11 jul 2012

Jogando em casa e invicto, Madureira prega respeito ao Tupi



Respeito. Este é o sentimento que o técnico Luiz Cláudio e o gerente de futebol Carlos Garrit, ambos do Madureira, nutrem pelo Tupi, próximo adversário do Tricolor Suburbano, sábado, 14, às 15h, no Estádio Aniceto Moscoso, em Conselheiro Galvão. Mesmo a equipe do subúrbio carioca tendo 100% de aproveitamento e jogando em casa, ambos pregam respeito ao Carijó e apontam a equipe de Juiz de Fora como uma das candidatas às vagas para o mata-mata. “Dois resultados negativos no início da competição não tira nenhum credenciamento do Tupi, que merece todo o respeito”, destaca Garrit.

Série C: equipes do Rio de Janeiro lideram Grupo B após duas rodadas
Tupi conhece a segunda derrota na Série C: Macaé 4 a 2
Macaé: salários atrasados devem ser pagos antes da partida contra o Tupi

Para o técnico Luiz Cláudio, o início de competição da equipe juiz-forana surpreende. Ele disse conhecer o potencial do grupo carijó, acreditando na recuperação e luta por uma das vagas. Por isso ele espera dificuldades na terceira rodada da Série C. E, para conseguir a terceira vitória na competição, a aposta é no entrosamento do grupo. “O conjunto é a principal característica do Madureira. Após a vitória sobre o Duque de Caxias, fui perguntado sobre quem seria o destaque da partida. Respondi que a nossa melhor qualidade é o sentido de grupo. É um time que se gosta e se ajuda”, resumiu o treinador.

Jogando em Conselheiro Galvão, Madureira deve pressionar o Tupi (Foto:s site ofical do Madureira)

De acordo com o gerente de Futebol, realmente o entrosamento é o ponto forte da equipe, o que não ocorreu por acaso. “Cerca de 80% do time disputou o Campeonato Carioca. É um grupo jovem, com média de idade em torno de 23 anos. Aproximadamente 90% do elenco foi formado nas categorias de base do Madureira. Tivemos ainda seis contratações pontuais, mas de jogadores com passagem pelo clube. Caso do volante Rodrigo Lindoso, autor dos dois gols da vitória sobre o Duque de Caxias. É um conjunto muito bom”, destaca. O goleiro Márcio merece destaque. Ele tem fechado o gol na Série C.

Mesmo pregando respeito ao Carijó, Garrit afirma que, por jogar em casa, o Tricolor Suburbano tem responsabilidade maior com a vitória. “Mas sempre respeitando o adversário, ainda mais o Tupi, pelo qual temos grande carinho, inclusive pelo presidente”, afirma, relembrando alguns confrontos entre as duas equipes, como na Série D de 2010, quando o clube carioca conseguiu subir para a Série C. Naquele ano, as equipes se enfrentaram duas vezes. No Rio de Janeiro, vitória do Madureira por 1 a 0. Em Juiz de Fora, o Carijó deu o troco: 3 a 0.

Por fim, fugindo do lugar comum, o técnico Luiz Cláudio disse que o time que vai enfrentar o Tupi deve ser o mesmo que iniciou a partida contra o Duque de Caxias. Se isso realmente se confirmar, o Madureira terá a seguinte formação: Márcio; Diego Renan, Pessanha, Zé Carlos e Zeca; Gílson, Rodrigo Souza, Rodrigo e Carlinhos; Derlei e Bruno Luiz. Técnico: Luiz Cláudio.

Uma história ligada ao comércio

A história do Madureira Esporte Clube sempre esteve ligada ao comércio. Comerciantes locais decidiram fundar um grande clube e, através da fusão entre o Fidalgo Madureira Atlético Clube e o Magno Futebol Clube nasceu, em 16 de fevereiro de 1933, o Madureira Atlético Clube, que em 1971 passou a se chamar Madureira Esporte Clube. As cores do clube e seu escudo oficial são o azul, o amarelo e o grená.  

O clube é o oitavo em número de participações no Campeonato Carioca: são 66. O recorde brasileiro de permanência de um clube no exterior pertence ao Madureira: realizou 36 jogos em 144 dias no ano de 1961. O elenco viajou pela Europa, Ásia e Estados Unidos, obtendo 23 vitórias, três empates e dez derrotas. Marcou 107 gols – média de quase três gols por partida. Foi o primeiro clube de futebol brasileiro a visitar o Japão e Hong Kong, nesta excursão. Entre os principais resultados do Madureira figura a campanha de 2006, quando comandado por Alfredo Sampaio, sagrou-se vice-campeão carioca, após conquistar a Taça Rio.

Che Guevara posa com o time do Madureira quando o Tricolor passou por Cuba

Dois anos depois, foi a vez de o clube viajar pelas Américas. A viagem começou na Colômbia, seguiu pela Costa Rica, passando por El Salvador e México. Em Cuba, o Madureira fez um total de cinco jogos, vencendo todos: Industriales (campeão local, 5 a2), Municipalidad de Morrón, da Província de Camaguey (6 a1), um combinado universitário (11 a1) e uma seleção de Havana (vitórias por 1 a0 e 3 a2). A segunda, no dia 18 de maio, foi presenciada por Che Guevara, na época ministro da Indústria.

O Madureira é famoso por revelar bons jogadores para o futebol brasileiro, como Waldo Machado, Evaristo de Macedo, Jair Rosa Pinto, Lelé, Isaías, Marcelinho Carioca, Iranildo, Souza e Léo Lima.


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


21 maio 2018
Após assinar com ArcelorMittal, JF Vôlei estuda parceria diferente com Sada

21 maio 2018
Acabou o amor? Torcedor cobra reforços e qualidade em derrota do Tupi

20 maio 2018
Que fase! Tupi perde a quarta na Série C

19 maio 2018
Missão cumprida! Tupi Futsal traz a vaga e pega o Corinthians

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.