09 out 2017

Intercolegiais: escolas estaduais Clorindo Burnier e Ali Halfeld superam obstáculos e são campeãs na queimada



Clorindo Burnier, escola campeã na categoria infantil

  A diferença de estrutura entre escolas públicas e particulares é imensa. Principalmente quando o assunto se trata de esporte, já que muitas escolas estaduais e municipais não têm um espaço reservado para a prática esportiva. A Escola Estadual Clorindo Burnier (categoria Infantil) e a Escola Estadual Ali Halfeld (categoria Juvenil) provaram que a vontade de vencer é maior que qualquer obstáculo e foram as campeãs na queimada nos Jogos Intercolegiais de Juiz de Fora.

  Na final do infantil, Clorindo venceu a Escola Municipal Cássio Vieira Marques por 18 a 5. Pela categoria juvenil, Ali Halfeld bateu a Escola Estadual Francisco Bernardino por 17 a 12.

  Além da ausência de estrutura, muitas vezes faltam até materiais – como bolas por exemplo. Quando há competições, o transporte para o evento se torna outro problema. Agora imagine que mesmo com todas essas dificuldades, as escolas públicas cheguem à final e vençam a competição que conta com escolas particulares. Foi o que ocorreu na tarde da última sexta-feira, 6, no ginásio da Secretaria de Esporte e Lazer (SEL).

  Veja, abaixo, depoimentos de professores, alunos, mães de alunos e do Secretário de Esporte e Lazer de Juiz de Fora, após a disputa das semifinais e finais da queimada dos Jogos Intercolegiais de Juiz de Fora

Escola Estadual Ali Halfeld: título Juvenil na queimada nos Jogos Intercolegiais de Juiz de Fora 2017

Roberto Modesto Carvalho – professor da EE Ali Halfeld – Bairro de Lourdes

“Eu faço por eles. Já fomos campeões do futsal infantil masculino, e agora é uma alegria enorme ser campeão da queimada juvenil feminino também. Nossa escola – todos sabem como é escola pública – tem menos estrutura que as particulares. Muitas vezes faltam bolas, apesar do empenho da direção, que apoia bastante a educação física. Mas sabemos que os recursos são poucos. Falta estrutura.  Foi um ano atípico pois ficamos o primeiro semestre inteiro sem a nossa quadra, devido às chuvas de janeiro, o alambrado caiu e estávamos sem recursos para arrumar”.

“São meninas humildes, mas são meninas que merecem , são disciplinadas. Na escola toda, os alunos são muito disciplinados, tem vontade, participam dos jogos, se interessam, perguntam… Elas merecem. Pegaram dois ônibus para estar aqui, mais duas conduções na volta. Saíram da escola hoje (sexta-feira dia 6) e vieram direto, algumas até sem almoçar, tivemos que comprar lanche pra elas. A felicidade é enorme de poder chegar até aqui, em meio a várias escolas com estrutura melhor que a nossa, e poder ficar em primeiro lugar”.

Kaylla de Araújo e Schayra Fernanda, irmãs campeãs com a Escola Estadual Ali Halfeld

Daniela de Araújo, mãe das alunas campeãs Kaylla de Araújo e Schayra Fernanda, pela escola Ali Halfeld

“O esporte, principalmente para as escolas, é fundamental. Os alunos precisam disso, só ficar dentro de sala é muito maçante e, essas meninas junto com os professores, merecem. Para as minhas filhas isso é mais do que uma simples vitória, todas as escolas participantes mereciam vencer a competição, mas elas estavam o tempo todo jogando com garra, com luta, e os professores estão sempre apoiando elas. Como mãe estou sem palavras, o clima o tempo todo foi muito bom, não teve briga todos vieram para jogar”.

Kaylla de Araújo – campeã com Ali Halfeld

“Sempre foi meu sonho participar do Intercolegial. Desde quando entrei na escola, tinham se inscrito para a competição uma vez, só que não conseguimos entrar. Inscreveram a escola novamente esse ano, aí sim conseguimos. Estou muito feliz, se ano que vem eu puder jogar com certeza vou participar. Jogo basquete, mas tive que parar porque tive um problema no joelho. Estava até com medo de jogar porque rompi o ligamento, mas pretendo jogar basquete, vôlei e handebol”.

 

Mãe da campeã Alicia Lamego comemora a vitória do Intercolegial com as atletas da Escola Clorindo Burnier.

Rodrigo Lamego Coelho – Professor da EE Clorindo Burnier – Bairro Barbosa Lage

“É interessante porque reúne as outras escolas, fica uma coisa mais amigável, não fica aquela rixa de um bairro contra o outro. Chega aqui, todos jogam juntos e se toram amigos. Lá a educação física é duas vezes por semana. Em uma fazemos mais a parte teórica, e na segunda colocamos as modalidades como a queimada, vôlei, futsal, handebol, basquete… O mais importante é ver que a gente fez um trabalho bem feito. Apesar de todas as dificuldades de locomoção e alimentação, conseguimos”.

Diulie Lamego, mãe da aluna campeã Alicia Lamego

“Incentivo muito grande das escolas, é muito importante para as crianças, eu acho que isso causa disciplina. É uma iniciativa muito boa de todas as escolas que participaram porque é um jogo limpo, onde eles se divertem mais do que jogam. É muito legal também porque não tem confusão e nem brigas. Uma coisa muito saudável”.

Jamille Luiza, aluna campeã pela Escola Estadual Clorindo Burnier – “Estou muito feliz porque ganhamos o primeiro lugar”.

Janiela Aparecida Pimenta – Professora da EM Cássio Vieira marques – Bairro Vila Montanhesa

  Mesmo com o segundo lugar, a professora afirma que todos voltam felizes pra casa. “Foi a primeira vez que a escola participou do torneio, nunca tinha participado de nada. E pra gente é uma honra muito grande, isso dá motivação para as meninas, pra que elas acreditem na capacidade delas e que realmente não são diferente das outras. Escola municipal é tão capaz quanto escola particular, elas ganharam do Cultura Viva.  É bom que prepara elas para a vida. Apesar de elas estarem chorando, todos nós estamos indo felizes pra casa. Me sinto realizada como profissional, sabendo que todos os dias eu não estou indo em vão dar aula, que realmente estou contribuindo pra vida delas e para a história da escola – que tem 25 anos de fundação”.

Júlio Gasparette – Secretário de Esporte e Lazer

“Recebi a ordem do prefeito para que realizasse o Intercolegial. Há mais de três anos não acontece o Intercolegial e esse ano batemos o recorde com a participação de mais de 130 escolas. Acho que para a cidade e para o mundo estudantil isso é muito importante, com a participação de meninos e meninas. É muito importante para eles ter essa convivência. Temos que agradecer o prefeito e os professores envolvidos, o gerente do departamento Flavio Vilela, pois sem eles nós não faríamos a competição”.

 

Veja, abaixo, galeria de fotos das finais da queimada dos Jogos Intercolegiais de Juiz de Fora, disputadas no dia 6 de outubro, no ginásio da SEL. Clique sobre a imagem que deseja ampliar

 

 


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


23 out 2017
Primeiro árbitro de vídeo da Libertadores será brasileiro. Vangasse explica as 4 situações em que ele pode atuar

23 out 2017
Leozinho reaparece na seleção da rodada. Próximo adversário do JF Vôlei tem pedido de desculpas ao torcedor

23 out 2017
Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador: resultados e próximos jogos

19 out 2017
Oficial: Tupi informa que treinador Aílton Ferraz não fica no clube

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.