30 out 2017

JF Vôlei perde em casa para Vôlei Renata e segue sem vencer na Superliga



 

Lance de JF Vôlei 0 x 3 Vôlei Renata de Campinas

Em sua segunda partida diante da torcida no ginásio da Faefid-UFJF, o JF Vôlei não conseguiu superar o Vôlei Renata e perdeu por 3 sets a 0, com parciais de 14×25, 25×27 e 17×25. Foi a terceira derrota do time local na competição em três partidas disputadas.

O JF Vôlei enfrenta no próximo sábado, em São Paulo, o SESI-SP.

  A equipe voltou a cometer muitos erros e encontrou também outro adversário: a ansiedade. Um dos momentos que mais chamaram a atenção foi no segundo set, quando o time estava com 24 a 22 no placar, mas pecou na hora de definir e o adversário conseguiu impedir três vezes a conquista do parcial.

Bruno – Central do JF Vôlei

Para o central Bruno, a ansiedade em matar o jogo está atrelada a inexperiência do grupo. “Talvez influencie um pouco (o time ser jovem). Pode ser que a falta de experiência às vezes atrapalhe… Mas são erros que devem ser corrigidos. Com o passar do tempo vamos adquirindo maturidade e melhorando isso. O time caiu bastante de rendimento no terceiro set. O primeiro já não foi muito bom e o terceiro foi ainda pior”, falou.

O atleta também disse que o desempenho esteve abaixo do esperado. “Não sei dizer se foi a pior atuação da equipe. Acho que temos que tentar aprender com os nossos erros, como sempre fazemos. Mas com certeza não foi uma atuação muito boa. Temos muito o que aprender com esse jogo, vendo vídeos, estudando o que tem quer estudado. Crescemos no segundo set, mas por detalhes acabamos não vencendo”, admite o jogador.

 

O jogo

O time da casa começou bem, imprimindo um ritmo forte e conseguiu abrir dois pontos de vantagem (5 a 3). Mas os erros de saque apareceram e a equipe juiz-forana deu brecha para o adversário. O Vôlei Renata se aproveitou e chegou a abrir 23 a 13. Com a vantagem no placar os visitantes não tiveram dificuldades para fechar o set em 14×25.

O segundo set começou mais equilibrado no início, com as duas equipes se alternando à frente da pontuação. Porém o JF Vôlei seguiu cometendo erros, até na recepção, e o rival abriu vantagem. Mas em seguida conseguiu entrar na partida e trabalhar melhor a bola, passando à frente, fazendo 24 a 22. Em desvantagem, o time paulista conseguiu empatar o jogo. Na sequência virou e fechou o set com parcial de 25×27.

O time da casa não manteve o ímpeto no terceiro set. O Vôlei Renata trabalhou melhor as jogadas, chegando a fazer 20 a 11 no placar, dominando completamente. Com parcial de 17×25 os visitantes fecharam a partida em 3 sets a 0.

 Tiago Mão foi eleito o melhor jogador e recebeu o Troféu VivaVôlei.

JF VÔLEI – Felipe, Emerson, Bruno, Franco e Rammé e Leozinho. Líbero – Juan

Entraram – Adami, Raphael, Matheus,

Técnico: Henrique Furtado

VÔLEI RENATA – Diogo, Vissotto, Rodriguinho, Vini, Tiago Mão, Júnior. Líbero – Bello

Entraram – Daniel, Krauchuk, Salsa,

Técnico: Horácio Dileo

Palavra do comandante

Henrique Furtado – Treinador do JF Vôlei

O treinador do JF Vôlei, Henrique Furtado, conversou com a imprensa após a partida e admitiu que os erros foram determinantes para o resultado adverso. “A equipe tem começado bem os sets, alguns aspectos do jogo ficam muitos claros, acho que estamos conseguindo um crescimento no sistema ofensivo. Só que o erro ainda persiste, e nós temos que seguir melhorando nisso. Hoje durante a partida em alguns momentos com o passe muito bom e o ataque baixo. Depois com o ataque muito alto e o passe um pouco mais baixo. Algumas variações estão acontecendo dentro do jogo e a gente tem que achar um caminho, seguir lutando muito, como sempre lutamos, para jogar cada vez melhor”, revelou.

O segundo set, de fato, apesar das oscilações, foi o único momento no jogo em que o time da casa incomodou o adversário. “No segundo set trabalhamos com o percentual alto de ataque, acho que igualamos o jogo a partir disso. Uma coisa que ficou difícil foi pelo fato do time deles o jogo inteiro atacar com um percentual altíssimo. Nós tivemos momentos muito bons de ataque, mas não conseguimos ter durante todo o jogo como eles tiveram, e justamente no momento importante do set apareceram alguns erros e que nos atrapalharam de fechar o set realmente. Mas a motivação é grande e o respeito por essa camisa, por essa torcida é muito grande. O que aconteceu foram erros, que estamos trabalhando para que se tornem acertos”, avalia o técnico.

Sem nenhuma vitória na Superliga, o aspecto psicológico poderá ser importante e talvez deva ser trabalhado para a sequência da competição. Mas, além disso, o comandante acredita que outros fatores são tão – ou mais – importantes quanto. “Antes de trabalhar a cabeça é trabalhar a técnica, trabalhar o sistema. Acho que tudo tem que funcionar bem e temos que fazer com que as coisas aconteçam da melhor forma. A cabeça vem junto com essa qualidade técnica, eles estão com uma cabeça boa, estão fazendo um trabalho bom. Foi a terceira partida que por muitos momentos igualamos o jogo contra esses grandes adversários que enfrentamos. É uma Superliga diferente, que muitas vezes não te permite respirar, você nunca está dois ou três pontos à frente do adversário, é raro isso. Temos que nos acostumar com esse momento, ser cada vez mais agressivos, melhorar cada vez mais a técnica, estar cada vez mais organizado e jogar melhor”, acrescentou Furtado.

 

Leandro Vissotto – Oposto do Vôlei Renata

Leandro Vissotto – Oposto do Vôlei Renata

“Conseguimos sacar muito bem, colocamos o JF Vôlei sob pressão o tempo inteiro com nosso saque, bloqueio… Foi difícil para o time deles jogar hoje, não demos espaço. Fiz uma partida boa, depois de uma semana difícil, uma derrota em casa, onde deu tudo errado. Mas ganhar é bom, sair dessa situação, porque quando você perde a semana fica amarga. Vamos pegar o Minas em casa agora, que vem fazendo uma boa Superliga. Não tem time fácil. Temos que jogar o máximo o tempo inteiro e contra o Minas não será diferente”.

 

Júnior – Central do Vôlei Renata

Júnior – Central do Vôlei Renata

“O jogo foi bom, tivemos superioridade porque precisávamos ganhar. A gente veio de uma derrota em Canoas, de certa forma inesperada. Acho que conseguimos bloquear as individualidades deles e isso foi fundamental para conquistar a vitória. Estou contente por voltar a ganhar, mas falta muito ainda. Queremos embalar uma sequência de vitórias, até porque é importante já que no ano que vem o corpo começa a sentir o cansaço. Vamos tentar essa sequência para ter uma ‘gordurinha’ para os playoffs”.

Matheus – Levantador do Vôlei Renata

“Estávamos com muita dificuldade na rodada de bola e nos side out de saque pesado. E hoje apesar deles terem sacado muito bem,  conseguimos jogar bastante com passe C”.

Rammé – Ponteiro do JF Vôlei

Matheus – Levantador do Vôlei Renata e Rammé – Ponteiro do JF Vôlei

“Infelizmente não conseguimos desempenhar nosso melhor voleibol. A equipe deles é muito qualificada, imprimiu um ritmo de saque muito grande, onde em muitos momento a gente não conseguiu parar essa arma que eles têm. E a partir disso não foi possível fazer o que sempre fazemos, que é ter um passe constante e principalmente atacar muito bem. Não atacamos bem, pecamos em muitas bolas decisivas e isso fez com que o jogo se tornasse mais difícil, e resultou na derrota”.

Minas Tênis Clube 3 x 1 Montes Claros

Os mineiros Minas Tênis Clube e Montes Claros Vôlei fizeram uma partida equilibrada na noite deste sábado (28.10) e, na Arena Minas, em Belo Horizonte (MG), melhor para o time da capital, que, nesta terceira rodada do primeiro turno da Superliga masculina de vôlei 2017/2018, venceu por 3 sets a 1, com parciais de 20/25, 27/25, 25/22 e 26/24.

O central Flávio foi um dos principais destaques da partida. Depois de atuação destacada, o jogador foi eleito, por votação popular, realizada no site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), o melhor da partida e, por isso, foi premiado com o Troféu VivaVôlei CIMED.

Feliz com o resultado, Flávio analisou o resultado desta noite, em especial a derrota no primeiro set. “Foi a nossa estreia em casa, sabíamos que ia ser um jogo difícil, apesar de conhecermos o adversário desde o Mineiro. Esse é sempre um clássico. Entramos um pouco sem foco, sem concentração, cometendo erros bobos, o passe não funcionou e isso dificultou a nossa virada de bola”, disse Flávio.

A virada do Minas Tênis Clube a partir da segunda parcial deixou o jogador satisfeito. “No segundo set entramos com outra cabeça, outra motivação e determinados a vencer. Esse jogo era muito importante para o nosso time, pois Montes Claros é um adversário direto. Tentei motivar o grupo a partir do segundo set, tentei incendiar o time ali dentro de quadra e isso acabou funcionando”, destacou Flávio, complementando.

“A nossa recepção melhorou e isso facilitou a virada de bola. Fizemos mais pontos de bloqueio e isso nos levou a vitória de um jogo bem difícil. O time está de parabéns por ter conseguido mudar a postura diante de uma situação adversa, estou feliz com a vitória, com a premiação e amais ainda com a postura do time depois do primeiro set”, concluiu o central Flávio.

O JOGO

Minas x Montes Claros

Depois de uma bola muito disputada, o cubano Mesa abriu o placar do jogo para o Montes Claros Vôlei. O time visitante ainda abriu 3/0 e, com Zanotti, abriu 6/2. Quando Lorena marcou 8/4, Nery Tambeiro pediu tempo. No erro do adversário, a diferença no placar aumentou em 15/10 ainda a favor do Montes Claros. Com Mesa pontuando bem, a equipe visitante fez 18/13. O Minas Tênis Clube reagiu e quando fez 17/20 foi a vez de Sérgio Cunha parar o jogo. No bloqueio de Flávio, o time da casa marcou 19/23. O central Mesa fechou o set para o Montes Claros Vôlei em 25/20.

O segundo set começou com mais equilíbrio, com as equipes empatadas em 3/3. Com ponto de saque de Flávio, o Minas marcou 5/4. Com Lorena, o Montes Claros Vôlei chegou ao empate em 7/7. Os visitantes passaram a frente e quando chegaram a 10/9, Nery Tambeiro pediu tempo. O Minas assumiu o comando do marcador e colocou três de vantagem em 16/13. O Montes Claros buscou e no bloqueio deixou tudo igual (16/16). Com Flávio, o Minas voltou a colocar dois de dianteira: 20/18. A reta final do set foi bastante disputado. No ace de Sandro, 23/23. E no bloqueio de Flávio, o Minas Tênis Clube fechou em 27/25.

Assim como na parcial anterior, o início foi bastante disputado. Os times empataram em 3/3, 5/5 e depois novamente em 9/9. No bloqueio de Flávio, o Minas colocou um de vantagem em 10/9. Também no bloqueio, com Zanotti, o Montes Claros Vôlei marcou 11/10. O placar voltou a ficar igual em 15/15 com mais um ponto no fundamento bloqueio, desta vez com Honorato, do Minas. No erro do adversário, os donos da casa abriram dois: 17/15. O jogo voltou a ficar igual em 19/19 e o Minas fez 21/19, forçando Sérgio Cunha a pedir tempo. O time da casa fez 22/20. No final, melhor para os donos da casa: 25/22.

O quarto set começou como os outros primeiros, com muito equilíbrio (5/5). No ace de Tarcísio, o Montes Claros fez 7/6. Com ponto de Alemão, o time visitante abriu dois de diferença em 10/8. O Minas buscou e empatou em 10/10. No ace de Alemão, o Montes Claros marcou 13/12 e Nery Tambeiro pediu tempo. Na volta, mais um ponto de saque de Alemão e 14/12. Com o terceiro ponto de saque do oposto, 15/12. O Montes Claros abriu 17/13. Mesa bloqueou e marcou 19/15. O Minas diminuiu a diferença no placar (17/21) e Sérgio Cunha pediu tempo. Com bloqueio de Flávio, os donos da casa empataram em 21/21. Com mais dois pontos de bloqueio, 23/21. O Montes Claros buscou e deixou tudo igual: 23/23. No final, vitória do Minas por 26/24.

EQUIPES

MINAS TÊNIS CLUBE – Marlon, Felipe Roque, Flávio, Pétrus Honorato e Bisset. Líbero – Rogério

Entraram – Maique, Carísio, Davy, Thiago Vanole, Quintana

Técnico: Nery Tambeiro

MONTES CLAROS VÔLEI – Sandro, Lorena, Tarcísio, Mesa, Vivalede e Zanotti. Líbero – Alan

Entraram – Cristiano, Luan, Alemão

Técnico: Sérgio Cunha

Outros resultados da rodada

Canoas 0 x 3 Sesi-SP

Depois de ser superado pelo Sada Cruzeiro (MG) no jogo passado, o Sesi-SP se recuperou e venceu o Lebes Canoas (RS), na casa do adversário, por 3 sets a 0 (25/15, 25/20 e 25/17). O ponteiro Renato foi eleito o melhor da partida, faturou o Troféu VivaVôlei CIMED, e ainda foi o maior pontuador, com 11 acertos, ao lado de Aboubacar, do time gaúcho.

  Maringá 1 x 3 Sada Cruzeiro

Mesmo na casa do adversário, o Sada Cruzeiro (MG) levou a melhor sobre o Copel Telecom Maringá Vôlei (PR) por 3 sets a 1 (25/18, 15/25, 25/19 e 25/16). O jogo teve como destaque o ponteiro Leal, eleito o melhor jogador em quadra e dono do Troféu VivaVôlei CIMED. O jogador ainda foi quem mais pontuador da partida, com 16 acertos.

  Ponta Grossa Caramuru 1 x 3 Taubaté

O EMS Taubaté Funvic (SP) levou a melhor sobre os donos da casa, Ponta Grossa/Caramuru (PR). A equipe do Vale do Paraíba contou com bom desempenho do ponteiro Dante, dono do Troféu VivaVôlei CIMED, e venceu por 3 sets a 1, com parciais de 25/16, 23/25, 25/20 e 25/14. Apesar do resultado negativo do seu time, Leonardo, foi o maior pontuador do jogo, com 21 pontos. Pelo Taubaté, três jogadores marcaram 18 vezes: Wallace, Solé e Lucarelli.

Sesc-RJ 3 x 1 Corinthians-Guarulhos

 

Sesc-RJ, treinado por Giovane Gávio, levou a melhor no encerramento da terceira rodada da Superliga

No encerramento da terceira rodada do primeiro turno da Superliga masculina de vôlei 2017/2018, neste domingo (29.10), vitória do Sesc RJ, que na Jeunesse Arena, no Parque Olímpico, no Rio de Janeiro (RJ), bateu o Corinthians-Guarulhos (SP), por 3 sets a 1. Ao lado de sua torcida, a equipe comandada pelo técnico Giovane Gávio fez parciais de 25/16, 21/25, 25/21 e 25/21.

O ponteiro João Rafael se destacou ao longo da partida. Foi o maior pontuador, com 19 acertos, e ainda foi o mais votado no site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), sendo, assim, eleito o melhor jogador em quadra. Já com o Troféu VivaVôlei CIMED em mãos, o jogador do Sesc RJ comemorou o resultado positivo conquistado pela sua equipe.

“Tivemos paciência e jogamos juntos. Assim conseguimos essa vitória. No segundo set, quando perdemos, bateu um pouco de nervosismo, não estávamos acertando e isso atrapalhou. Logo depois, conseguimos manter a calma e ainda no finalzinho do segundo voltamos a jogar bem. Entramos no terceiro ainda mais focados, mantivemos isso no quarto e conseguimos o resultado”, disse João Rafael.

O técnico do Sesc RJ, Giovane, elogiou o resultado conquistado pelo se time, mas quer ver uma evolução do grupo carioca ao longo da competição.

“A sensação da vitória é boa, mas o nosso time podia fazer mais. O Corinthians-Guarulhos mudou o saque, passou a sacar um pouco mais curto, quebrando nossa combinação de ataque e tivemos que arrumar uma solução ao longo do jogo. Como é começo de temporada, a equipe ainda vai se ajustando, mas, sem dúvida, essa é uma vitória importante para o Sesc RJ”, afirmou Giovane Gávio.

Pelo Corinthians-Guarulhos, o técnico Alexandre Stanzioni lamentou o erro de sua equipe em alguns momentos da partida.

“Tivemos algumas falhas técnicas, principalmente em relação a ajuste de bola e isso pode ser pelo ginásio, que é muito maior e essa referência sempre dá diferença. Falhamos um pouco na hora que eles aliviaram um pouco as bolas para o nosso time. Quando o adversário está com dificuldade, e joga a bola para a gente, temos que ter qualidade para fazer o ponto e não dar o ponto para o adversário. Esses pontinhos fazem a diferença no final”, analisou Stanzioni.

Do lado do time paulista, o oposto Rivaldo foi destaque na pontuação, marcando 18 vezes.

O JOGO

Tiago Barth abriu a partida com ponto para o Sesc RJ. O Corinthians-Guarulhos respondeu, virou o placar depois de bom saque de Rodrigo Ribeiro e fez 2/1. Em boa passagem de Renan pelo saque, a equipe carioca reassumiu o comando do marcador e fez 6/3. No ace de João Rafael, 9/4 e pedido de tempo do time paulista. Maurício Borges fez 12/7. Quando o placar foi a 14/7, Alexandre Stanzioni fez mais um pedido de tempo. O Corinthians-Guarulhos buscou e reduziu a diferença no placar para 10/14. Na largadinha de João Rafael, o Sesc RJ voltou a abrir vantagem: 17/11. No ace de Renan, 19/13. Maurício Borges fez 22/15. No ponto final do set, Renan contra-atacou e o Sesc RJ fechou em 25/16.

O Corinthians-Guarulhos começou melhor no segundo set e, no bloqueio de Riad, fez 2/0. No ace de Tiago Barth, o Sesc RJ chegou ao ponto de empate (4/4) e no bloqueio assumiu o comando do marcador em 5/4. O placar voltou a ficar igual em 6/6. O time da casa voltou a abrir vantagem e o Corinthians-Guarulhos encostou em 9/10 com ponto de bloqueio. No erro do adversário, a equipe visitante marcou 13/12 e Giovane pediu tempo. O Corinthians chegou a abrir três de vantagem em 16/13. No bloqueio de Riad, o Timão fez 20/16. Rivaldo pontuou pela saída de rede e o Corinthians chegou a 22/17. No final, no erro do adversário, o time de Guarulhos fechou em 25/21.

O Corinthians-Guarulhos abriu o placar do terceiro set com ponto de bloqueio. O Sesc RJ respondeu no ataque de João Rafael.  No bloqueio de Maurício Souza, o time da casa fez 4/2 e com ace de Tiago Bart, 5/2. Depois de uma bola bastante disputada, o Sesc RJ pontuou com Renan e chegou a 9/6. Quando o placar marcou mais um a favor da equipe carioca, Stanzioni pediu tempo. Em boa passagem de Maurício Souza pelo saque, os donos da casa ainda chegaram a 12/6. No ace de Thiaguinho, 14/7. Com João Rafael no ataque, o placar foi a 16/8. No erro do adversário, o time da casa marcou 20/12. O Corinthians-Guarulhos buscou e reduziu a diferença para 15/20. Giovane pediu tempo e, na volta, o adversário marcou mais dois pontos, fazendo 17/20. O treinador do Sesc RJ parou de novo. Após levantamento de Maurício Borges, Renan pontuou e os donos da casa fizeram 22/18. O time carioca fechou em 25/21.

Sem se deixar abater pelo placar negativo, o Corinthians-Guarulhos entrou em quadra com ritmo forte no quarto set e, no bloqueio de Riad, abriu 3/0. O Sesc RJ reagiu e, em boa passagem de Maurício Borges pelo saque, chegou ao ponto de empate em 3/3. Maurício Souza contra-atacou e deixou o set igual: 6/6. No ponto de saque de Maurício Souza, o Sesc RJ abriu três de vantagem (11/8) e Alexandre Stanzioni pediu tempo. No erro do adversário, a equipe carioca chegou a 14/11. João Rafael marcou 16/13. No bloqueio de Maurício Souza, 19/15. O Corinthians-Guarulhos aproximou no placar fazendo 18/20. Maurício Borges aumentou a vantagem fazendo 22/18. A reta final do set voltou a ser bem disputada. No ace de Rivaldo, o Corinthians encostou em 23/24. Mas, o Sesc RJ fechou em 25/23.

EQUIPES

SESC RJ– Thiaguinho, Renan, Maurício Souza, Tiago Barth, João Rafael e Maurício Borges. Líbero – Tiago Brendle

Entraram – Juninho, Everaldo

Técnico: Giovane Gávio

CORINTHIANS-GUARULHOS – Rodrigo Ribeiro, Rivaldo, Luizinho, Riad, Mineiro e Ygor Ceará. Líbero – Serginho

Entraram – Gabriel, Matoso, Fábio, Alan

Técnico: Alexandre Stanzioni

SUPERLIGA MASCULINA 17/18

Terceira rodada do turno

28.10 (SÁBADO) – Lebes Canoas (RS) 0 x 3 Sesi-SP, às 18h, no ginásio La Salle, em Canoas (RS) (15/25, 20/25 e 17/25)

28.10 (SÁBADO) – JF Vôlei (MG) 0 x 3 Vôlei Renata (SP), às 18h, na UFJF, em Juiz de Fora (MG) (14/25, 25/27 e 17/25)

28.10 (SÁBADO) – Copel Telecom Maringá Vôlei (PR) 1 x 3 Sada Cruzeiro (MG), às 18h30, no Chico Neto, em Maringá (PR) (18/25, 25/15, 19/25 e 16/25)

28.10 (SÁBADO) – Ponta Grossa Caramuru (PR) 1 x 3 EMS Taubaté Funvic (SP), às 20h, na Arena Multiuso, em Ponta Grossa (PR) (16/25, 25/23, 20/25 e 14/25)

28.10 (SÁBADO) – Minas Tênis Clube (MG) 3 x 1 Montes Claros Vôlei (MG), às 21h55, na Arena Minas, em Belo Horizonte (MG) (20/25, 27/25, 25/22 e 26/24)

29.10 (DOMINGO) – Sesc RJ 3 x 1 Corinthians-Guarulhos (SP), às 13h, na Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro (RJ) 25/16, 21/25, 25/21 e 25/23)

 

Cobertura Toque de Bola

Texto dos outros jogos da rodada CBV

Fotos Toque de Bola, assessoria JF Vôlei, Divulgação Minas e July Stanzioni/Corinthians-Guarulhos


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


19 fev 2018
JF Vôlei tem semana de desafios seguidos em busca da reação na Superliga

17 fev 2018
Baeta perde na estreia do Módulo 2

17 fev 2018
Tupynambás estreia no Módulo 2 fora de casa

16 fev 2018
Com Leão ainda treinador interino, Tupi visita URT

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse