04 jan 2012

Jardel: força e velocidade para vencer bloqueios e adversários



Juiz de Fora (MG), 4 de janeiro de 2012 

O central (meio de rede) costuma ser o mais alto do time de vôlei, já que sua função mais forte é o bloqueio. Desse jogador, é exigida bastante agilidade para puxar as chamadas bolas “rápidas”, lance onde o levantador manda uma bola muito baixa e veloz. Rodrigo Alves dos Santos, mais conhecido como Jardel, ocupa essa posição e sabe muito bem da sua importância e responsabilidade no time de vôlei da UFJF.

 Veja cobertura completa dos jogos da UFJF, com entrevistas exclusivas, em nosso canal de TV.

“Tenho total consciência da minha importância para o time. Sei o motivo pelo qual fui contratado. Nunca tive tão bem fisicamente. Me adaptei bem ao trabalho do Jaime. Psicologicamente estou tentando me preparar ao máximo dentro da nossa realidade do campeonato. Esses jogos que vêm agora são decisivos para nós. Tudo que tiver ao meu alcance farei”, enfatiza o jogador, o melhor ranqueado da equipe (5 pontos), de acordo com a CBV.

O atleta começou no vôlei aos 13 anos e na época já tinha uma altura acima da média: “Isso foi decisivo para que eu fosse direcionado para a posição de central, pois os técnicos procuravam atletas mais altos”. Jardel sempre praticou esportes, desde judô e natação aos esportes básicos como futsal. “Nunca tinha pensado em ser atleta federado. Comecei na escolinha de vôlei do colégio onde minha mãe trabalhava na Barra da Tijuca (Rio de Janeiro). Os alunos da minha mãe me motivaram a fazer teste em time profissional e o professor da escolinha sugeriu que eu fizesse no Fluminense”, conta Jardel.

O central topou o desafio e, no teste, o técnico do Fluminense pediu para ele fazer um ataque para ver o resultado: “Fiz um ataque tão forte que levei até a rede, o que me rendeu uma cicatriz na mão. O técnico falou ‘achei meu central’”. Jardel ficou por quatro anos no Fluminense e nesse meio tempo começou a frequentar as seleções cariocas. Daí surgiu a oportunidade de ir para o Olímpicos, depois de uma peneira. Antes de chegar à UFJF, Jardel jogou em sete times do Brasil e um da Itália. Na Superliga, se destacou por quatro temporadas como o melhor saque do torneio.

“Tendo uma reunião com o técnico Maurício Bara e vendo que o projeto do vôlei é realmente sério e também pela pessoa do Bara, optei por vir para o time da UFJF. O Bara é um profissional muito correto. Independente dele ser o pai do projeto, procura ver o lado de todos. Não é só trabalho, trabalho. São 20 seres humanos e não 20 robôs. A seriedade dele e do projeto foi o que me deixou mais tranquilo na minha escolha”, explica Jardel.

O central da UFJF ressaltou que os próximos cinco jogos são fundamentais para definir o futuro da UFJF na Superliga. “Os três primeiros pontos foram importantes. Conseguimos corresponder às expectativas. No sábado queremos buscar a vitória em casa. A torcida vem nos cobrando e apoiando. Se apoia e prestigia, tem direito de cobrar os resultados. Nesse sábado é um confronto direto. Eles ganharam pontos de duas equipes (Minas e Sesi) que estão brigando pelo título. Sabemos que não será fácil”. Jardel explica que para se aproximar do time dos oito, essa vitória contra o BMG/São Bernardo neste sábado (07), é importante: “Como falamos, a vitória é de 6 pontos, porque se ganharmos fazemos três pontos e eles deixam de fazer três pontos”.

A UFJF enfrenta o BMG/São Bernardo neste sábado, 07, às 19h, no ginásio da UFJF, pela 6ª rodada da Superliga.

Vôlei da UFJF

Patrocinador: Camilo dos Santos

Apoios: Ortra, Pré-universitário, Cesama, Gsport e Victory Suites

 Texto e foto: Assessoria de Imprensa 

 

 

 

 


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


21 abr 2018
Gol de Adê, 43 anos, aos 43 minutos! Baeta vence e sobe

19 abr 2018
Baeta confiante para buscar o “combo”: vitória, acesso e vaga na final

19 abr 2018
Futsal: Léo Aleixo vibra com títulos e adaptação da família na Bélgica

19 abr 2018
Copa Prefeitura Bahamas de Futsal: resultados do Boletim 6

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.