23 jul 2012

Moacir Júnior não é mais técnico do Tupi



Moacir Júnior não é mais o treinador do Tupi. A informação foi divulgada na tarde desta segunda-feira, 23, pela assessoria de imprensa do clube. O treinador não resistiu à má campanha que o clube vem realizando na Série C do Campeonato Brasileiro. São três derrotas e um empateem quatro jogos. Felipe Suriane, há quatro anos como auxiliar técnico do Tupi – trabalhou como Leonardo Condé, Ricardo Drubscky, Alexandre Grasseli e o próprio Moacir – assume interinamente o comando da equipe. É ele quem vai estar no banco no próximo desafio do Carijó na competição, sábado, 28, contra o Vila Nova, em Goiânia.

Moacir não crê em azar e revela reunião antes do jogo

De acordo com o comunicado oficial do clube, “durante sua segunda passagem à frente do Galo, Moacir Junior demonstrou, com seriedade e um jeito peculiar de trabalho, a competência que o tornou um dos melhores técnicos do futebol brasileiro: pegou o time vindo de três derrotas, no Campeonato Mineiro, e contribuiu para que o Galo ganhasse o título de Campeão Mineiro do Interior e a vaga na Copa do Brasil em2013”. O documento informa ainda que foi feito um acordo amigável entre as duas partes e que as portas estarão sempre abertas ao treinador, que sempre demonstrou carinho e apreço pelo Tupi.

Segundo a assessoria de imprensa do Carijó, a diretoria do clube fez o que estava a seu alcance para manter o treinador. “Desde a derrota para o Madureira (no dia 14), quando ele colocou o cargo à disposição, estamos tentando demovê-lo da ideia. Desde o empate de sábado (contra o Caxias) várias reuniões foram feitas com ele, mas infelizmente não foi o caminho seguido”, explicou o vice-presidente de Futebol, Cloves Santos.

Na coletiva que concedeu à imprensa na tarde desta segunda-feira, 23, Moacir Junior se definiu “bastante chateado” com a situação, com a posição do Tupi no campeonato e reforçou sua “identidade e história de amor com o clube”. Ele afirmou que no momento pretende descansar e ficar um pouco com a família e deixou um recado otimista para o torcedor: “Briguei até aos 46 minutos do segundo tempo (minuto do gol de Ademilson, o do empate contra o Caxias) e acho que o gol é o prenúncio de uma reação na Série C”, disse o treinador.

Durante a entrevista coletiva, o treinador justificou a sua saída do clube. “Naquele momento (ao final do jogo contra o Caxias), já havia em sentimento contraditório em relação ao que a gente trabalha no dia a dia e o que a gente prega, que no futebol só tem espaço para vencedores. Eu me considero em treinador vencedor, principalmente à frente do Tupi, um clube que me identifiquei de uma forma completa. Não tive, em momento algum, retaliação por parte de torcedores, imprensa, muito pelo contrário, apoio desde os mais simples até as autoridades da cidade, que pediram que paciência, mas houve uma transição. Cheguei aqui no Tupi com o objetivo de salvar o time do rebaixamento. Depois de conseguir, ainda fomos campeões do interior. Gerou-se uma expectativa muito grande, não só por parte do torcedor, da imprensa, da diretoria, de todos, de que o Tupi entraria na Série C de uma forma avassaladora. A suspensão da competição, a falta de patrocínio, os problemas extra-campo, aliados a alguns problemas familiares meus, foi dificultando o trabalho. Mas, mesmo assim, nos dois últimos jogos a gente mostrou uma evolução grande (…) Conversei ontem com a diretoria algumas situações que eu achava cabíveis para esse momento. Foram avaliadas de ambas as partes e, pela responsabilidade da diretoria e pelo pé no chão que se tem, optamos, de comum acordo, por parar por aqui, deixar o empate como um fio de esperança para uma nova trajetória com um novo profissional (…)”, disse Moacir Júnior em sua despedida.

Três despedidas no elenco

O volante Paulinho, o goleiro Eládio e o atacante Jefferson não participarão do elenco Carijó no restante do Campeonato Brasileiro da Série C. O primeiro voltou ao Atlético Mineiro, dono do seu passe, e os outros dois atletas foram emprestados ao Valério, de Itabira (MG), que vai disputar a terceira divisão do futebol mineiro. Paulinho estava no Tupi, emprestado pelo Galo da capital, desde janeiro e jogou algumas partidas no Estadual. Eládio atuou pelo alvinegro juiz-forano de 2006 a 2010, com um pequeno intervalo em 2008, e havia retornado em Santa Terezinha em março – foi titular do time B que disputou a Copa Integração de Futebol Regional. Jefferson estava no Tupi desde julho de 2011 e foi campeão brasileiro da Série D.

Texto com informações da assessoria de imprensa do Tupi.


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


21 fev 2018
Tupi x Atlético em JF: ingressos, transporte, acesso, estacionamento

20 fev 2018
Módulo 2: Jajá brilha, NAC lidera, juiz-forano apita e Baeta divulga preços

19 fev 2018
JF Vôlei tem semana de desafios seguidos em busca da reação na Superliga

17 fev 2018
Baeta perde na estreia do Módulo 2

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.