24 out 2012

Mineiro: preparação deve começar em 10 de dezembro



O Tupi deve iniciar a preparação para o Campeonato Mineiro de 2013 em 10 de dezembro. De acordo com o vice-presidente do Futebol do clube, Cloves Santos, a data, que ainda não está definida, é indicação do preparador físico Luiz Augusto Alvim. Em entrevista concedida ao Toque de Bola, o dirigente afirmou que a situação dos jogadores do atual elenco segue incerta. A barca que deve deixar Santa Terezinha – a maioria dos jogadores tem contrato com término em 31 de outubro – depende da definição do treinador para a próxima temporada, já que Antônio Carlos Roy ainda não foi confirmado no cargo. Até mesmo os cinco jogadores que têm contrato com o clube ao menos até o final do Estadual não estão garantidos. Isso porque, segundo Cloves, mesmo com o rebaixamento para a Série D, houve valorização de alguns jogadores carijós. Leia abaixo, a entrevista com o homem forte do futebol do Tupi.

Toque de Bola: Inicialmente, queria que você revelasse a atual situação do elenco do Tupi em relação à próxima temporada. Quem sai, quem fica?

Se for mantido no cargo, caberá a Roy decidir quem vai e quem fica no Tupi

Cloves Santos: A situação dos jogadores ainda não está certa porque a gente está definindo primeiro a situação da comissão técnica, a permanência ou não do Roy. Também temos que fechar o orçamento para 2013. Enquanto não decidirmos se vamos colocar ou não um novo técnico, não vamos conseguir dar prosseguimento. Em relação aos jogadores, aqueles que estão com o contrato vencendo, deverão deixar o Tupi, a não ser que o Roy opte pela permanência. Neste caso, faríamos uma proposta.  Caso contrário, teremos que fazer uma renovação maior do que prevíamos.

TB: Os jogadores Wesley Ladeira, Assis, Henrique e Allan têm contrato com o Tupi até 15 de maio, após o final do Campeonato Mineiro. O do Ademílson vai até 30 de novembro de 2013. Como fica a situação desses jogadores? Permanecem para a próxima temporada?

CS: Tudo vai depender de uma avaliação, até mesmo quem tem contrato. Temos que ver se eles têm interesse em permanecer conosco. É hora de fazer essa avaliação. Ver quem estaria comprometido com o trabalho que vai ser feito para definir a permanência ou não. Alguns jogadores do Tupi tiveram uma valorização muito grande e não temos força econômica para competir com times do interior de São Paulo e Rio de Janeiro. Por isso, hoje ainda é muito prematuro para falar do planejamento para o ano que vem.

TB: Mesmo com o rebaixamento, jogadores do Tupi foram assediados por outros clubes?

CS: Durante todo o Campeonato Brasileiro da Série C nós sofremos assédio, assim como ocorreu no Mineiro. O Tupi hoje sofre assédio grande do interior de São Paulo e do Rio de Janeiro. Isso atrapalha um pouco o trabalho. Alguns jogadores conseguem continuar com o foco, mas outros acabam se perdendo com as propostas, o que eu acho até natural, já que são muito jovens. Não é nada que tenha sido fundamental para o descenso, mas atrapalha porque o foco fica um pouco dividido. É uma pressão a mais que sofríamos no dia a dia.

TB: Você já tem em mente como será a programação para o próximo ano? Quando os jogadores começam a trabalhar visando o Mineiro?

Até mesmo os jogadores que têm contrato, caso de Wesley Ladeira, não estão garantidos

CS: O que a gente entende como ideal, após conversa com o professor Luiz Augusto Alvim, é que o trabalho tivesse início em 10 de dezembro, com os exames tradicionais, para dia 15 a gente iniciar o trabalho físico. Depois, teríamos o recesso de Natal e, no início de janeiro, voltaríamos com força total. Esse é o planejamento ideal e seria importante que o elenco estivesse formado até lá. Mas, a vivemos um ano de eleição e dependemos do poder público. Ainda não sabemos quem será o novo prefeito da cidade. Teríamos que fazer um pré-contato para saber se será mantido aquilo que recebemos. Temos que conversar também com os nossos patrocinadores para ver se será mantido da forma como está. Temos algumas promessas, vamos ver se viram realidade… Para aí sim, a gente ter certeza do que será feito no ano que vem.  Mas é importante que em 10 de dezembro o grupo já esteja no início de trabalho.

TB: Quais as lições que ficam com a participação na Série C?

CS: Sempre falo que as principais lições devem ser tiradas nas vitórias, e não quando a gente perde. A derrota te faz buscar algumas explicações. Humildemente, entendemos que todo o trabalho que foi feito na Série C é o mesmo que vem sendo feito pelo presidente Áureo desde 2008. Obviamente que, começar um campeonato da Série C, que é muito nivelado, fazendo dois pontos em seis jogos, é muito complicado. A lição que fica é que sempre pensamos: temos que fazer o dever de casa e ter uma continuidade… Sabemos que o grande problema que sofremos foi a paralisação. Não conseguimos, nestes 45 dias, dar prosseguimento no trabalho. Temos que preparados para aquilo que não temos  ingerência. A paralisação pegou todo mundo de surpresa. Além disso, alguns jogos a gente não poderia ter perdido. Temos que aprender a criar um clima de final, gostar de jogar final. Acho que faltou isso na Série C, o que não ocorreu no Mineiro. A lição que fica é que a Série C pede mais clima de final, todo jogo é decisão. E a gente não soube lidar com isso.

TB: O que a diretoria do Tupi espera do time nesta partida contra a Chapecoense, que é para cumprir tabela?

CS: Todos que vestem a camisa do Tupi têm que honrá-la. A raça é a tradição, é a característica principal do Tupi.  A gente espera que eles honrem o nome do clube O Tupi é raça, determinação. Muitos cobram que faltou isso de alguns. A gente não vai entrar nesta discussão. Eu espero que a gente termine o campeonato com uma vitória. Não vencemos uma fora de casa. É a oportunidade que a gente tem agora, que o clima está mais leve, já que não estamos disputando nada. Alguns jogadores sentiram a pressão da decisão e lá vão jogar mais tranquilos. Vamos cobrar que eles honrem a camisa do Tupi e dêem o seu máximo.

Federação Mineira define caledário para 2013

A Federação Mineira de Futebol divulgou, recentemente, o calendário para as atividades do futebol profissional em 2013. De acordo com o planejamento, o Módulo I do Campeonato Mineiro será realizado entre os dias 27 de janeiro e 19 de maio. No mesmo período, ocorrerá o módulo II. A Segunda Divisão do Campeonato Mineiro tem início previsto para 7 de junho, com término estimado em 24 de novembro. Por fim, a Taça Minas Gerais será disputada entre os dias 4 de agosto e 24 de novembro.

Texto: Thiago Stephan


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


19 jan 2018
Futebol do Baeta apresenta Comissão Técnica para Módulo 2 e admite que está atrasado

18 jan 2018
Próximo adversário do Tupi, Uberlândia perde em casa. Veja como começou o Estadual

18 jan 2018
Tem de 12 a 16 anos e quer jogar basquete? Sexta é dia de cesta! Olha esse convite da Faefid-UFJF

17 jan 2018
“Barraco” no Poço Rico! Eleições do Tupynambás viram caso de polícia

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse