28 abr 2012

Tupi vende caro a derrota para o Atlético, que decide contra o América



O Tupi foi valente no confronto diante do Atlético-MG pela semifinal do Campeonato Mineiro. Após empatar por 0 a 0 em Juiz de Fora, o Carijó foi até Sete Lagoas neste sábado, 28, enfrentar o Galo da capital pelo jogo de volta da fase precisando vencer para chegar à final. Segurou o time atleticano na primeira etapa e teve boas chances de abrir o placar no segundo tempo. Mas, a bola não entrou. Coube a André, aos 25 minutos do segundo tempo, marcar o gol que selou a classificação do Galo.

Na decisão, o Atlético-MG terá pela frente o América, que derrotou o Cruzeiro neste domingo por 2 a 1,  neste domingo, 29, também na Arena do Jacaré. No primeiro encontro, também deu Coelho, por 3 a 2.

Após o jogo, atletas e comissão técnica do time de Santa Terezinha lamentaram o resultado, mas mostraram-se orgulhosos pela campanha realizada após o início com três derrotas no Mineiro.

Primeira etapa

Apoiado pela torcida, o Atlético-MG iniciou a partida partindo para cima do Tupi, a exemplo do que foi visto no início da primeira partida da semifinal. Apostando nas jogadas pela esquerda, nas costas do improvisado lateral Henrique, o clube da capital levava perigo com Marcos Rocha, Danilinho e Bernard, que, aos quatro minutos, chutou livre da meia-lua, assustando o goleiro Rodrigo.

Apesar da pressão, o Tupi conseguia manter a organização, com George fazendo marcação individual sobre Danilinho. Mas, na hora de atacar, o Carijó sentia dificuldade para sair da marcação imposta pelo Galo da capital. Aos 14 minutos, o Atlético-MG assustou mais uma vez. Após trama ofensiva, a bola foi tocada para Escudero. Ele chutou cruzado, com perigo, mas para fora.

Aos 23, a primeira chegada do Carijó. Flávio arriscou da intermediária, a bola desviou na zaga e ficou fácil para a defesa de Giovanni. No minuto seguinte, Michel Cury fez grande jogada pela esquerda, e cruzou rasteiro, mas ninguém chegou para concluir. Aos 30 minutos, Bernard fez boa jogada e rolou parara Fillipe Soutto, que bateu de primeira, mas para fora.

O Galo voltou a pressionar no final da primeira etapa. Aos 37, após jogada coletiva do ataque atleticano, a bola sobrou para Bernard, que chutou pela linha de fundo. Aos 38, Jaílton recebeu cartão amarelo após falta em Escudero. Na cobrança, Richarlyson encheu o pé para boa defesa de Rodrigo.

Após o árbitro apitar pela última vez no primeiro tempo, a torcida Atleticana ensaiou vaia na Arena do Jacaré. Na ida para o vestiário, o técnico Moacir Júnior comentou a primeira etapa: “Foi aquele sufoco que esperávamos. Jogadores do Tupi estão sendo briosos. Precisamos segurar mais a bola”, disse o treinador em pergunta do repórter Marco Aurélio, da Rádio Globo.

Michel Cury acrescentou que o time havia cumprido o seu primeiro objetivo: “Vamos ficar atentos porque a gente precisa do gol na segunda etapa. Fizemos o que queríamos no primeiro tempo, que era não tomar gol. Agora, é tentar acertar o último passe”, comentou. O atacante Allan também avaliou o resultado da primeira etapa: “Treinamos durante a semana para jogarmos fechadinho. Contra time grande não se pode abrir a guarda. Vamos voltar com a mesma pegada e aproveitar a pressão da torcida sobre eles para que a gente consiga sair com a vitória”, expôs.

Segundo tempo de emoções

O Tupi voltou com a mesma formação para a segunda etapa, enquanto no Atlético-MG, Cuca sacou Marcos Rocha para a entrada de Serginho. A mudança no Tupi que se viu foi de postura. Apesar de ter a mesma formação, a equipe de Juiz de Fora partiu em busca do gol da classificação. Logo aos 2 minutos, em contra-ataque, Henrique cruzou para Ademílson cabecear, mas sem força.

Aos  5 minutos, em nova subida, por pouco o Carijó não abriu o placar. Léo Salino tocou para Michel Cury bater com muito perigo ao gol de Giovanni. Pouco depois, aos 8, Léo Salino, em jogada individual, acertou um chutaço no travessão de Giovanni. Mais tarde, o técnico Moacir Júnior lamentaria as chances desperdiçadas.

Após assustar com a disposição do Tupi, o Galo da capital voltou a se encontrar na partida e por muito pouco não abriu o placar aos 13 minutos. Em cruzamento para a área, Réver cabeceou, mas novamente brilhou a estrela de Rodrigo, que nova grande defesa. Na sequência, Assis entrou no lugar de Jaílton. Pouco depois, André e Ademílson se estranham e recebem cartão amarelo. Léo Salino também foi punido ao parar contra-ataque. O Tupi voltou a assustar aos 22 minutos. Léo Salino tocou Henrique, pediu de volta, mas o baiano resolveu arriscar. A bola foi para fora.

Momento decisivo

Aos 25 minutos, após Mancini entrar no lugar de Escudero, o Atlético-MG abriu o placar. Danilinho cruzou da intermediária, André se antecipou à zaga e desviou para o fundo da rede. Precisando reverter o resultado, Moacir Júnior colocou Ulisses e Cassiano no lugar de Henrique e Flávio, respectivamente. O time de Juiz de Fora não desisitiu da partida.

Aos 35, George cobrou falta com perigo ao gol de Giovanni. Pouco depois, Mancini acertou lançamento para Bernard, que acertou um chutaço, exigindo mais uma grande defesa de Rodrigo. Aos 44, Allan quase deixou tudo igual, mas Giovanni garantiu a vitória atleticana. Final de jogo: Atlético-MG 1 x 0 Tupi.

Após a partida, os carijós mostraram-se orgulhosos pela campanha realizada no Mineiro. “Poderia ter sido diferente. Tivemos alguns contra-ataques. Mas futebol é isso… Mostramos força para recuperar no campeonato. Agora é levantar a cabeça para a Série C”, disse Léo Salino. “Nos esforçamos ao máximo. Fizemos um trabalho muito dedicado. Os jogadores estão de parabéns pela vontade”, avaliou Allan. “Valeu pela entrega. Vamos levantar a cabeça e nos preparar para a Série C. Jogamos com dignidade e de igual para igual com o Atlético”, comentou Wesley Ladeira. “Fizemos o possível para ajudar o Tupi. A gente fica chateado em sair. Mas o Tupi está de parabéns”, falou Rodrigo.

Em entrevista coletiva após a partida, o técnico Moacir Júnior lamentou as chances desperdiçadas no início da segunda etapa. “O primeiro tempo era para segurar. O segundo, para matar. A bola não entrou e acabamos morrendo”, expôs, dizendo-se de alma lavada pelo orgulho de representar Juiz de Fora.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO 1 x 0 TUPI
Motivo:
Campeonato Mineiro – Semifinal
Data: 28/4/12
Estádio: Arena do Jacaré
Cidade: Sete Lagoas (MG)
Público pagante: 7.301
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo e Marconi Helbert Vieira
Cartões amarelos: André, Bernard (Atlético); Jaílton, Léo Salino, George, Ademilson (Tupi)

Atlético
Giovanni; Marcos Rocha (Serginho), Lima, Réver e Richarlyson; Leandro Donizete, Fillipe Soutto (Neto Berola), Bernard e Escudero (Mancini); Danilinho e André. Técnico: Cuca.

Tupi
Rodrigo; Flávio (Cassiano), Wesley, Fabrício e Henrique (Ulisses); Jaílton (Assis), Léo Salino, George e Michel Cury; Alan e Ademilson. Técnico: Moacir Júnior.

Texto de Thiago Stephan, que acompanhou a partida ouvindo a Rádio Globo.

América na final

O América voltou a vencer o Cruzeiro, desta vez por 2 a 1, e está nas finais contra o Atlético. Veja texto sobre o jogo, publicado no site oficial do Coelho:

Com a Arena do Jacaré lotada pela torcida adversária, a equipe do América garantiu sua vaga à final do Campeonato Mineiro 2012, quebrando um tabu de 11 anos e antecipando o presidente de aniversário para o torcedor alviverde. O clube comemora nesta segunda-feira (30/04), com uma cerimônia de gala no Palácio das Artes, seus 100 anos de glórias. A classificação com uma vitória incontestável por 2 a 1 sobre o Cruzeiro, nesta tarde de domingo, fecha uma semana iluminada para o Coelho, que na quarta-feira inaugurou seu novo estádio, a moderna Arena Independência, também com vitória por 2 a 1 sobre o Argentinos Juniors.

Apesar de precisar apenas de um empate por ter vencido o primeiro jogo por 3 a 2, o América começou arrasador. A torcida, embora em menor número na arquibancada, colocava o time pra frente, que correspondia em campo com muita garra e confiança na vitória.

E logo aos dois minutos, Alessandro deu uma reposta às provocações do meia Róger. Em um ataque fulminante pela esquerda, Rodriguinho cruzou a bola na pequena área. Alessandro dividiu com o zagueiro Victorino, que acabou completando contra o próprio gol. América 1 a 0, para o delírio da torcida americana e desespero para os rivais.

O time continuou dominando e várias oportunidades foram criadas ainda no primeiro tempo. Em um descuido aos 27 minutos, o atacante Wellington Paulista empatou para Cruzeiro. Antes, porém, o goleiro Neneca evitou o gol celeste, ao defender uma cobrança de pênalti do próprio Wellington Paulista. No fim da etapa, Fábio Júnior ainda perdeu a chance de ampliar em cobrança de falta, mas acertou o travessão.

PRESSÃO E VAGA

O segundo tempo também foi eletrizante, pois as equipes partiram para o ataque em busca do gol. O Cruzeiro tentava pressionar, mas o América, com segurança, anulava as tentativas do adversário e criava as chances de matar o jogo. Fábio Júnior, Alessandro, Bruno Meneghel e Moisés desperdiçaram as chances criadas, tornando o jogo perigoso e tenso.

O Cruzeiro partia pra cima, no desespero. O técnico Givanildo Oliveira colocou o volante China no lugar de Rodriguinho e, logo depois, Bruno Meneghel entrou na vaga de Alessandro. Absoluto em campo e empurrada pela torcida, o Coelho poderia ter despachado de vez o Cruzeiro em um lance que o volante China não aproveitou, ao tentar por cobertura um lançamento de Bruno Meneghel. Minutos depois, o mesmo Bruno cruzou para Fábio Júnior, que completou o gol e decretou a classificação americana.

No final do jogo, enquanto os americanos faziam festa em campo, alguns jogadores do Cruzeiro tentavam agredir o volante Dudu, mas foram impedidos pelos próprios jogadores e seguranças dos dois clubes.

Agora, o time folga na segunda-feira, para comemorar seu centenário, e volta aos treinos na terça-feira pela manhã, quando inicia sua preparação para o primeiro jogo da final contra o Atlético.

FICHA TÉCNICA

Cruzeiro 1 x 2 América

Data: 29 de abril de 2012, domingo

Horário: 16h

Local: Arena do Jacaré

Público: 17.780

Renda: R$301.56,00

Árbitro: Luis Flávio de Oliveira

Auxiliares: Rodrigo Pereira Jóia e Roberto Braatz

Cartões amarelos: Wellington Paulista, Everton, Léo – Cruzeiro; Everton Luis, Leandro Ferreira, Fábio Júnior, Dudu, Rodrigo Heffner – América

Cartão vermelho – Léo

Gols: Wellington Paulista (27’ – 1º tempo) – Cruzeiro; Victorino (2’ – 1º tempo), Fábio Júnior (47’ – 2º tempo) – América

Cruzeiro

Fábio; Diego Renan (Élber), Victorino (Amaral), Léo, Everton; Leandro Guerreiro, Marcelo Oliveira (Wallyson), Roger, Montillo; Wellington e Anselmo Ramon.

Técnico: Wagner Mancini

América

Neneca; Rodrigo Heffner, Gabriel, Everton Luiz, Bryan; Dudu, Leandro Ferreira, Moisés, Rodriguinho (China); Alessandro (Bruno Meneghel) e Fábio Júnior.

Técnico: Givanildo Oliveira

 

 

 

 

 

 


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


19 out 2017
Oficial: Tupi informa que treinador Aílton Ferraz não fica no clube

19 out 2017
Copa Toque de Bola de Futsal: Academia destaca “movimento esportivo” gerado pela competição

19 out 2017
Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador: resultados e próximos jogos

18 out 2017
Faefid-UFJF recebe nota máxima em avaliação, foca em “atuar com pessoas” e vê trabalho dobrado

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.