21 out 2012

Duelo de gerações nos 1.500 metros do Swim Challenge



A tarde de sábado, 20, foi de Natação na Represa Doutor João Penido com a realização do Swim Challenge, outra atração do X-Terra Camp. A prova foi disputada em duas distâncias: 1,5 km e 3 km. No percurso mais curto, um duelo de gerações. O jovem Rafael Bellei foi o primeiro a sair da água.

Rafael Bellei: “Tão bom quanto nadar na piscina”

“Essa distância eu já estou acostumado a nadar na piscina. Antes da prova, analisei para onde estava o vento, para onde estava empurrando. Quando estava contra o vento, dava um economizada. Quando estava a favor, tentava ir mais rápido. Quanto a temperatura da água, estava ótima”, destaca, para depois comentar a diferença de nadar na piscina e na represa. “Na piscina não tem a famosa marola, que atrapalha. Aqui é tudo aberto, é difícil de enxergar a boia, atrapalha um pouco a orientação. Mas é tão bom quanto nadar na piscina”, expôs.

O segundo a completar foi Wander de Moura, o Wandinho, 51 anos, que é professor de Natação do Sesi (foto abaixo). “Treinei para essa prova de 1.500 metros. Foram os 1.500 mais longos da minha vida porque a água estava batendo muito. Perdi para um rapaz mais novo, do  Bom Pastor, e não tiro o mérito dele, que foi muito bem. Graças a Deus consegui chegar em segundo lugar. Sofrido, mas foi bom”, comenta Wandinho.

Uma atração especial da prova de 1,5 km foi a participação de nadadores muito jovens. Entre eles, Matheus Martinez, de apenas 11 anos. Praticante da Natação há sete anos, arrancou aplausos do público ao completar a distância. “No início comecei a engolir água e não sabia direito o que eu iria fazer. Depois ficou tranquilo”, comenta, com uma tranquilidade digna de nadador experiente.

Wandinho: “Foram os 1.500 metros mais longos da minha vida”

3.000 metros

Nos 3.00o metros, vitória de Raul Duran. “Pra quem já treina há muito tempo, como eu, é uma prova tranquila. Para quem está começando, é pesado. Eu venho do Rio de Janeiro e estou acostumado a nadar ao nível do mar. Então, sinto essa água mais pesada do que realmente é. Foi uma prova muito boa. Bem organizada, bem sinalizada”, comenta. Após completara distância, Raul saiu correndo de volta para a margem da represa, pressa que chamou a atenção de quem acomanhava a prova. “Queria ver onde meus concorrentes estavam, se muito distantes ou não [risos]. É que eu sou fominha nato”, brinca.

A primeira mulher a completar a distância de 3 km foi Lívia Sidney, que chegou sorrindo. Logo em seguida, concedeu entrevista ao Toque de Bola sem ao menos demostrar estar cansada. “Nos primeiros 1.500 é tranquilo, você vai achando o seu ritmo. O que pesa mesmo é a partir da metade da segunda volta. Começa a dar pressão na cabeça por causa de touca, o cansaço físico começa a bater e você tem que segurar a respiração, controlando com as pernas e braços”.


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


18 jan 2018
Próximo adversário do Tupi, Uberlândia perde em casa. Veja como começou o Estadual

18 jan 2018
Tem de 12 a 16 anos e quer jogar basquete? Sexta é dia de cesta! Olha esse convite da Faefid-UFJF

17 jan 2018
“Barraco” no Poço Rico! Eleições do Tupynambás viram caso de polícia

17 jan 2018
Cruzeiro x Tupi: choque de realidades marca estreia do Carijó no Campeonato Mineiro

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse