12 nov 2011

Santa Cruz: o calvário, a Série D e o despertar do gigante



Juiz de Fora (MG), 12 de novembro de 2011

O Santa Cruz, time com uma das mais apaixonadas torcidas do Nordeste, é o adversário do Tupi na decisão do Campeonato Brasileiro da Série D. O Tricolor Pernambucano tem tradição. Fundado em 1914, já revelou grandes craques, conquistou 25 títulos estaduais e foi semifinalista do Campeonato Brasileiro de 1975. Mas, a partir de 2006 o Cobra Coral teve início a decadência do futebol do clube. Foram cinco anos de sofrimento para a torcida até o acesso em 2011. Uma história regada a lágrimas, que agora dão lugar ao sorriso aberto: o Santa finalmente conseguiu uma ascensão. Ainda é pouco: eles querem mais. Querem títulos e novos acessos. Só assim o clube poderá voltar a ocupar o lugar que a história lhe reserva no futebol brasileiro.

Os anos de calvário até a Série D

Em 2006, o Santa Cruz disputou o Campeonato Brasileiro da Série A. Aos final das 38 rodadas, o São Paulo foi o campeão. Na outra ponta da tabela estava a equipe pernambucana, que terminou na última posição, sendo rebaixada. Em 38 jogos, o Santa marcou 28 pontos. Foram sete vitórias, sete empates, 24 derrotas e saldo de 35 gols negativos. Também caíram São Caetano, Fortaleza e Ponte Preta.

No ano seguinte, a disputa para voltar à Elite do futebol brasileiro terminou mal. A competição de garantiu o acesso de Coritiba, Ipatinga, Portuguesa e Vitória também rebaixou Paulista, Santa Cruz, Remo e Ituano à Terceira divisão do Brasileirão. O Coral terminou em 18º, com 42 pontos marcados. Foram dez vitórias, 12 empates e 16 derrotas: saldo negativo de 18 gols.

Em 2008, o sentimento que as coisas não poderiam piorar traiu a apaixonada torcida, que não acreditou ao ver o time do coração sendo rebaixado pelo terceiro ano consecutivo. Neste ano a CBF decidiu pela criação da Série D do Brasileirão, que teria a primeira edição no ano seguinte. Com isso, os 20 melhores da Série C estariam garantidos nesta divisão para o ano seguinte, com exceção de quem conseguiu o acesso. Os demais, teriam que remar na Série D.

O Tricolor conseguiu classificação suada primeira fase: ficou em segundo no Grupo 5, que tinha Campinense (1º), Potiguar e Central. Mas, não conseguiu se garantir nas oitavas de final. Ficou em último no grupo com Salgueiro, Campinense e Icasa. Assim, o dia 24 de agosto daquele ano foi um dos mais tristes para a torcida tricolor. O empate em 1 a 1 contra o Campinense, no Arruda, decretou o rebaixamento para a Série D. O empate do adversário saiu aos 43 minutos do segundo tempo. Choro no Arruda.

Vida que segue. Em 2009 o Santa Cruz de preparou para disputar a Quarta Divisão. Nova tristeza para os torcedores com a eliminação na primeira fase. No Grupo com Central (PE), Sergipe e CSA (AL), o Tricolor terminou em último. Nas arquibancadas do Arruda, a torcida dava provas do seu sentimento: os três maiores públicos da competição foram registrados no estádio.

Em 2010, o Santa Cruz conseguiu passar da primeira fase. Terminou em segundo no Grupo A4, atrás do CSA (AL) e à frente do Confiança e Potiguar. Mas, na fase seguinte, acabou eliminado pelo Guarany, de Sobral. Sofrimento sem fim…

Mas chegou 2011, ano que enfim trouxe alegria para a fanática torcida do Santa Cruz chegaram ao fim, não só na Série D, mas também no Campeonato Pernambucano, título conquistado no primeiro semestre. O gigante acordou…

A campanha vitoriosa

O Tricolor terminou a primeira fase da Série D deste ano em segundo lugar no Grupo A3, que também tinha Santa Cruz (RN), Guarani (CE), Alecrim (RN) e Porto (PE). Os dois xarás avançaram na competição. Nas oitavas de final, classificação apertada contra o Coruripe (AL): 1 a 0 no Arruda e 0 a 0 no jogo de volta. O acesso à Série C estava perto.

Veio então as quartas de final. Se passasse, o Tricolor Pernambucano garantia a vaga na Série C. O adversário: Treze (PB), que estava disposto a estragar a festa. No primeiro jogo, na Paraíba, empate em 3 a 3. No duelo de volta, no Arruda, um suado 0 a 0. Enfim, o Santa Cruz garantiu o tão sonhado acesso. Festa para a parcela preta, vermelha e branca de Recife.

Após a festa, novo compromisso, agora pela semifinal da Série D. Com duas vitórias diante do Cuiabá (MT) – 1 a 0 e 2 a 1 – a vaga na decisão estava garantida. O adversário será o Tupi, em um capítulo da história dos dois clubes que ainda está para ser escrito.

Para chegar à decisão, o Santa Cruz teve sete vitórias, empatou seis e perdeu uma partida. Fez 17 gols e sofreu 10.

Texto: Thiago Stephan


Voltar

Uma Resposta to “Santa Cruz: o calvário, a Série D e o despertar do gigante”

  1. ercelino pereira
    13/11/2011 às 7:44

    parabems pelo artigo sobre o santa cruz mas chegou a hora da virada o gigante acordou vamos colocar 60mil tocedores no proximo domingo não sei se somos apaixonado ou doidos pelo mais quericdo do nordeste

Deixe uma resposta

Notícias


18 jan 2018
Próximo adversário do Tupi, Uberlândia perde em casa. Veja como começou o Estadual

18 jan 2018
Tem de 12 a 16 anos e quer jogar basquete? Sexta é dia de cesta! Olha esse convite da Faefid-UFJF

17 jan 2018
“Barraco” no Poço Rico! Eleições do Tupynambás viram caso de polícia

17 jan 2018
Cruzeiro x Tupi: choque de realidades marca estreia do Carijó no Campeonato Mineiro

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse