04 jul 2014

Rivais históricos de guerra, França e Alemanha travam batalha por ‘território’ no Rio



A rivalidade histórica entre França e Inglaterra teve início há mais de 150 anos, foi alimentada com o passar do tempo em batalhas por territórios e perdura até hoje nos dois países. Se politicamente a disputa começou com a Guerra Franco-Prussiana, entre 1870 e 1871, futebolisticamente ela teve o seu primeiro confronto em 1931, mas foram os três encontros em Copas do Mundo, principalmente os dois últimos, que aumentaram ainda mais a concorrência entre as duas nações.

Nesta sexta-feira, às 13h, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, França e Alemanha travarão mais uma “guerra” nos gramados, pelas quartas de final do Mundial de 2014. Na batalha em questão, a disputa por território no meio campo será fundamental para o triunfo. O vencedor deste duelo, o primeiro grande clássico de campeões mundiais no mata-mata desta Copa, vai encarar na semifinal o ganhador de Brasil e Colômbia.

Na disputa pelo poder no final do século XIX, o Reino da Prússia, principal Estado-membro do Império Alemão, levou a melhor sobre Império Francês nos campos de batalha. Nos campos de futebol, a vantagem também é alemã, com 11 vitórias, oito derrotas e seis empates, em 25 jogos disputados. Em Copas, foram três partidas, com duas vitórias alemãs em semifinais (nos pênaltis em 1982 e por 2 a 0 em 1986) e um triunfo francês (por 6 a 3 na decisão do terceiro lugar em 1958). Nos último sete encontros, porém, a superioridade é dos Le Bleus, que venceram cinco vezes, perderam apenas uma vez e empataram outra.

Estrelas de França e Alemanha, Benzema e Muller tem a missão de balançar as redes para levar seu país às semifinais do Mundial

Estrelas de França e Alemanha, Benzema (esquerda) e Muller têm a missão de balançar as redes para levar seu país às semifinais do Mundial

Uma das favoritas ao título desde o início da Copa, a seleção da Alemanha, tricampeã mundial, estreou com goleada sobre Portugal por 4 a 0 e depois viveu momentos instáveis na competição. Empatou com Gana, por 2 a 2, venceu os Estados Unidos, por 1 a 0, e nas oitavas teve que suar para eliminar a Argélia na prorrogação, por 2 a 1.

Apesar da vantagem histórica sobre o rival, o técnico alemão Joachim Löw não espera facilidade na partida desta sexta-feira no Rio.

“Fomos os primeiros do nosso grupo a se classificar, contra a Argélia tivemos críticas e agora estamos preparados, muito motivados. Vamos enfrentar uma seleção francesa com nível elevadíssimo nesse estádio mítico (Maracanã), e será um jogo difícil, mas são duas equipes de excelente nível”, afirmou Löw, que preferiu não adiantar se vai manter Philipp Lahm ayuando como volante ou se vai deslocá-lo para a lateral direita.

Do outro lado, a França começou o torneio desacreditada, mas com bom desempenho, se transformou em uma das candidatas à taça. Até agora, a equipe campeã do mundo em 1998 conseguiu vitórias sobre Honduras por 3 a 0, sobre a Suíça por 5 a 2, e empate com time misto por 0 a 0 com o Equador, na primeira fase. Nas oitavas, os Le Bleus superaram a Nigéria por 2 a 0.

“A adversidade vai mudando na medida em que se avança. Apesar de a Nigéria ter tido escalação excelente, muito densa, tenho muito respeito por eles, a Alemanha, em teoria, é melhor. Precisamos continuar fazendo o que fizemos bem até aqui, fazer mais, em todos os níveis. As exigências são ainda maiores. Precisamos ser capazes de fazer isso tudo bem”, afirmou o técnico francês Didier Deschamps, que tem como dúvida no ataque a escação de Griezmann ou Giroud.

O duelo desta sexta-feira também vai marcar o centésimo jogo no novo Maracanã, desde a reabertura do estádio após completa reforma, em junho de 2013.

FICHA TÉCNICA
FRANÇA X ALEMANHA

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 04 de julho de 2014, sexta-feira
Horário: 13 horas (de Brasília)
Árbitro: Nestor Pitana (Argentina)
Assistentes: Hernan Maidana e Juan Pablo Belatti (ambos da Argentina)

FRANÇA: Lloris; Debuchy, Varane, Koscielny e Evra; Cabaye, Matuidi, Pogba e Valbuena (Sissoko); Benzema e Giroud (Griezmann).
Técnico: Didier Deschamps

ALEMANHA: Neuer; Boateng, Hummels (Khedira), Mertesacker e Höwedes; Lahm, Schweinsteiger, Kroos, Ozil e e Gotze (Podolski); Thomas Muller
Técnico: Joachim Löw

 

Texto: ESPN

Foto: Getty


Voltar

Deixe uma resposta


Mais notícias



05 dez 2017

Tupi aparece em 46º lugar em ranking atualizado da CBF. Palmeiras e Cruzeiro empatados na liderança


01 dez 2017

Brasil pega Suíça, Costa Rica e Sérvia em primeira fase “cansativa” na Copa do Mundo. Veja tabela completa


20 out 2017

Partiu Rússia? Danilo Luiz, de Bicas, é novamente convocado para defender a seleção brasileira

Notícias


14 dez 2017

JF Vôlei recebe Corinthians-Guarulhos pela última rodada do turno. Veja panorama completo da Superliga


13 dez 2017

Confira o ranking atualizado da Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador


12 dez 2017

Sistema FIEMG inaugura Parque Aquático do SESI em Juiz de Fora


11 dez 2017

Henrique Furtado reforça Cruzeiro na Polônia e não dirige JF Vôlei contra Corinthians


+ notícias

Toque de Bola


O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.

Desenvolvimento




Acesse