26 jan 2016

JF Vôlei aposta em destaques e evolução no ataque em “grande final”



Lanterna da Superliga Masculina 2015/2016 com apenas 5 pontos conquistados em 13 rodadas, o JF Vôlei visita o penúltimo colocado, Copel Telecom Maringá (PR), às 19h30 desta quinta-feira, 28, no Ginásio Chico Neto, em clima de decisão para os juiz-foranos: “Será a grande final pra nós, temos a oportunidade de diminuir a diferença de pontos e ganhar confiança para as próximas decisões. É um jogo de 6 pontos”, definiu o ponteiro Renato Hermely.

A partida será a primeira da sequência de três duelos fora da UFJF que o time do central Ninão tem pela frente: “Todos os jogos são muito importantes, fora ou dentro de casa. Mas como mandante, a torcida ajuda muito e isso é um diferencial. Esta sequência que teremos fora será muito importante, principalmente o jogo contra Maringá, que será de 6 pontos. Todos nós estamos focados. Trabalhamos os erros da última partida para não serem cometidos novamente e também para melhorar nossa virada de bola, que não foi tão eficiente no último jogo”, contou Ninão ao Toque de Bola. A delegação juiz-forana viaja na manhã desta quarta-feira para Campinas e, da cidade paulista, segue para Maringá, onde pousa, se não houver atrasos, até o início da tarde do mesmo dia.

#Toqueinforma

Com apoio de Plasc, Hiperroll Embalagens, Programa Sócio-Torcedor do JF Vôlei e SóLed, o Toque de Bola acompanha Copel Telecom Maringá x JF Vôlei nas redes sociais a partir das 19h15 da quinta, 28.

Siga pelo Facebook (www.facebook.com/toquedebola?fref=ts)
Twitter (https://twitter.com/toquedebolajf
) ou
Instagram (http://instagram.com/toquedebolajf).

Campanha em números

O JF Vôlei busca a recuperação em quadra e tem, nas estatísticas, parte do diagnóstico esclarecido. De acordo com dados disponibilizados pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), a equipe juiz-forana é a que mais desperdiçou chances de ataques, se enquadrando na análise de Ninão acima, ao relatar as viradas de bola. Em contrapartida, o ponteiro Renato e o próprio central, Ninão, figuram entre os melhores atletas da competição.

     Bola nele

Renato é o sexto maior pontuador da Superliga 2015/2016, com 203 sucessos, número equivalente a quase 40% do total de pontos do JF Vôlei na competição. O experiente jogador converteu 165 de ataque (7° no fundamento), 13 de saque (5°) e 25 de bloqueio (8°), números que comprovam o protagonismo do ponteiro nas partidas da equipe juiz-forana.

Questionado se esperava o sucesso individual na equipe, Renato mostrou sobriedade na resposta: “Já vim para JF sabendo que teria de assumir um papel muito importante na equipe, na questão de liderança e desempenho. Estou muito feliz por estar me destacando, mas ao mesmo me sinto incomodado pela situação da equipe. Só com muito trabalho pra tentarmos sair dessa situação”.

Renato, camisa 7, é o jogador mais acionado nas construções de jogada do JF Vôlei

Renato, camisa 7, é o jogador mais acionado nas construções de jogada do JF Vôlei

     Paredão: “É de arrepiar”

Quem cresceu de rendimento com a equipe após a parada de fim de ano foi o central Ninão. Recuperado de lesão, o meio de rede retornou ao time na única vitória da temporada, diante da Voleisul/Paquetá Esportes (RS), e mudou a partida. O atleta entrou em quadra no terceiro set e anotou 14 pontos, sendo sete de bloqueio no confronto que foi decidido no tie break. Com a evolução, o meio de rede, nas estatísticas, é o quarto melhor bloqueador da competição nacional, com média de 0,66 pontos no fundamento por set.

“Estar entre os melhores bloqueadores é muito gratificante e importante para o meu crescimento profissional, já que o bloqueio é a principal função de um central, minha posição. Tudo isso é resultado de muito trabalho feito por mim, com auxílio dos companheiros e comissão técnica. Espero continuar ajudando sempre a equipe no bloqueio. Além disso, sentir a energia da torcida com um ponto de bloqueio é de arrepiar. A torcida do JF Volei é o sétimo jogador!”, opina Ninão.

     Falhas coletivas

O JF Vôlei é o time que mais erra ataques na Superliga. A equipe comandada por Alessandro Fadul já desperdiçou 151 chances no fundamento, causando ponto do adversário, com apenas 32% de eficiência. O técnico juiz-forano admitiu, no treinamento desta quarta, a preocupação com o aproveitamento da equipe nas viradas de bola:

“O sideout (virada de bola) no jogo masculino é fundamental. Você pode ter dificuldade para bloquear, contra-atacar pouco, mas se for eficiente no sideout, consegue equilibrar o jogo. Então é decisivo. Nesses dez dias sem jogar, fizemos praticamente todos os dias, de diferentes formas, e esperamos que nessas próximas duas partidas ele volte a funcionar, independente do que aconteça nos outros fundamentos”.

O time da Manchester Mineira ainda é o segundo com mais erros em levantamentos e recepção, com 21 e 61 falhas, respectivamente. Confira abaixo mais estatísticas divulgadas pela CBV (se preferir, clique sobre a imagem para ampliar):

estatisticas por equipe

Classificação e rodada (se preferir, clique sobre as imagens para ampliar)

O JF Vôlei encara o Copel Telecom Maringá nesta quinta-feira, 28, fora de casa. Se vencer com a disputa de quatro sets ou menos, os juiz-foranos podem diminuir a diferença para o vice-lanterna de cinco para apenas dois pontos.

classificacao

rodada

Próximos jogos

O JF Vôlei encara dura sequência fora de casa, com retorno ao ginásio da UFJF apenas em 13 de fevereiro. Segundo a assessoria da equipe juiz-forana, a delegação viaja para Maringá na manhã de quarta-feira. Confira as partidas restantes:

28/01 – Copel Telecom Maringá (PR) x JF Vôlei – 19h30

30/01 –  Lebes/Gedore/Canoas (RS) x JF Vôlei – 18h

04/02 – Minas Tênis Clube (MG) x JF Vôlei – 19h30

13/02 – JF Vôlei x Montes Claros Vôlei (MG) – 18h

05/03 – JF Vôlei x Vôlei Brasil Kirin (SP) – horário a definir

09/03 – JF Vôlei x Sada Cruzeiro (MG) – 19h

19/03 – JF Vôlei x Sesi (SP) – 19h30

25/03 – Funvic Taubaté (SP) x JF Vôlei – 20h

27/03 – São José dos Campos (SP) x JF Vôlei – 19h

Retrospecto

O JF Vôlei não tem boas recordações em quadras longe da Manchester Mineira. A equipe só conquistou um ponto em seis partidas realizadas longe de seus domínios, contra o Bento Vôlei/Isabela, em derrota juiz-forana no tie break.

Regulamento

Os dois últimos colocados da primeira fase da Superliga Masculina não estarão automaticamente rebaixados. Paralelamente aos playoffs, será organizado um torneio seletivo para decidir quem disputa a competição de elite do voleibol na temporada 2016/2017, entre os dois piores colocados mais os segundo e terceiro lugares da Superliga B. O campeão estará na próxima edição do principal torneio de vôlei do país.

Sócio-Torcedor

O JF Vôlei lançou nesta temporada o programa Sócio-Torcedor, pioneiro entre as equipes que disputam a Superliga. São duas modalidades para a escolha do interessado, e o associado tem vantagens em ingressos e na aquisição da camisa, além de poder ser beneficiado com descontos entre os parceiros do projeto.

Para conhecer o programa e fazer a adesão ao Sócio-Torcedor, basta clicar aqui.

 

 

Texto: Bruno Kaehler – Toque de Bola, com informações da CBV

Foto: Toque de Bola

O Toque de Bola é administrado pela www.mistoquentecomunicacao.com.br

 

 


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


19 out 2017
Oficial: Tupi informa que treinador Aílton Ferraz não fica no clube

19 out 2017
Copa Toque de Bola de Futsal: Academia destaca “movimento esportivo” gerado pela competição

19 out 2017
Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador: resultados e próximos jogos

18 out 2017
Faefid-UFJF recebe nota máxima em avaliação, foca em “atuar com pessoas” e vê trabalho dobrado

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.