12 maio 2016

Especial Toque de Bola: veja as médias de público e os números que chamaram atenção na Série B de 2015



“Não quero cadeira numerada, vou ficar na arquibancada para sentir mais emoção”.

O trecho da canção de Neguinho da Beija-Flor diz que o torcedor que ama seu clube gosta mesmo é de estar presente no estádio, vendo de perto a bola rolar. Porém a realidade do futebol brasileiro hoje é diferente. Muitos preferem o conforto do sofá de casa e o controle remoto, além de outras razões que não levam o apaixonado por futebol comprar ingresso e ir para a galera.

Os números da Série B 2015 demonstram isso: a média de público em todos os jogos foi de 6.523 pagantes,  ocupação, em média, de 20% da capacidade dos estádios, com um total de 2.459.443 ingressos vendidos em 377 partidas da competição.

 

Com quase 17 mil pagantes por jogo, Bahia teve a melhor média de público na Série B 2015 (Foto: Galacticos Online)

Com quase 17 mil pagantes por jogo, Bahia teve a melhor média de público na Série B 2015 (Foto: Galacticos Online)

 

 Melhores médias

Nenhuma equipe na Série B 2015 levou tantos torcedores aos estádios quanto o Bahia. Em jogos do Tricolor foram vendidos 304.275 ingressos.

Com média de 16.904 pagantes, o tricolor baiano liderou no quesito média de público, seguido pelos 16.142 pagantes do Ceará e 13.737 do Paysandu em toda a Série B.

Vitória (13.210), Santa Cruz (13.189) e Sampaio Correa (10.408) foram outras equipes a ultrapassar a marca de 10 mil torcedores, em média, na competição. O Botafogo, campeão da Série B 2015, mesmo com a maior torcida entre os clubes do campeonato teve 9.337 pagantes, em média.

  Mineiros na B

O pior time em média de público foi o Boa Esporte, de Varginha. A equipe mineira teve em média 513 pagantes em seus jogos, com ingressos em torno de R$12. A renda bruta arrecada foi de R$125.145,00. Muito pouco comparado aos R$7.861.421,00 do Bahia, líder neste quesito.

Outro mineiro na Série B 2015, o América teve um desempenho bem melhor, tanto na tabela quanto nas arquibancadas. Enquanto o Boa terminou na penúltima colocação e foi rebaixado para a Terceira Divisão, o Coelho fechou a competição em quarto lugar, garantindo o acesso à elite nacional. Quanto ao público, a média de pagantes do time alviverde foi de 3.737, com renda bruta de R$1.037.790,00.

   Piores médias

Dos remanescentes na Série B, o Luverdense teve a pior média de público do ano passado – apenas 1.121 pagantes. Com 675 pessoas a mais, o Atlético-GO ficou com a segunda pior. A diferença entre os dois está na ocupação média dos estádios. Enquanto o time de Lucas do Rio Verde ocupou 18%, o Dragão encheu apenas 3%, a pior média entre todos 20 clubes.

 

 Maiores públicos

O jogo com maior público em toda a Série B 2015 foi o confronto que livrou a Ceará do rebaixamento, contra o Macaé, no Castelão, em Fortaleza. 45.539 pagantes viram o Vozão, vencer o time do norte fluminense por 1 a 0, com gol de Rafael Costa, de pênalti. O resultado manteve o Alvinegro na Segunda Divisão e rebaixou o Alvianil para a Terceirona.

Mais de 45 mil pessoas no Castelão acompanharam a vitória que livrou o Ceará do rebaixamento (Foto: Diário do Nordeste)

Mais de 45 mil pessoas no Castelão acompanharam a vitória que livrou o Ceará do rebaixamento (Foto: Diário do Nordeste)

Grafite atrai público

A estreia de Grafite com a camisa tricolor no Arruda foi o segundo jogo com maior público pagante na Série B 2015: 43.320. A torcida coral viu seu ídolo marcar no retorno ao Santa Cruz o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo, resultado que colocou o time pernambucano na rota para o acesso à elite nacional.

Como detalhe importante, o Santa Cruz parece que decretou uma virada com a vaga de volta à elite. No primeiro semestre deste ano, já comemorou a Copa do Nordeste e o Campeonato Estadual.

    93% da capacidade

O jogo que teve a maior ocupação nas arquibancadas foi Luverdense x Botafogo. Com 3.723 pagantes no Parque das Emas, 93% da capacidade do estádio foi preenchida na vitória dos visitantes por 1 a 0, gol do atacante Ronaldo, resultado que garantiu o retorno do Alvinegro à Série A.

 

  Pior público

Os 15 piores públicos da Série B 2015 envolvem ou Boa Esporte ou Mogi Mirim, sendo que o jogo com menor presença de torcida em toda a competição foi o embate entre essas duas equipes em Varginha: 95 (isso mesmo, noventa e cinco) pagantes assistiram o time paulista vencer por 1 a 0, gol de Ortigoza.

 

 Regulamento

No regulamento da competição, a CBF estipula que a renda liquida arrecadada com a venda de ingressos pertence ao clube mandante. A Confederação estabelece também que os valores mínimos para cada bilhete são de R$20 (inteira) e R$10 (meia-entrada).

Sem título

 

Para acessar o regulamento da Série B 2016 na íntegra, clique aqui

 

Texto/pesqisa de Guilherme Fernandes com informações do portal Globoesporte.com e do site da CBF e supervisão de Ivan Elias – Toque de Bola

O Toque de Bola é administrado pela www.mistoquentecomunicacao.com.br


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


22 jan 2018
Clínica com Zico no Maracanã une diferentes gerações em torno do sonho do futebol. Veja fotos

22 jan 2018
Tem de 10 a 16 anos e que jogar futebol? É levar a chuteira e conferir a agenda da semana na Faefid-UFJF

21 jan 2018
Virose no Carijó? Dirigente admite possibilidade, mas não quer usar como desculpa

19 jan 2018
Futebol do Baeta apresenta Comissão Técnica para Módulo 2 e admite que está atrasado

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse