27 ago 2015

Vôlei UFJF prioriza trabalho físico de força: “Se tivermos que jogar travados, vamos jogar”



Que o principal foco do Vôlei UFJF na temporada é a disputa da Superliga 2015/2016, você já sabe. O clímax, no entanto, só ocorre com a efetividade de cada capítulo da temporada.  Pensando nisso, a comissão técnica da Federal vem priorizando os trabalhos físicos dos atletas comandados pelo preparador, Bernardo Miloski, que em menos de um mês de atividades já mostrou otimismo ao projetar a forma ideal do grupo:

“Pegamos uma equipe que estava em uma condição física um pouco defasada e acredito que depois de três semanas podemos já pensar em 80 a 85% da forma física para que a gente consiga chegar na fase final dos Jemg e do Mineiro (outubro) a 5% do que poderemos apresentar ao longo da Superliga”, avaliou.

Bernardo, no fundo, explica circuito aos atletas em início de treino físico no ginásio da Faefid

Bernardo Miloski, no fundo, explica circuito aos atletas em início de treino físico no ginásio da Faefid

 

   Oposto é exceção

Um pouco atrás dos companheiros de equipe no condicionamento físico está o experiente oposto Ricardo Faccin. Recém-contratado pela Federal após indicação do técnico Alessandro Fadul, Faccin treina há pouco mais de uma semana com o grupo e, naturalmente, precisará de mais tempo para se igualar ao nível do restante do elenco juiz-forano.

“O Ricardo vai demorar mais um pouco. A ideia é que no jogo contra o Minas, daqui a duas semanas, ele possa estar no estágio que nossos atletas se encontram hoje”, projetou Miloski.

 

 Primeiro, força 

Neste processo de evolução física a musculação é capital, construindo uma base mais sólida para os posteriores treinamentos em quadra com bola. O time juiz-forano vem intercalando, em dois períodos, atividades na academia e no ginásio da Faefid.

“Da parte física, o nosso carro-chefe é o treinamento de força. Se formos pensar na parte física, 80 a 90% é feito na musculação, então isso é fundamental para a gente”, explicou Miloski.

Segundo da fila, de casaco, Faccin poderá ser utilizado contra Montes Claros, mas sem condições físicas ideias

Segundo da fila, de preto, Faccin poderá ser utilizado contra Montes Claros, mas sem condições físicas ideias

 

“Não podemos cair no trabalho físico”

Compartilhando a opinião de Miloski do momento de priorizar os trabalhos físicos, o comandante da equipe juiz-forana, Alessandro Fadul, revelou que os atletas terão que passar por partidas em que o corpo não responderá levemente pela carga de treinos durante a semana:

“Estamos mais fortes do que nas outras semanas. Sabemos que o jogo contra Montes Claros será ainda mais difícil que a partida anterior, mas não podemos cair no nosso trabalho físico. Se tivermos que jogar um pouco travado em função do trabalho de musculação que estamos fazendo, vamos jogar. O importante é melhorar fisicamente para aguentar a carga de trabalho e a temporada toda. Infelizmente começamos tarde, então temos que passar por situações de jogar travado, com carga de treino alta, porque esse é o momento que temos de ganhar fisicamente. Não dá para pensar em fazer isso quando a Superliga começar, é um sacrifício que temos que fazer nesse momento para ganhar lá na frente ao longo da temporada”.

 

Texto: Bruno Kaehler – Toque de Bola

Fotos: Toque de Bola

O Toque de Bola é administrado pela www.mistoquentecomunicação.com.br


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


17 fev 2018
Baeta perde na estreia do Módulo 2

17 fev 2018
Tupynambás estreia no Módulo 2 fora de casa

16 fev 2018
Com Leão ainda treinador interino, Tupi visita URT

13 fev 2018
Brilho de Léo Santana na seleção emociona JF. Veja depoimentos exclusivos

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse