24 abr 2011

Bonde do Fla segura os guerreiros do Flu e acelera para a decisão



Rio de Janeiro, 24 de abril de 2011

O Flamengo sofreu, mas conseguiu vaga na decisão da Taça Rio. Depois de sair em desvantagem no placar, o time comandado por Vanderlei Luxemburgo buscou o empate por 1 a 1 e levou a melhor nos pênaltis por 5 a 4, após sete cobranças de cada lado. O rival na decisão do segundo turno do Carioca será o Vasco, que no sábado bateu o Olaria.

O clássico das semifinais teve de tudo: craque vetado no vestiário, paralisações por falta de luz, muita chuva. E um final eletrizante, como tem se tornado tradição nos duelos decisivos entre os grandes do Rio.

O Fluminense chegou ao duelo embalado pela vitória heroica de quarta-feira, quando foi a Buenos Aires e venceu o Argentinos Juniors por 4 a 2, garantindo uma improvável classificação às oitavas de final da Libertadores.

As más notícias para o Flamengo começaram antes mesmo de a bola rolar. Ronaldinho Gaúcho, com uma lesão no joelho esquerdo, foi vetado após teste no vestiário do Engenhão. Mal o jogo havia começado, o time da Gávea teve outra baixa: Léo Moura lesionou o joelho direito e também deixou o gramado.

Mas os comandados de Vanderlei Luxemburgo não se abalaram e mantiveram as chances de conquistar o título estadual por antecipação. Para isso, será necessário superar o Vasco na Taça Rio, já que o Flamengo levou a taça Guanabara.

O jogo

Sob chuva, o clássico começou com as duas equipes buscando sair para o ataque sem abrir muito a defesa. Com isso, a bola ficou muito entre as duas intermediárias. A primeira boa chance de gol aconteceu aos quatro minutos. O volante Diguinho fez boa jogada individual pelo meio, tocou para Rafael Moura do lado direito da área. O atacante viu a chegada do goleiro Felipe e cruzou para Fred. No entanto, o atacante tricolor, pressionado por dois zagueiros, cabeceou por cima do travessão rubro-negro.

Três minutos depois, Rafael Moura foi lançado e ficou de frente para Felipe. O atacante tricolor caiu após passar pelo goleiro, mas o árbitro marcou simulação e deu cartão amarelo para o jogador. No lance que originou o ataque, o lateral direito Leonardo Moura lesionou o joelho e teve que ser substituído por Galhardo.

Aos 12 minutos, os refletores do Engenhão apagaram e o árbitro parou o clássico. Após dez minutos, as luzes começaram a voltar e a partida foi reiniciada. No entanto, pouco depois do reinício, os goleiros reclamaram e novamente o jogo foi paralisado até que os refletores acendessem por completo.

Depois da partida voltar, o Fluminense seguiu melhor em campo e quase abriu o placar aos 16 minutos. Rafael Moura arriscou de fora da área. A bola bateu na zaga e Felipe defendeu no susto, em dois tempos. No entanto, não demorou muito e os tricolores fizeram o primeiro no Engenhão. Após falta cobrada na área aos 21, Gum subiu mais que a zaga e cabeceou. O atacante Rafael Moura estava no meio do caminho, em impedimento, e desviou para a rede.

Após o revés, o Flamengo tentou equilibrar o jogo, mas o que se viu foi uma série de divididas ríspidas. Quem voltou a assustar foi o Fluminense, aos 29 minutos. Fred recebeu dentro da área, girou e chutou. O goleiro Felipe espalmou para a frente da área e a zaga tirou o perigo.

Somente aos 34 minutos, o Flamengo conseguiu criar uma chance de real perigo. Diego Maurício foi lançado na área e chutou cruzado. O goleiro Ricardo Berna se esticou e tocou na bola. O zagueiro Edinho chegou antes de Wanderley e colocou para escanteio, salvando o Tricolor de sofrer o empate.

O lance fez com que o Fluminense diminuísse o ritmo e partisse para o ataque com mais calma. O Flamengo tentava criar boas chances, mas parava na boa marcação tricolor. Com isso, a partida ficou em um ritmo mais lento até o intervalo.

Na volta para o segundo tempo, o Fluminense dominou as ações e logo com dois minutos quase ampliou. Fred cobrou falta, Felipe espalmou, Mariano pegou o rebote e finalizou para nova defesa do goleiro rubro-negro.

O lance fez com que o Flamengo buscasse o equilíbrio da partida. No entanto, o Fluminense era melhor e conseguiu criar nova chance aos 11 minutos. Após Mariano ganhar a dividida de Wellinton, a bola sobrou para Fred, na pequena área. O atacante chutou muito cruzado e a bola foi pela linha de fundo.

A resposta rubro-negra veio três minutos depois. Thiago Neves foi lançado na área, mas na hora de finalizar a bola caiu em seu pé ruim, chutando pela linha de fundo. Depois da oportunidade, o Flamengo conseguiu equilibrar a partida e passou a frequentar mais o campo de ataque tricolor.

Em pouco tempo o Flamengo chegou ao empate no Engenhão. Aos 21 minutos, a bola foi levantada na área tricolor e Thiago Neves se antecipou a Valencia para cabeceou sem chance para Ricardo Berna.

O gol incendiou o Flamengo, que permaneceu melhor em campo e quase conseguiu a virada aos 25 minutos. Diego Maurício fez boa jogada individual pela esquerda. No entanto, em vez de cruzar, o atacante rubro-negro tentou finalizar e acabou colocando nas mãos de Ricardo Berna para o desespero dos flamenguistas.

Quando o Flamengo era melhor em campo, foi o Fluminense que desperdiçou ótima chance aos 36 minutos. Após contra-ataque rápido, a bola foi lançada para Marquinho. O meia ficou de frente para Felipe, mas chutou por cima do gol rubro-negro. Nos minutos finais, o Fluminense foi quem pressionou, mas o confronto foi para a decisão de pênaltis.

Nas penalidades, Fred abriu a série fazendo o seu. Na sequência, Renato Abreu chutou e Ricardo Berna defendeu. O meia Souza bateu por cima do gol de Felipe. Logo depois, foi a vez de Deivid fazer o primeiro dos rubro-negros. Na terceira cobrança, Edinho colocou no ângulo, sem defesa para o goleiro. O jovem Galhardo deixou tudo igual com boa batida no canto. O argentino Conca colocou o Fluminense novamente na frente. Seu compatriota Bottinelli também fez o seu e igualou a contagem. Na quinta série, Araújo cobrou no canto, mas Felipe defendeu. No entanto, Thiago Neves bateu e Ricardo Berna se esticou para impedir o fim.

Nas cobranças alternadas, o zagueiro Gum colocou com categoria, deslocando Felipe. O também zagueiro David também bateu com categoria e igualou o marcador novamente. O atacante Tartá cobrou e Felipe, de novo, acertou o canto para defender e deixar o Flamengo na frente. Para definir, o jovem Diego Maurício bateu no ângulo e colocou os rubro-negros na final.

Texto: www.espn.com.br

Foto: Bruno de Lima/Vipcomm


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


14 dez 2017
JF Vôlei recebe Corinthians-Guarulhos pela última rodada do turno. Veja panorama completo da Superliga

13 dez 2017
Confira o ranking atualizado da Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador

11 dez 2017
Copa Zico Verão Juiz de Fora: resultados e galeria de fotos

09 dez 2017
Copa Zico Verão Juiz de Fora é atração no Centro de Futebol Zico. Com novidades extra-campo!

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse