11 abr 2016

Único empate do Tupi no Mineiro chega aos 45 do segundo tempo e mexe na tabela, no texto e no contexto



O texto que os torcedores do Tupi gostariam de ler no Toque de Bola estava praticamente pronto.

   Começaria assim:

Apesar de ter disputado um Campeonato Mineiro irregular, inclusive convivendo uma semana na zona de rebaixamento da competição, o Tupi derrotou a Caldense por 1 a 0 na tarde deste domingo, 10, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, com um belo gol de Hiroshi, logo aos 14 minutos do primeiro tempo. Com o resultado, o Carijó alcançou o quinto lugar e trouxe mais esperança ao torcedor a um mês da estreia da inédita participação na Série B do Campeonato Brasileiro. De quebra, o resultado ainda conduziu o clube alvinegro a uma inesperada vaga na Copa do Brasil de 2017. A competição, além de tecnicamente, pode ser interessante no aspecto financeiro.

Um gol da Caldense, porém, aos 45 minutos do segundo tempo, em situação semelhante a dos outros gols sofridos pelo Tupi em Juiz de Fora (especialmente contra o Atlético – derrota por 3 a 0), com o atacante ficando cara a cara com o goleiro Glaysson, mudou o texto e o contexto.

 

 A nova redação ficou assim:

Ao ceder o empate a Caldense, aos 45 minutos do segundo tempo, em seu primeiro empate em 11 jogos pelo Campeonato Mineiro, o Tupi despencou da quinta para a nona colocação, não conseguiu vaga para a Copa do Brasil e nem terminou entre os seis primeiros colocados, condição que possibilitaria ao clube, no próximo Estadual, a consolação de disputar uma partida a mais diante da torcida – quem termina até na sexta colocação tradicionalmente faz seis partidas em casa e cinco fora.

 

  Sem máscara

Sereno como sempre, o treinador Ricardo Drubscky não escondeu a decepção com as circunstâncias do empate, mas conseguiu enxergar um aspecto positivo, projetando a sequência da temporada: “Se saíssemos daqui com uma quinta posição, poderíamos mascarar algumas coisas que a gente quer ver melhor.”

Clique aqui para conferir a íntegra da entrevista coletiva concedida pelo treinador carijó no domingo

 

Empate com gol no final foi comemorado como vitória pela Caldense e teve sabor de derrota para o Tupi

Empate com gol no final foi comemorado como vitória pela Caldense e teve sabor de derrota para o Tupi

    O jogo

Foi uma tarde de muito sol e calor – a arbitragem estipulou em três minutos o tempo da parada técnica na etapa inicial – no Estádio Mário Helênio, em Juiz de Fora.

O Tupi abriu o placar com um belo gol. Depois de uma troca de passes entre a intermediária e o campo de defesa carijós, Sidimar fica com a bola e, atrás do círculo central, acerta um lindo lançamento em profundidade para Hiroshi na esquerda de ataque. O “carrasco do sul de Minas” faz o terno contra as equipes daquela região do estado – já havia marcado contra Boa Esporte e Tricordiano. Com categoria, personalidade e confiança,  entra na área, dribla o zagueiro com um “elástico” e toca com categoria diante do goleiro para marcar Tupi 1 a 0, aos 14 minutos do primeiro tempo.

O castigo veio aos 45 minutos do segundo tempo. Depois de cada equipe promover três alterações e de o Tupi desperdiçar algumas oportunidades de ampliar, inclusive com um cabeceio de Ygor no travessão após outro passe preciso de Sidimar – desta vez da lateral-esquerda, o time acabou sofrendo pressão da Caldense nos instantes finais – a equipe de Poços de Caldas precisava pelo menos do empate para conquistar uma vaga na Série D. Quando parecia que o placar estava assegurado – e na combinação dos demais resultados da rodada o time terminaria em quinto, a equipe alviverde encontrou Rafamar na meia-lua, sem marcação e em posição legal. O atacante cumpriu o seu papel. Adiantou-se com a bola, esperou a saída de Glaysson e tocou com tranquilidade para empatar a partida, no último minuto do tempo regulamentar.

O torcedor, que não compareceu em grande número apesar da promoção do valor menor dos ingressos, trocou os aplausos, com que saudou a saída da equipe no intervalo, por muitas vaias. Assim terminou para o Tupi o Campeonato Mineiro de 2016: longe da semifinal, garantido na primeira divisão estadual e com um gostinho amargo. Encerraria a competição com um quinto lugar improvável e foi puxado para nono lugar, demonstrando que há muito trabalho para apresentar uma equipe competitiva na Série B do Campeonato Brasileiro.

 

Tupi x Caldense 

Estádio Municipal Radialista Mário Helênio

Jogo pela 11ª rodada do Campeonato Mineiro 2016

Tupi: 1 Glaysson; 2 Osmar, 3 Sidimar, 6 Fabrício Soares e 4 Thiaguinho; 5 Felipe Alves, 7 Vinícius Kiss (20 Rubens, aos 10 minutos do 2º tempo), 8 Rafael Jataí e 10 William Koslowski; 11 Hiroshi e 9 Michel Henrique. Treinador: Ricardo Drubscky.

Caldense: 1 Neguett: 2 Jeferson Feijão (entrou 13 Andrezinho aos 11 do 2º tempo), 3 Marcelo, 4 Paulão e 6 Rafael Estevam; 5 Michel, 8 Álvaro (entrou 15 Marcel no intervalo), 7 Tiago Azulão, 10 Ewerto Maradona(entrou 17 Cleiton no intervalo), 11 Marcinho e 9 Rafamar. Treinador: Gian Rodrigues.
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa), auxiliado por Leonardo Henrique Pereira e Helbert Tavares Miranda. Quarto árbitro: Leonardo Rotondo
Cartões amarelos: Claiton e Rafamar (Caldense), Ygor e Ramon (Tupi).
Renda: R$ 17.170,00. Público pagante: 1.318. Público presente: 1.638
 01 X 01 TUPI X CALDENSE

Cobertura do Toque

O Toque de Bola acompanhou Tupi x Caldense pelas redes sociais, com apoio de Plasc e Hiperroll Embalagens.

Acompanhe bastidores, jogo e pós-jogo com a assinatura de credibilidade do Toque de Bola.

Siga pelo Facebook (www.facebook.com/toquedebola)

Twitter (https://twitter.com/toquedebolajf) ou

Instagram (http://instagram.com/toquedebolajf).

 

Confira abaixo os resultados da rodada

11A RODADA_INSTAGRAM (2)

 

   Como ficou

Com os resultados de domingo, o América confirmou o favoritismo e ficou com a quarta vaga das semifinais. Os confrontos das semifinais começam no próximo final de semana: sábado, 16h, América x Cruzeiro, e domingo, 16h, URT x Atlético.

URT, Caldense e Villa Nova ganharam vaga para a Série D deste ano. A Caldense também conseguiu presença na Copa do Brasil de 2017, fruto da quinta posição.

Boa e Guarani foram rebaixados. O detalhe é que com a surpreendente derrota em casa do Atlético, em Belo Horizonte, e por placar elástico (4 a 2) para o Tricordiano, o Guarani não conseguiu permanecer na divisão principal do estado mesmo tendo feito, pelo menos na última rodada, o dever de casa: bateu o Villa Nova, em Divinópolis, por 2 a 1. Caso o Tricordiano perdesse ou até mesmo empatasse com o Galo de BH, o Guarani teria escapado do descenso.

Confira abaixo a pontuação final da fase de classificação do Campeonato Mineiro (se preferir, clique sobre a imagem para ampliar)

 

 

Sem título

Texto: Ivan Elias – Toque de Bola
Com informações de Guilherme Fernandes Leite, Cérix Ramon e site da Federação Mineira de Futebol
Fotos e Artes: Toque de Bola
O Toque de Bola é administrado pela www.mistoquentecomunicacao.com.br

Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


24 nov 2017
Com vídeos! Sucesso dentro e fora da quadra, Copa Toque de Bola de Futsal promete emoção na reta final

22 nov 2017
Basquete dos Intercolegiais: conheça todos os atletas campeões e veja as avaliações dos professores

22 nov 2017
JF Vôlei receita “foco e determinação” para buscar reação contra dois adversários diretos na pontuação

20 nov 2017
Com títulos e recordes, CRIA-UFJF brilha nos Jogos Escolares da Juventude

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.