09 out 2011

Botinelli é o herói em mais um Fla-Flu eterno: 3 a 2. Corinthians toma liderança do Vasco. Vettel é bicampeão mundial de Fórmula 1



Rio de Janeiro (RJ), 9 de outubro de 2011

Pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Flamengo derrotou o Fluminense de virada por 3 a 2, de virada, com dois gols nos últimos minutos, ambos marcados por Botinelli, cobrando falta, aos 41, e chutando colocado, no canto, de fora da área, aos 45.

Depois de um primeiro tempo sem gols, o Fluminense vencia por 2 a 1, gols de Rafael Sóbis e Lanzini, contra um de Thiago Neves. O tricolor dominava a partida e perdeu várias chances antes e depois de estar em vantagem. O treinador Abel Braga e os jogadores tricolores reclamaram bastante da arbitragem.

No Beira-Rio, o Vasco foi derrotado pelo Internacional por 3 a 0, todos os gols marcados no segundo tempo. Como o Corinthians derrotou o Atlético-GO por 3 a 0, todos os gols no primeiro tempo, o Timão reassumiu a liderança da competição. Os gols foram de Leandro Castan, William e Alex. O atacante Adriano estreou, sendo lançado aos 35 minutos do segundo tempo, e quase tendo uma oportunidade de concluir – chegou atrasado.

Na Vila Belmiro, o artilheiro do Brasileiro, Borges, marcou o gol da vitória do Santos sobre o Palmeiras por 1 a 0.

Outros resultados foram: Avaí 3×0 Atlético PR e Ceará 1×1 Figueirense.

Jogos de sábado

Três partidas deram sequência, neste sábado, à 28ª rodada do Campeonato Brasileiro, começando às 18h: Botafogo 2×2 Bahia, América 0x0 Atlético MG e Coritiba 2×0 Grêmio.

O Botafogo, sem Loco Abreu, servindo à seleção uruguaia, e Herrera, suspenso, recebeu o Bahia do “papai” Joel Santana em São Januário – o Engenhão ficou comprometido com o show do ídolo teen Justin Bieber. O clube carioca precisava vencer para abafar o início de crise provocado pelas declarações do presidente, depois da derrota para o Atlético-GO, dizendo que a equipe não sabe atuar fora de casa e provocando mal-estar com o técnico Caio Júnior.

O Bahia marcou primeiro com Souza, na etapa inicial. Helder foi expulso e o Botafogo ficou com um a mais. No segundo tempo, o Botafogo fez dois gols em um minuto e virou para 2 a 1, com boas participações, nos gols, de Elkeson e do atacante juiz-forano William, lançado na segunda etapa. Alex empatou e Caio virou. Souza, de pênalti, pouco depois do gol da virada, empatou em 2 a 2. Aos 49 minutos e 50 segundos, Renato cabeceou a bola quicou e bateu no travessão, levando os jogadores e torcedores alvinegros ao desespero. Foi o último lance da partida.

Em Sete Lagoas, o batido chavão “clássico dos desesperados” era quase obrigatório. A dupla está na zona de rebaixamento, embora o Galo esteja mais próximo da saída – o Coelho é lanterna. A partida teve um nível técnico sofrível, com cerca de 700 pagantes e terminou 0 a 0. Para aumentar o sofrimento do Galo de BH, o Atlético ainda teve um pênalti a seu favor não marcado.

No Couto Pereira, o Coritiba derrotou o Grêmio por 2 a 0, mantendo o sonho de brigar por uma vaga na Taça Libertadores.

A rodada foi aberta na quarta-feira, 5, quando o Cruzeiro recebeu o São Paulo em Sete Lagoas e houve empate em 3 a 3.

Suzuka, Japão, 9 de outubro de 2011

Parecia que após a pole sensacional no sábado e a ousada largada deste domingo, quando fechou Jenson Button e manteve a ponta, Sebastian Vettel repetiria o roteiro de domínio no GP do Japão. Entretanto, o alto desgaste dos pneus macios em Suzuka mudou um pouco a história da corrida, mas não o destino do título mundial. Atrás de apenas um ponto, Vettel fez uma prova sem correr riscos, chegou em terceiro lugar e se tornou o bicampeão mais jovem da história da Fórmula 1 aos 24 anos, três meses e seis dias. Único capaz de impedir a conquista do rival no Japão, o inglês da McLaren fez o que precisava: venceu. Fernando Alonso, da Ferrari, foi o segundo colocado.

Vettel chegou aos 324 pontos em 2011 e não pode mais ser alcançado por seus concorrentes. O alemão se tornou o sétimo piloto a conquistar um título em Suzuka, na 11ª decisão desde que ele entrou no calendário, em 1987 (só esteve fora em 2007 e 2008, quando o GP foi realizado em Monte Fuji). Ele se junta ao seleto grupo formado por Ayrton Senna (1988, 1990 e 1991), Mika Hakkinen (1998 e 1999) e Michael Schumacher (2000 e 2003), Nelson Piquet (1987), Alain Prost (1989) e Damon Hil (1996), que foram campeões da F-1 no tradicional circuito japonês.

Button deu um show de estratégia na corrida e chegou aos 210 pontos no campeonato. O inglês apostou em seu talento para conservar os pneus e lucrou com isso, conseguindo sua primeira vitória pela McLaren em pista seca. Na briga pelo vice-campeonato, ele abriu oito pontos de vantagem sobre Fernando Alonso, segundo colocado na corrida. Também com chances, Mark Webber, da RBR, terminou em quarto em Suzuka e tem agora 194 pontos no Mundial de Pilotos. A próxima corrida será o GP da Coreia do Sul, no circuito de Yeongam, no dia 16 de outubro.

 Costa Rica 0x1 Brasil. Que sono! 

A seleção brasileira deu sono, jogou mal e decepcionou a torcida costarriquenha, que esperava show. Mas ainda assim, sem brilhar, o time de Mano Menezes venceu a Costa Rica por 1 a 0, em San José, no primeiro jogo da série de dois amistosos na América Central.

O único gol da partida foi marcado por Neymar, um dos mais assediados pela torcida local durante toda a semana. O atacante santista marcou pela oitava vez com a camisa da seleção – é o artilheiro da equipe sob o comando de Mano. Ronaldinho Gaúcho, a grande estrela do amistoso em San José, teve atuação apagada.

O desempenho da seleção brasileira, muito abaixo das expectativas, volta a colocar sob críticas a equipe. Afinal, na semana passada, a equipe havia vencido a Argentina por 2 a 0, em Belém, com um segundo tempo que empolgou os torcedores.

A seleção volta a campo na terça-feira, em Torreon, quando enfrentará o México, no segundo e último amistoso da viagem à América Central. O treinador Mano Menezes admitiu que houve problemas, citou a retranca do adversário e acenou com a volta de titulares diante do México – Lucas (Leiva), Fernandinho, Marcelo e Daniel Alves. devendo sair Ralf, Luiz Gustavo, Adriano e Fábio.

O jogo – O amistoso em San José começou com poucos cuidados defensivos das duas seleções. A primeira chance foi da Costa Rica, em cochilo de Thiago Silva, mas Parks se atrapalhou na hora de finalizar e concluiu de canela na pequena área. Na resposta brasileira, Fred foi acionado nas costas da zaga adversária e também não acertou o alvo, apesar de caprichar mais.

O Brasil encontrava dificuldades pelo campo pesado – em virtude da chuva – e o excesso de força utilizada pelos costarriquenhos em algumas jogadas. Quando Neymar sofreu falta dura de Barrantes no meio-campo, o árbitro Walter López, da Guatemala, apenas contemporizou.

A partir dos 15 minutos, o Brasil começou a adotar um futebol preguiçoso: trocava passes sem objetividade. A Costa Rica tinha iniciativa das ações, mas sofria com a falta de qualidade ofensiva.

O jogo se arrastou até os minutos finais do primeiro tempo. Pouco antes do intervalo, o são-paulino Lucas tentou imprimir mais velocidade e também não mudou o panorama. Nos acréscimos, o clima esquentou em campo apenas no momento em que Ronaldinho partiu para cima de Saborío ao sofrer uma falta. Porém, o mais importante faltava à Seleção: o futebol.

Para o segundo tempo, Mano Menezes quis resolver o problema de falta de criação da Seleção Brasileira com substituições. Hernanes e Oscar foram as novidades nos lugares de Luiz Gustavo e Lucas. A ordem era imprimir mais velocidade no meio-campo.

Mesmo com as mudanças, a Costa Rica era melhor. Em dez minutos, foram duas finalizações de fora da área dos donos da casa – através de Barrantes e Azofeifa – e, para sorte do Brasil, foram pela linha de fundo.

O Brasil fez nova mudança por causa da contusão do lateral Fábio. O experiente Daniel Alves entrou em campo e mostrou estrela aos 14 minutos. Na primeira intervenção, ele fez o cruzamento para área, Fred não conseguiu desviar, a bola passou pelo goleiro Navas e se ofereceu para Neymar completar na pequena área: 1 a 0.

Na busca pelo empate, o técnico Jorge Luis Pinto promoveu a entrada de Joel Campbell, grande revelação dos últimos anos da Costa Rica. Um pouco mais disposto, o Brasil ainda teve chances para ampliar e também sofreu um susto no fim, com uma entrada criminosa de Mora em Jonas. O lateral costarriquenho acabou expulso.

FICHA TÉCNICA

COSTA RICA 0 x 1 BRASIL

Local: Estádio Nacional de San Juán, em San Juán (Costa Rica)

Data: 7 de outubro de 2011, sexta-feira

Horário: 23 horas (de Brasília)

Árbitro: Walter López (Guatemala)

Cartões amarelos: Azofeifa e Saborío (Costa Rica); Oscar, Neymar e Daniel Alves (Brasil)

Cartões vermelhos: Mora (Costa Rica)

Gol: BRASIL: Neymar, aos 14 minutos do segundo tempo.

COSTA RICA: Navas; Mora, Umaña, Miller e Diaz; Azofeifa, Barrantes (Cubero), Bolaños (Hernández) e Oviedo (Madrigal); Saborío e Parks (Campbell). Técnico: Jorge Luis Pinto

BRASIL: Júlio César (Jefferson); Fábio (Daniel Alves), David Luiz, Thiago Silva e Adriano; Ralf, Luiz Gustavo (Hernanes) e Ronaldinho Gaúcho; Lucas (Oscar), Fred (Jonas) e Neymar (Hulk). Técnico: Mano Menezes.

Júlio César cortado

Logo depois de chegar ao México, a seleção brasileira recebeu uma má notícia neste sábado. O goleiro Júlio César, com uma contusão no adutor da perna esquerda, vai ter de retornar à Itália no domingo e não defenderá o Brasil no amistoso diante dos mexicanos, na próxima terça-feira, em Torreón.

O jogador já teve um problema semelhante na Internazionale e, por precaução, foi vetado pelo departamento médico do duelo contra o México. Ele já começa o tratamento em seu clube assim que chegar à Itália.

Eliminatórias

“Liberado” das eliminatórias sul-americanas por ser o país-sede da próxima Copa do Mundo, em 2014, o Brasil assiste, de camarote, aos choques entre os rivais. Os resultados da primeira rodada, nesta sexta, 7, foram: Argentina 4×1 Chile, Uruguai 4×2 Bolívia, Equador 2×0 Venezuela e Peru 2×0 Paraguai.

Texto Fórmula 1: www.globoesporte.com

Textos seleção: www.espn.com.br

Equipe PG J V E D GP GC SG
1 CORINTHIANS  CORINTHIANS 71 38 21 8 9 53 36 17
2 VASCO/RJ  VASCO/RJ 69 38 19 12 7 57 40 17
3 FLUMINENSE/RJ  FLUMINENSE/RJ 63 38 20 3 15 60 51 9
4 FLAMENGO/RJ  FLAMENGO/RJ 61 38 15 16 7 59 47 12
5 INTERNACIONAL  INTERNACIONAL 60 38 16 12 10 57 43 14
6 SÃO PAULO/SP  SÃO PAULO/SP 59 38 16 11 11 57 46 11
7 FIGUEIRENSE/SC  FIGUEIRENSE/SC 58 38 15 13 10 46 45 1
8 CORITIBA/PR  CORITIBA/PR 57 38 16 9 13 57 41 16
9 BOTAFOGO/RJ  BOTAFOGO/RJ 56 38 16 8 14 52 49 3
10 SANTOS/SP  SANTOS/SP 53 38 15 8 15 55 55 0
11 PALMEIRAS/SP  PALMEIRAS/SP 50 38 11 17 10 43 39 4
12 GRÊMIO/RS  GRÊMIO/RS 48 38 13 9 16 49 57 -8
13 ATLÉTICO/GO  ATLÉTICO/GO 48 38 12 12 14 50 45 5
14 BAHIA/BA  BAHIA/BA 46 38 11 13 14 43 49 -6
15 ATLÉTICO/MG  ATLÉTICO/MG 45 38 13 6 19 50 60 -10
16 CRUZEIRO/MG  CRUZEIRO/MG 43 38 11 10 17 48 51 -3
17 ATLÉTICO/PR  ATLÉTICO/PR 41 38 10 11 17 38 55 -17
18 CEARÁ/CE  CEARÁ/CE 39 38 10 9 19 47 64 -17
19 AMÉRICA/MG  AMÉRICA/MG 37 38 8 13 17 51 69 -18
20 AVAÍ/SC  AVAÍ/SC 31 38 7 10 21 45 75 -30

Voltar

Deixe uma resposta


Mais notícias



20 out 2017

Partiu Rússia? Danilo Luiz, de Bicas, é novamente convocado para defender a seleção brasileira


20 out 2017

Mano Menezes renova contrato por dois anos com Cruzeiro


19 out 2017

CBF anuncia “dindim” do Brasileirão: campeão leva R$ 18 milhões e 16º lugar terá R$ 744 mil

Notícias


20 nov 2017

Com títulos e recordes, CRIA-UFJF brilha nos Jogos Escolares da Juventude


17 nov 2017

Rodrigo Rezende é 27º lugar no Mundial de Ginástica de Trampolim na Bulgária


16 nov 2017

Tupi confirma volta de Sidimar e anuncia que tem 22 jogadores contratados


16 nov 2017

JF Vôlei faz promoção de ingressos para domingo. Furtado espera crescimento do setor ofensivo


+ notícias

Toque de Bola


O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.

Desenvolvimento




Acesse

error: Conteúdo protegido.