23 out 2015

“Time chato”, Tupi recebe o Londrina abrindo semifinais. Toque transmite



O acesso já veio. A próxima meta, agora, é o título da Série C. Para isso, o Galo Carijó recebe o Londrina no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio pela ida das semifinais da Série C no sábado, 24, às 19h30. Em busca da vantagem como na partida contra o ASA, o elenco alvinegro quer seguir com o rótulo de “chato” diante dos paranaenses:

“Esse negócio de chato começou quando estávamos em Lima Duarte pela primeira vez. De forma costumeira, todos os times que jogam contra as equipes que eu dirijo sempre falam que é um time chato porque não deixa o adversário jogar. E os caras gostaram dessa ideia. E esse time é muito chato, porque fazer gol nele e tirar vantagem dele é muito difícil, nunca perdemos um jogo em que saímos na frente. Passa muito por isso e acho que foi nossa marca principal ao longo da competição”, explica o técnico do Tupi, Leston Júnior, que não garantiu permanência para 2016.

Transmissão

Com o apoio da Prefeitura de Juiz de Fora, Plasc e Hiperroll Embalagens, a web rádio do Toque de Bola transmite Tupi x Londrina neste sábado, a partir de 19h.

Para ouvir a transmissão, basta acessar www.toquedebola.esp.br/radio

TUPI X LONDRINA_IMAGEM DESTACADA

O chato-obediente

Um dos líderes e mais experientes do elenco, o goleiro Glaysson ressaltou a recepção dos comandos de Leston como um dos motivos do apelido e revelou que outro atleta mais rodado da equipe teve papel importante na inserção do adjetivo:

“Quem fala mais essa frase é o Genalvo. Sempre depois dos jogos ele dizia que nossa equipe é chata, não deixa o adversário entrar na nossa defesa, bem postada, unida dentro de campo e bem fechada. Seguimos à regra o que treinamos e o que o professor pede. E dá para ver pelos resultados, conseguimos esse acesso jogando da mesma maneira do primeiro ao último jogo”.

Preparação curta

Com chegada de viagem na terça, 20, à noite em Juiz de Fora, o elenco carijó treinou, com o pé no freio, apenas três dias visando o duelo contra o Londrina. O pequeno período, no entanto, foi minimizado por Glaysson graças a um motivo:

“Foi um tempo curto. Jogamos na segunda, retornamos para JF na terça, quarta é um dia que sempre tiramos para recuperar e quinta o professor fez um trabalho mais de finalizações. Já em cima do jogo não tem como fazer muita coisa, foi uma semana atípica, mas pela postura da nossa equipe e por estarmos acostumados com o esquema, vai mais na conversa mesmo para a gente fazer um bom primeiro jogo em casa e levar uma vantagem para a volta, assim como fizemos com o ASA”, avaliou o goleiro.

Leston conversa com equipe teoricamente titular em parte aberta do treinamento desta sexta, no Estádio Municipal

Leston conversa curiosamente com equipe teoricamente titular logo após abrir treinamento desta sexta, no Estádio Municipal, para a imprensa

“Não é porque já jogamos com o Londrina duas vezes que já o conhecemos”

As duas derrotas do Tupi para o Londrina na fase classificatória da Série C ficaram para trás, inclusive, nos estudos da comissão técnica, de acordo com Leston: “Não dá para você, após o acesso na segunda, trabalhar muito forte porque vai correr o risco de ‘estourar’ alguém. É mais na conversa, procurar reproduzir o que fizemos de bom nesses dois jogos e, com palestras e material audiovisual, passar para eles situações de como o Londrina se comportou nesses dois jogos. Não é porque jogamos com o Londrina duas vezes que já o conhecemos. Era um formato de campeonato diferente”.

Prováveis escalações:

Tupi e Londrina fazem mistério. Bruno Ré, do lado juiz-forano, e Germano, do Tubarão, suspensos, são ausências certas. Quem também não viajou na delegação paranaense foi o volante Diego Roque. Leston Júnior minimizou os desfalques das duas equipes:

“Vou me basear pela forma de conduzir aqui. Nunca lamentei a ausência de ninguém, porque sai um e entra outro na mesma proporção. O Genalvo ficou fora do jogo em Arapiraca porque ficou sem treinar por quase 15 dias e é um líder, mas jogou outro que foi muito bem, o Felipe Alves. Então quem vai jogar no lugar do Germano aqui com certeza tem muita capacidade porque o elenco do Londrina é muito bom”.

Confira os prováveis 11 iniciais de cada time:

Tupi: Glaysson; Osmar, Sidimar, Fabrício Soares e Carlos Renato; Rafael Jataí, Felipe Alves (Genalvo), Vinicius Kiss, Marco Goiano e Kaio Wilker; Felipe Augusto.

Londrina: Vitor; Rhuan, Luizão, Silvio e Paulinho; Itallo, Pacato, Zé Rafael e Gava, Edmar e Bruno Batata (Quirino).

Carlos Renato

Carlos Renato (número 26), deve substituir Bruno Ré na lateral esquerda do Tupi

Arbitragem

arbitragem

Semifinais da Série C

semifinais

Texto: Bruno Kaehler – Toque de Bola
Foto e arte: Toque de Bola e CBF
O Toque de Bola é administrado pela www.mistoquentecomunicacao.com.br

 


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


17 nov 2017
Rodrigo Rezende é 27º lugar no Mundial de Ginástica de Trampolim na Bulgária

16 nov 2017
Saiu a tabela! Tupi encara Cruzeiro e América fora de casa logo no início do Campeonato Mineiro

16 nov 2017
Intercolegiais: professor Tidinho comemora brilho do Jesuítas no vôlei. Veja fotos e nomes de todos campeões

14 nov 2017
Goleiro-artilheiro Edson tem domingo único e Passo da Pátria é campeão da zona rural da Copa Prefeitura Bahamas

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.