24 mar 2012

Flu vence e faz homenagem a Chico Anysio. Fogão derrota o Duque de Caxias: 2 a 0



Rio de Janeiro (RJ), 24 de março de 2012

O Fluminense, enfim, voltou a vencer na Taça Rio. Depois de duas derrotas, a equipe passou pelo Bonsucesso por 2 a 0 e ainda prestou uma bonita homenagem ao humorista Chico Anysio, que morreu aos 80 anos na sexta-feira. O atacante Fred foi quem marcou os dois gols do Fluminense na partida. E, em cada um deles, prestou reverência ao humorista cearense, um torcedor declarado do rival Vasco da Gama. Depois do primeiro gol, Fred imitou o personagem “Seu Boneco”, da Escolinha do Professor Raimundo. Após o segundo, fez o gesto clássico do mesmo professor – o famoso “e o salário, ó”, imortalizado por uma das mais conhecidas criações de Chico. A vitória é apenas a segunda do Fluminense em cinco partidas na Taça Rio. Campeão da Taça Guanabara, o clube já está classificado para a decisão do estadual.

O resultado premiou o desempenho da equipe das Laranjeiras no primeiro tempo, quando construiu a vantagem e poderia até ter estabelecido um placar mais avantajado. No segundo tempo, sem Fred, o time comandado por Abel Braga caiu muito de produção e chegou até a ser ameaçado pelo Bonsucesso, mas conseguiu segurar o resultado que o manteve na briga por uma vaga entre os semifinalistas. A partida foi interrompida por mais de dez vezes para que fossem retiradas as pipas que caíram no gramado durante o jogo. Na próxima rodada, o Fluminense enfrentará o Botafogo, domingo, no Engenhão. Na quinta-feira, pela Libertadores, os tricolores terão pela frente o Zamora, na Venezuela.

Bola rolando

Como era de se esperar, o Fluminense começou a partida no ataque e Carlinhos criou o primeiro lance de perigo ao cruzar para Fred na área, mas a defesa do Bonsucesso cortou a jogada. A pressão tricolor funcionou e, logo aos quatro minutos, o Fluminense marcou o primeiro gol. Wellington Nem recebeu ótimo lançamento na ponta direita e cruzou para a entrada de Fred, que apenas desviou com o pé esquerdo para tirar do alcance do goleiro Saulo. Na comemoração, o artilheiro homenageou o humorista Chico Anísio que faleceu nesta sexta-feira. O Bonsucesso só chegou na área tricolor aos sete minutos, em cobrança de falta executada por Bóvio, mas a bola bateu na barreira.

Aos 14 minutos, Wellington Nem foi lançado em profundidade e, ao tentar passar pelo goleiro Saulo, foi derrubado pelo jogador do Bonsucesso. Pênalti que Fred cobrou aos 16 minutos para ampliar a vantagem tricolor.

Logo depois da parada técnica, o Bonsucesso deu um susto na torcida tricolor em cobrança de falta executada por Diogo. A bola se chocou com o travessão de Diego Cavalieri. A resposta tricolor veio aos 23 minutos, em chute cruzado de Carlinhos que acabou bem defendido por Saulo. O Fluminense continuava mandando no jogo e, aos 29 minutos, Wellington Nem foi lançado em profundidade, mas o goleiro Saulo saiu muito bem e bloqueou o chute do atacante. Aos 32 foi a vez de Araújo perder a chance de marcar depois de ótimo cruzamento de Wellington Nem.

Aos 37 minutos, o lateral Carlinhos avançou pela esquerda e cruzou para Wellington Nem, que recebeu na área e rolou para Araújo que entrava livre, mas o atacante pernambucano chutou para fora com o gol praticamente vazio à sua frente.

O Bonsucesso voltou a incomodar aos 41 minutos, em cobrança de falta de Bóvio que forçou Diego Cavalieri a se empenhar para mandar a bola para escanteio. No último lance importante do primeiro tempo, Wellington Nem fez um carnaval na área, mas acabou concluindo nas mãos do goleiro Saulo.

O Fluminense voltou para o segundo tempo com Rafael Moura no lugar de Fred, poupado depois de ter reclamado de dores na coxa direita. O Bonsucesso adiantou a marcação para tentar mudar a sorte da partida. E, logo aos dois minutos, após jogada confusa na área, Marco Goiano teve a chance de marcar, mas acabou chutando para fora. O time de Teixeira de Castro continuou pressionando e, aos seis minutos, foi a vez de Jefferson receber na área, iludir a marcação e bater para defesa complicada de Diego Cavalieri.

O Fluminense não repetia a atuação do primeiro tempo e, aos dez minutos, foi a vez de Araújo deixar o campo depois de ser atingido. Rafael Sóbis entrou em seu lugar. O time dirigido por Abel Braga encontrava muita dificuldade para armar jogadas de ataque porque Deco realizava uma atuação apenas discreta e apenas Wellington nem tentava levar perigo através de jogadas individuais.

Aos 19 minutos, os jogadores do Bonsucesso pediram a marcação de pênalti quando Marco Goiano caiu após ser tocado por Anderson mas o árbitro mandou o jogo seguir.

Só aos 20 minutos é que o Fluminense criou uma boa chance em cabeçada de Rafael Moura bem defendida por Saulo. O lance animou a equipe tricolor, que teve ótima chance para marcar aos 27 minutos, quando Deco recebeu bom passe de Bruno e mandou uma bomba no travessão defendido por Saulo.

Aos 34 minutos, depois que Abel Braga já tinha feito as três substituições, o lateral-esquerdo Carlinhos deixou o gramado se queixando de dores na coxa direita, mas foi obrigado a voltar para não deixar sua equipe com um jogador a menos.

Nos minutos finais, o Fluminense apenas administrou o resultado enquanto o Bonsucesso mostrava muita disposição e nenhuma competência para chegar ao gol de Diego Cavalieri.

FICHA TÉCNICA:
BONSUCESSO 0 X 2 FLUMINENSE

Local: Moça Bonita, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 24 de março de 2012 (Sábado)
Horário: 16 horas (de Brasília)
Público: 1.455 pagantes
Árbitro: Lenilton Gomes Júnior (RJ)
Assistentes: Eduardo de Souza Couto (RJ) e Francisco Pereira de Souza (RJ)
Cartões Amarelos: Saulo, Eduardo Ratinho, Arthur e Diogo (Bon); Bruno, Araújo, Wellington Nem, Anderson, Carlinhos e Diguinho (Flu)
Gols:
FLUMINENSE: Fred, aos quatro e aos 16 minutos do primeiro tempo;

BONSUCESSO: Saulo, Felipe (Thiago Maciel), Admilton, Arthur e Ratinho; Márcio Guerreiro, Ricardo Bóvio (Alex Alves), Juninho (Éder) e Marco Goiano; Jefferson e Diogo
Técnico: Marcão

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Bruno, Leandro Euzébio, Anderson e Carlinhos; Valencia, Diguinho e Deco; Wellington Nem (Wagner), Araújo (Rafael Sóbis) e Fred (Rafael Moura)
Técnico: Abel Braga

Texto: www.espn.com.br

Fogão vence a assume a liderança provisória do Grupo A

Em jogo tranquilo, o Botafogo venceu o Duque de Caxias por 2 a 0 no Engenhão, na tarde deste sábado, 24, pela 5ª rodada da Taça Rio. Com gols de Fellype Gabriel e Jobson, o Alvinegro conquistou a liderança provisória do Grupo A, com 13 pontos, um na frente do Macaé, agora segundo colocado. No próximo domingo, o Glorioso recebe o Fluminense às 18h30, em clássico válido pela sexta rodada da Taça Rio.

Com autoridade, o Botafogo já começou o jogo encurralando os adversários, que pouca resistência conseguiam oferecer. Tanto que, logo no minuto inicial, o Glorioso teve sua primeira oportunidade na partida, em boa jogada saída dos pés de Herrera e finalizada por Fellype Gabriel.

O Alvinegro não estava para brincadeiras. O lance na abertura do jogo apenas retratava como seria o primeiro tempo no Stadium Rio. Rapidamente, o Fogão tinha controle total das ações em campo e chegava com facilidade ao gol do Duque de Caxias.

Apesar de parecer questão de tempo para o marcador ser inaugurado, o gol alvinegro não saía. A pressão imposta pelo Glorioso ficava clara em lances como a cabeçada de Fábio Ferreira em cobrança de escanteio aos 14 minutos. A finalização do zagueiro explodiu na zaga e a bola sobrou para Fellype Gabriel, que também teve seu chute cortado pela defesa adversária. Pouco depois, o meia recebeu boa bola de Lucas e já se preparava para abrir o placar quando foi impedido pelo zagueiro Fábio Aguiar.

O tempo ia passando e a pressão alvinegra só aumentava no Stadium Rio. Mas o tão merecido gol só seria concretizado aos 35 minutos, quando Fellype Gabriel aproveitou mais um momento de bombardeio do Fogão para abrir o placar com um verdadeiro tiro à queima-roupa.

A vantagem conquistada animou o Glorioso. Aos 40 minutos, Herrera invadiu a área pela esquerda, cortou o zagueiro e já ia marcando um golaço, mas o chute do argentino explodiu no travessão do goleiro Fernando, mantendo o placar para o fim da primeira etapa.

O segundo tempo começou mais morno, muito pela forte chuva que caía no Engenho de Dentro desde o fim da etapa inicial. A superioridade alvinegra, porém, ficava clara em lances como a chegada de Felipe Menezes aos 7 minutos. Em velocidade, o meia recebeu de Fellype Gabriel, invadiu a área pela esquerda e bateu forte, chegando a provocar o grito de gol da torcida, mas a bola balançou as redes apenas pelo lado de fora. Pouco depois, Menezes retribuiu tocando para o companheiro, que estava livre na esquerda, mas a conclusão do alvinegro foi interceptada pelo goleiro Fernando.

Aos poucos, o Glorioso ia retomando o ritmo da primeira etapa. Um dos motivos para o crescimento alvinegro foi a entrada de Jobson, que mostrava muita vontade no ataque. E a disposição do atacante seria recompensada aos 25 minutos, quando Elkeson fez fila na defesa do Duque e bateu cruzado para Jobson apenas completar e correr para comemorar seu primeiro gol após a volta ao futebol.

Com a vantagem confortável no placar, o Botafogo ficou ainda mais tranquilo no Stadium Rio e criou mais algumas oportunidades, principalmente com Jobson e Elkeson, mas o marcador não seria alterado até o apito final.

BOTAFOGO: Jefferson, Lucas, Antônio Carlos (c), Fábio Ferreira (Brinner) e Márcio Azevedo; Marcelo Mattos, Renato, Fellype Gabriel, Elkeson e Felipe Menezes (Jobson); Herrera (Jeferson).
Treinador: Oswaldo de Oliveira.

Texto: Site oficial do Botafogo


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


22 nov 2017
Basquete dos Intercolegiais: conheça todos os atletas campeões e veja as avaliações dos professores

22 nov 2017
JF Vôlei receita “foco e determinação” para buscar reação contra dois adversários diretos na pontuação

20 nov 2017
Com títulos e recordes, CRIA-UFJF brilha nos Jogos Escolares da Juventude

17 nov 2017
Rodrigo Rezende é 27º lugar no Mundial de Ginástica de Trampolim na Bulgária

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.