22 abr 2011

Árbitro juizforano escalado em jogo decisivo na Superliga feminina



Belo Horizonte, 22 de abril de 2011

O Sollys/Osasco (SP) está a apenas uma vitória da 10ª final seguida da Superliga Feminina 10/11. Às 10h, deste SÁBADO, 23, no ginásio Plácido Rocha, em Araçatuba (SP), as atuais campeãs da competição enfrentarão o Vôlei Futuro (SP) pela segunda partida da série melhor-de-três da semifinal. O time da casa precisa da vitória para forçar o terceiro jogo. A TV Globo e a Sportv transmitirão ao vivo.O árbitro juizforano Anderson Caçador, já premiado com o Mérito Esportivo Panathlon, vai atuar na partida.

No primeiro duelo da série, realizado na última quarta-feira, o Sollys/Osasco venceu o time de Araçatuba, que chega pela primeira vez nesta fase da competição, por 3 sets a 0. Na partida brilhou a estrela da campeã olímpica Carol Albuquerque, que deixou o caminho livre para suas atacantes e ganhou o Troféu VivaVôlei como melhor atleta da partida. Apesar da pequena vantagem na série, a jogadora sabe que nada está definido no confronto.

“Jogar em Araçatuba é sempre complicado porque o ginásio estará lotado e a bola flutua bastante. É um jogo em que o detalhe sempre faz a diferença. Aquela bola boba que cai no início do set pode fazer a diferença no final. Por isso, precisamos desde o início entrar concentradas e focadas”, afirma a atleta.

Companheira de Carol no time de Osasco, a líbero Camila Brait, que lidera as estatísticas de recepção da Superliga com 66,67% de aproveitamento, chama a atenção para a desatenção apresentada pela equipe no início da primeira partida contra Vôlei Futuro quando o time chegou a estar perdendo por uma diferença de quatro pontos.

“Não podemos entrar dando mole, como no primeiro set da partida anterior. Elas virão com tudo e com uma motivação extra. Por isso, temos que atuar igual fizemos no segundo e terceiro sets da primeira partida. Temos que tentar abrir uma vantagem no marcador e em nenhum momento deixar elas encostarem”, diz a jogadora.

Para o Vôlei Futuro é vencer ou vencer

Para continuar vivo na Superliga, o Vôlei Futuro precisa da vitória para forçar a terceira partida da série. Caso necessário, o jogo será realizado na próxima TERÇA-FEIRA (26.04), às 20h30, no ginásio José Liberati, em Osasco (SP).

O time de Araçatuba está desfalcado da líbero norte-americana Stacy Sykora. A jogadora está internada no hospital Sírio-Líbanes, em São Paulo, recuperando-se de um traumatismo crânioencefálico e de pequenas hemorragias no lado esquerdo do cérebro. A jogadora não voltará a atuar nesta Superliga. Na primeira partida da série, Stephany substituiu a atleta.

RAIO-X DAS EQUIPES

SOLLYS/OSASCO

Ataque – 2º lugar (23,30%)

Bloqueio – 1º lugar (24,71%)

Saque – 1º lugar (5,53%)

Defesa – 2º lugar (56,05%)

Levantamento – 1º lugar (26,74%)

Recepção – 1º lugar (61,42%)

 

VÔLEI FUTURO

Ataque – 5º lugar (22,20%)

Bloqueio – 5º lugar (21,93%)

Saque – 11º (3,39%)

Defesa – 4º lugar (33,47%)

Levantamento – 4º lugar (20,54%)

Recepção – 7º lugar (37,56%)

 

TERCEIRA RODADA (CASO NECESSÁRIO)

26.04 (TERÇA-FEIRA) – Sollys/Osasco x Vôlei Futuro, às 20h30, no ginásio José Liberatti, em Osasco (SP) SPORTV

Texto: Assessoria de Imprensa – CBV

 


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


19 fev 2018
JF Vôlei tem semana de desafios seguidos em busca da reação na Superliga

17 fev 2018
Baeta perde na estreia do Módulo 2

17 fev 2018
Tupynambás estreia no Módulo 2 fora de casa

16 fev 2018
Com Leão ainda treinador interino, Tupi visita URT

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse