro – com o Volta Redonda em 1 a 1, classificaram o Botafogo às semifinais da Taça Rio.

Dos grandes clubes do Rio, Flamengo, 18 pontos, e Botafogo, 17  já estão garantidos no Grupo A para as semifinais, restando a rodada final para indicar quem será o primeiro colocado. No Grupo B, a dupla Vasco e Fluminense ainda depende da rodada final. O Bangu lidera, com 12 pontos, contra 11 do Vasco e 10 do Flu. Volta Redonda e Duque de Caxias, ambos com oito pontos, ainda têm chances matemáticas no mesmo grupo.

Os jogos da rodada final, no domingo, 15, todos às 16h, são:  Flamengo Americano, Nova Iguaçu x Vasco,  Macaé x Volta Redonda, Resende x Bangu, Fluminense x Olaria, Friburguense x Bonsucesso, Duque de Caxias x Madureira e Boavista x Botafogo.

A vitória começou a ser construída pelo uruguaio Loco Abreu, aos 34 minutos do primeiro tempo, aproveitando-se de assistência acidental da defesa do Friburguense. O atacante voltou após desfalcar o time por dois jogos por causa de dores na costelas (nos empates em 1 a 1 contra o Fluminense, no estadual, e no triunfo por 2 a 1 sobre o Guarani, na Copa do Brasil).

Aos 18 minutos do segundo tempo, Abreu, que havia atuado pela última vez na sofrida classificação contra o Treze-PB, pela Copa do Brasil, há três semanas, foi substituído por Herrera e saiu aplaudido. Aos 36 minutos, o próprio Herrera ampliou a vantagem alvinegra, escorando cruzamento de Fellype Gabriel.

Aos 40, aproveitando-se erro da defesa do clube de General Severiano, o Friburguense diminuiu com Douglas. Mas Herrera, novamente, decretou a vitória no minuto seguinte.

O Friburguense ainda teve a chance de abrir o placar quando o jogo estava 0 a 0, por meio de um pênalti inexistente marcado pelo juiz Eduardo Cordeiro Guimarães aos 24 minutos do primeiro tempo, mas o atacante Rômulo cobrou mal e viu Jefferson defender o chute rasteiro. Fora isso, o Botafogo dominou a partida e não deu chances para o rival, que ainda sonhava com a semifinal.

O Botafogo volta a atuar no Carioca no próximo domingo, pela oitava e última rodada da fase de classificação da Taça Rio. O time alvinegro visita o Boavista, enquanto o Friburguense recebe o Bonsucesso.

Oswaldo Oliveira defende grupo das vaias e cita até Pelé

Mesmo com a vitória, o Botafogo não escapou das vaias da torcida. Irritado, o técnico Oswaldo de Oliveira reuniu os atletas no gramado após a partida para mostrar que todos estão unidos.

“Não é reação da torcida, é reação de alguns torcedores. Isso é normal, natural, tem gente que tem preferência por a, b ou c, mas quis mostrar que nós somos uma equipe”, explicou o comandante, defendendo principalmente o volante Andrezinho, maior alvo dos fanáticos.

“Uma vez, no Maracanã, vi o Pelé dar uma furada em um jogo preparatório para a Copa de 1970. Era o Pelé! Andrezinho, Fellype Gabriel e Caio vão errar também, é claro”, minimizou Oswaldo, que também defendeu o zagueiro Antonio Carlos, que errou um passe no gol do Friburguense.

  O jogo

O primeiro lance de perigo aconteceu nas proximidades da área do Friburguense quando Elkeson foi derrubado por Diego Guerra. Na cobrança, Andrezinho rolou para Márcio Azevedo que entrou pela esquerda e cruzou por cima do gol. Com a volta do Loco Abreu, o time alvinegro mantinha Elkeson e Fellype Gabriel abertos pelas extremas e Andrezinho entrando pelo meio. Nos primeiros minutos, o Friburguense parecia uma equipe sem grandes ambições ofensivas, uma vez que apenas Rômulo atuava mais avançado.

Aos nove minutos, uma desatenção da zaga alvinegra quase proporcionou ao Friburguense a marcação do primeiro gol. Ricardinho teve a chance mas foi bloqueado pelo goleiro Jéfferson que teve de intervir duas vezes para evitar a conclusão certeira do atacante.

A resposta do Botafogo veio aos 14 minutos em chute de fora da área de Elkeson que obrigou o goleiro Marcos a praticar boa defesa. O lance animou a equipe comandada por Oswaldo de Oliveira e, no lance seguinte, Márcio Azevedo cruzou e Loco Abreu concluiu de primeira, mas a bola subiu e não levou perigo para o gol de Marcos.

Aos 23 minutos, Jorge Luiz foi lançado na área, Marcelo Mattos tentou cortar e o jogador do Friburguense caiu. O árbitro marcou pênalti o que provocou muitos protestos dos jogadores alvinegros. Rômulo bateu o pênalti no canto esquerdo e Jéfferson fez grande defesa, evitando a queda do arco alvinegro.

Aos 27 minutos, o goleiro do Botafogo voltou a aparecer bem ao impedir que o cruzamento de Ricardinho chegasse a Rômulo que entrava pelo meio.

O Botafogo não conseguia se acertar em campo e por volta dos 30 minutos, a torcida alvinegra começou a vaiar a equipe.

Mesmo sem jogar bem, o Botafogo acabou marcando o primeiro gol aos 34 minutos. Andrezinho tentou lançar Fellype Gabriel na esquerda, mas Cadão tentou o corte e a bola caiu nos pés de Loco Abreu que bateu de primeira para o fundo das redes.

O Friburguense quase empatou aos 38 em saída de bola errada do lateral Lucas mas o chute de Rômulo foi bem defendido por Jéfferson. Logo depois, Antonio Carlos, de cabeça, obrigou o goleiro Marcos a fazer uma bela defesa.

Aos 42 minutos, Elkeson fez boa jogada e descobriu Fellype Gabriel livre na marca do pênalti, mas o atacante alvinegro concluiu muito mal, perdendo uma grande chance para ampliar o marcador. No último lance da primeira etapa, depois de boa troca de passes, Elkeson mandou a bomba e Marcos fez magnífica defesa, evitando o segundo gol.

O segundo tempo começou em ritmo lento mas o Friburguense mostrava mais um pouco de disposição ofensiva, embora sem conseguir construir boas jogadas de ataque. O primeiro chute a gol foi dado pelo Botafogo aos sete minutos em cobrança de falta executada por Andrezinho que foi defendida com facilidade pelo goleiro Marcos. A torcida do Botafogo passou a pedir a entrada do argentino Herrera. Aos dez minutos, Elkeson roubou uma bola na defesa da equipe de Nova Friburgo e cruzou para a entrada de Fellype Gabriel mas Cadão salvou.

Aos 14 minutos, Andrezinho lançou Elkeson nas costas dos zagueiros. Elkeson escolheu o canto mas a bola acertou a trave esquerda e no rebote, Loco Abreu, de pé direito, mandou por cima da trave.

Oswaldo de Oliveira decidiu trocar Loco Abreu por Herrera e o argentino desperdiçou uma boa chance aos 20 minutos quando desarmou um adversário, partiu livre para a área, mas acabou se atrapalhando e desperdiçando a oportunidade de marcar o segundo gol.

O Botafogo errava muitos passes e permitia que o Friburguense criasse momentos perigosos na área alvinegra. Um chute de Rômulo aos 24 minutos que Jéfferson espalmou e uma conclusão do zagueiro Sérgio Gomes, de cabeça, fizeram a torcida voltar a protestar contra a má exibição da equipe.Lucas que vinha sendo perseguido pela torcida foi substituído e Andrezinho passou a ser o novo alvo das vaias dos torcedores.

Aos 36 minutos, o Botafogo marcou o segundo gol através de Herrera. Fellype Gabriel recebeu em condição irregular, penetrou pela direita e cruzou para o argentino chegar antes da zaga e mandar para as redes.

Logo depois, aos 40 minutos, Antonio Carlos errou na saída de bola e Douglas se aproveitou para tocar no canto direito de Jéfferson. Quando tudo indicava que o Botafogo iria sofrer nos minutos finais, Herrera voltou a marcar aos 41 minutos aproveitando um cruzamento de Lucas Zen, definindo o placar da partida.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 3 x 1 FRIBURGUENSE

Local: estádio João Havelange, Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 8 de abril de 2012, domingo

Hora: 16 horas (de Brasília)

Árbitro: Eduardo Cordeiro Guimarães

Assistentes: Edney Guerreiro Marcarenhas e Marco Aurélio Pessanha

Cartões Amarelos: Marcelo Mattos, Andrezinho (Botafogo);Sérgio Gomes, Elan, Cadão (Friburguense)

Gols:

BOTAFOGO: Loco Abreu, aos 34 minutos do primeiro tempo; Herrera, aos 36 e aos 41 minutos do segundo tempo.

FRIBURGUENSE: Douglas, aos 40 minutos do segundo tempo

BOTAFOGO: Jefferson, Lucas (Lucas Zen), Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Marcelo Mattos, Renato, Andrezinho e Elkeson (Caio); Fellype Gabriel e Loco Abreu (Herrera)

Técnico: Oswaldo de Oliveira

FRIBURGUENSE: Marcos, Sérgio Gomes, Cadão, Diego Guerra e Flavinho; Elan, Lucas, Marcelo e Jorge Luiz (Douglas); Rômulo e Ricardinho (Ziquinha)

Técnico: Gerson Andreotti

 Texto, informações e foto do Botafogo: site da ESPN Brasil

Texto Vasco: www.uol.com.br/esporte


Voltar

Deixe uma resposta


Mais notícias



17 abr 2018

CBF divulga entrada de 68 milhões de euros em transferências internacionais este ano


09 abr 2018

‘Pra mim, ele toca na bola, mas a decisão é sua’”. Veja explicação de lance polêmico na final paulista


17 mar 2018

Divulgados datas e horários das 12 primeiras rodadas da Série A

Notícias


26 abr 2018

UFJF/Asepel começa com tudo na Segundona do Mineiro de base


26 abr 2018

Mineiro de Base: Uberabinha/Tupi encara Coelho no Salles Oliveira


25 abr 2018

Tupi anuncia “Passaporte” para jogos em Juiz de Fora pela Série C


24 abr 2018

Série C: Tupi perde seis posições e recebe Operário-PR sábado


+ notícias

Toque de Bola


O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.

Desenvolvimento




Acesse

error: Conteúdo protegido.