12 maio 2016

Especial Toque de Bola: veja as médias de público e os números que chamaram atenção na Série B de 2015



“Não quero cadeira numerada, vou ficar na arquibancada para sentir mais emoção”.

O trecho da canção de Neguinho da Beija-Flor diz que o torcedor que ama seu clube gosta mesmo é de estar presente no estádio, vendo de perto a bola rolar. Porém a realidade do futebol brasileiro hoje é diferente. Muitos preferem o conforto do sofá de casa e o controle remoto, além de outras razões que não levam o apaixonado por futebol comprar ingresso e ir para a galera.

Os números da Série B 2015 demonstram isso: a média de público em todos os jogos foi de 6.523 pagantes,  ocupação, em média, de 20% da capacidade dos estádios, com um total de 2.459.443 ingressos vendidos em 377 partidas da competição.

 

Com quase 17 mil pagantes por jogo, Bahia teve a melhor média de público na Série B 2015 (Foto: Galacticos Online)

Com quase 17 mil pagantes por jogo, Bahia teve a melhor média de público na Série B 2015 (Foto: Galacticos Online)

 

 Melhores médias

Nenhuma equipe na Série B 2015 levou tantos torcedores aos estádios quanto o Bahia. Em jogos do Tricolor foram vendidos 304.275 ingressos.

Com média de 16.904 pagantes, o tricolor baiano liderou no quesito média de público, seguido pelos 16.142 pagantes do Ceará e 13.737 do Paysandu em toda a Série B.

Vitória (13.210), Santa Cruz (13.189) e Sampaio Correa (10.408) foram outras equipes a ultrapassar a marca de 10 mil torcedores, em média, na competição. O Botafogo, campeão da Série B 2015, mesmo com a maior torcida entre os clubes do campeonato teve 9.337 pagantes, em média.

  Mineiros na B

O pior time em média de público foi o Boa Esporte, de Varginha. A equipe mineira teve em média 513 pagantes em seus jogos, com ingressos em torno de R$12. A renda bruta arrecada foi de R$125.145,00. Muito pouco comparado aos R$7.861.421,00 do Bahia, líder neste quesito.

Outro mineiro na Série B 2015, o América teve um desempenho bem melhor, tanto na tabela quanto nas arquibancadas. Enquanto o Boa terminou na penúltima colocação e foi rebaixado para a Terceira Divisão, o Coelho fechou a competição em quarto lugar, garantindo o acesso à elite nacional. Quanto ao público, a média de pagantes do time alviverde foi de 3.737, com renda bruta de R$1.037.790,00.

   Piores médias

Dos remanescentes na Série B, o Luverdense teve a pior média de público do ano passado – apenas 1.121 pagantes. Com 675 pessoas a mais, o Atlético-GO ficou com a segunda pior. A diferença entre os dois está na ocupação média dos estádios. Enquanto o time de Lucas do Rio Verde ocupou 18%, o Dragão encheu apenas 3%, a pior média entre todos 20 clubes.

 

 Maiores públicos

O jogo com maior público em toda a Série B 2015 foi o confronto que livrou a Ceará do rebaixamento, contra o Macaé, no Castelão, em Fortaleza. 45.539 pagantes viram o Vozão, vencer o time do norte fluminense por 1 a 0, com gol de Rafael Costa, de pênalti. O resultado manteve o Alvinegro na Segunda Divisão e rebaixou o Alvianil para a Terceirona.

Mais de 45 mil pessoas no Castelão acompanharam a vitória que livrou o Ceará do rebaixamento (Foto: Diário do Nordeste)

Mais de 45 mil pessoas no Castelão acompanharam a vitória que livrou o Ceará do rebaixamento (Foto: Diário do Nordeste)

Grafite atrai público

A estreia de Grafite com a camisa tricolor no Arruda foi o segundo jogo com maior público pagante na Série B 2015: 43.320. A torcida coral viu seu ídolo marcar no retorno ao Santa Cruz o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo, resultado que colocou o time pernambucano na rota para o acesso à elite nacional.

Como detalhe importante, o Santa Cruz parece que decretou uma virada com a vaga de volta à elite. No primeiro semestre deste ano, já comemorou a Copa do Nordeste e o Campeonato Estadual.

    93% da capacidade

O jogo que teve a maior ocupação nas arquibancadas foi Luverdense x Botafogo. Com 3.723 pagantes no Parque das Emas, 93% da capacidade do estádio foi preenchida na vitória dos visitantes por 1 a 0, gol do atacante Ronaldo, resultado que garantiu o retorno do Alvinegro à Série A.

 

  Pior público

Os 15 piores públicos da Série B 2015 envolvem ou Boa Esporte ou Mogi Mirim, sendo que o jogo com menor presença de torcida em toda a competição foi o embate entre essas duas equipes em Varginha: 95 (isso mesmo, noventa e cinco) pagantes assistiram o time paulista vencer por 1 a 0, gol de Ortigoza.

 

 Regulamento

No regulamento da competição, a CBF estipula que a renda liquida arrecadada com a venda de ingressos pertence ao clube mandante. A Confederação estabelece também que os valores mínimos para cada bilhete são de R$20 (inteira) e R$10 (meia-entrada).

Sem título

 

Para acessar o regulamento da Série B 2016 na íntegra, clique aqui

 

Texto/pesqisa de Guilherme Fernandes com informações do portal Globoesporte.com e do site da CBF e supervisão de Ivan Elias – Toque de Bola

O Toque de Bola é administrado pela www.mistoquentecomunicacao.com.br


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


23 jun 2017
Futuro do Tupi na Série C passa pelo sábado à noite. Primeiro, o Botafogo

22 jun 2017
Alex Nascif aceita convite de Moacir Júnior e acerta com o Cuiabá

21 jun 2017
Ataque produtivo e elenco experiente são armas do líder Botafogo-SP diante do Tupi

20 jun 2017
Em sexto na chave, Tupi faz dois jogos em casa. Veja panorama da Série C

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.