12 fev 2011

O xerife do Jequitinhonha



A volta de Fabrício Soares ao time renova as esperanças do Tupi

Juiz de Fora (MG), 12 de fevereiro de 2011

Ele tem 32 anos, 1,77 m e está há um ano e meio no Tupi. Nascido no Vale do Jequitinhonha, Fabrício Soares é homem de confiança do técnico Leonardo Condé e um dos atletas mais experientes do atual elenco do Tupi. Passou por diversos times antes de chegar a Juiz de Fora, mas sempre atuou no futebol mineiro. Com a camisa carijó, ele vai guardar com carinho a vitória por 3 a 2 sobre o Cruzeiro no Mineiro de 2010, quando vez o gol da virada. Nesta temporada, em sua ausência, o Tupi foi goleado pelo Atlético, por 4 a 1, em See Lagoas. Agora, ele retorna ao Alvinegro e cobra atitude de todos para que a equipe conquiste a primeira vitória no Estadual (http://toquedebola.esp.br/noticias/2011/02/galo-carijo-afia-as-esporas-para-encarar-a-pantera/). Conheça um pouco mais o xerife da defesa carijó.

Toque de Bola: Qual a sua idade e onde você nasceu?

Fabrício Soares: Sou de Salto da Divisa, no Norte de Minas, próximo ao Vale do Jequitinhonha. Tenho 32 anos.

TB: Quais as suas características como jogador?

Fabrício: Sou um atleta técnico, já rodado. Espero ajudar a equipe com a minha experiência e correndo bastante também.

TB: Onde você começou no futebol profissional e como foi sua trajetória até chegar ao Tupi?

Fabrício: Iniciei no Villa Nova, de Nova Lima, clube onde eu participei das categorias de base. Subi para o profissional no segundo ano de júnior. De lá, fui emprestado para o Democrata, de Governador Valadares. Joguei só em clubes mineiros. O último foi o América, vindo depois para o Tupi, onde estou há um ano e meio.

TB: Como foi a sua adaptação ao clube de Juiz de Fora?

Fabrício: A adaptação foi muito boa, até porque o pessoal é muito humilde, mas faz de tudo para nos dar boa condição dentro dos limites do clube. E isso está me surpreendendo muito. Muitos atletas que chegam de outros times vêem a qualidade que o Tupi tem e são recebidos de braços abertos. E também tem a torcida, que sempre nos apóia. Por isso, temos que mostrar força de vontade e disposição para buscar as vitórias para o Tupi.

TB: Qual foi o seu jogo inesquecível com a camisa carijó?

Fabrício: Foi a partida contra o Cruzeiro, no ano passado, quando tive a felicidade de fazer um gol. Já tinha bastante tempo que o Tupi não vencia o Cruzeiro e eu participei dessa partida fazendo gol e ajudando o time a vencer. Assista. ((http://www.youtube.com/watch?v=OBoZ5_z2X5s).

TB: Ao longo da sua carreira, você teve a oportunidade de jogar com inúmeros companheiros de zaga. Teve algum que você destacaria?

Fabrício: Na realidade, é até complicado responder essa pergunta. Já joguei com vários atletas super bons de bola, de muita qualidade. Aqui mesmo tem o João [Júnior], o Léo Devanir, já joguei com o Welington Paulo, o Dênis… Escolher um seria complicado. Mas posso afirmar que o Tupi está bem servido com o João Júnior, o Léo e o Wesley Ladeira.

 Texto: Thiago Stephan


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


21 jan 2018
Virose no Carijó? Dirigente admite possibilidade, mas não quer usar como desculpa

19 jan 2018
Futebol do Baeta apresenta Comissão Técnica para Módulo 2 e admite que está atrasado

18 jan 2018
Próximo adversário do Tupi, Uberlândia perde em casa. Veja como começou o Estadual

18 jan 2018
Tem de 12 a 16 anos e quer jogar basquete? Sexta é dia de cesta! Olha esse convite da Faefid-UFJF

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse