29 ago 2016

Treinador do Vasco admite momento ruim do time, receita tranquilidade e critica gramado de Juiz de Fora. Prefeitura responde



Confira a íntegra da entrevista coletiva do treinador do Vasco, Jorginho, após o empate em 2 a 2 diante do Tupi, no sábado, 27, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora, pela segunda rodada do returno da Série B do Campeonato Brasileiro. O treinador lamentou o empate: “Não soubemos aproveitar a vantagem que nós criamos, conseguimos virar o jogo, e infelizmente não conseguimos manter o resultado”.

Jorginho e o auxiliar técnico Zinho durante a partida entre Tupi e Vasco

Jorginho e o auxiliar técnico Zinho durante a partida entre Tupi e Vasco

Confira a íntegra da entrevista de Jorginho

Perguntado sobre a queda de rendimento da equipe – já são quatro jogos sem vitórias – Jorginho citou a falta de jogadores como Nenê para justificar o momento.

Jorginho – Toda equipe tem um momento bom, tem um momento ruim, difícil, e a gente está passando por esse momento, em que a gente não consegue ganhar os jogos. São três empates no campeonato brasileiro da Série B, mas basta a mim, como treinador, detectar, observar direitinho o que está faltando. É claro que algumas peças importantes, no caso, o Nenê, não pode participar desse jogo, mas a gente teve todo o cuidado com ele, principalmente porque ele falou que não estava se sentindo realmente à vontade, livre, não estava conseguindo jogar sem dor. Vamos ver o que vai acontecer para o próximo jogo. Acho que é hora de a gente ter tranquilidade. É claro que a gente criou uma gordura, e não pode perder essa gordura de jeito nenhum, já que os resultados têm favorecido a gente.

Escolha por Fellype Gabriel:

Jorginho – É um jogador que está há algum tempo parado, que realmente não consegue dar uma continuidade. Ficamos muito felizes por ele ter jogado 55 minutos aproximadamente, quase 60 minutos sem sentir nenhuma dor. Falta para ele ainda o ritmo, mas ele só vai conseguir ganhar esse ritmo jogando. Então foi importante a gente ver que a movimentação dele é boa, é um jogador extremamente inteligente. Vamos continuar fazendo com que, na medida do possível, ele possa entrar nos jogos e dar uma condição de jogo melhor para ele, porque é um jogador que já demonstrou ser diferenciado.

Sobre o garoto Douglas Luiz

Jorginho – Por pouco ele não faz o gol da vitória. Um jogador com muita personalidade. A gente tem trabalhado muito com a base, em decorrência da necessidade que temos tido. O Douglas em princípio não era aquele jogador que muitos esperavam chegar no profissional tão rápido. Existia sempre uma expectativa com outros atletas, mas vendo os treinamentos dele, a postura dele, é um jogador que tem bom porte físico, mas também tem muita personalidade, e foi o que ele fez hoje. Ele realmente entrou para fazer basicamente o losango, entrou pelo lado direito muito bem, com personalidade, buscando o jogo pelo lado esquerdo, mas voltando a se posicionar bem e depois a gente teve que arriscar um pouquinho mais colocando ele como segundo volante junto com o Andrezinho, tirando o Diguinho e ele se comportou bem. Mesmo assim, ele chegou a frente, deu aquele chute e por pouco não consegue fazer o gol. Pena que não caiu na direita dele, que é forte, mas ele ainda deu uma boa batida de esquerda e infelizmente não conseguimos fazer o gol. A personalidade com que ele entrou no jogo foi fundamental para ele fazer um bom jogo.

A suspensão de Andrezinho para o próximo jogo:

Jorginho – É um jogador importante, que tem a atitude de buscar o jogo, de comandar o jogo, partir pra cima na saída de contra-ataque, tem um bom passe. É um jogador que realmente vai fazer falta. Temos que pensar, observar direitinho todas as possibilidades que nós temos e procurar montar a equipe para o próximo jogo.

O técnico do cruzmaltino fez críticas ao gramado do Estádio Mário Helênio ao responder sobre o fato de seu time ter sido pressionado pelo Tupi em alguns momentos da partida.

Jorginho – Pressionou, mas todas as vezes que a gente passava da primeira linha de pressão deles se tornava bem aberto, até mais fácil para a gente. A única coisa é que o campo é péssimo. Realmente o campo é muito ruim, atrapalhou toda a nossa forma de jogar, porque até você conseguir controlar a bola é muito difícil. O resultado passa a ser ruim principalmente por causa do nosso empate com o Sampaio Corrêa, porque se tivéssemos ganho aquele jogo, o resultado aqui é até razoavelmente bom, porque as equipes estão vindo aqui e estão tendo muita dificuldade de ganhar os jogos.

Os gols sofridos em jogadas similares aos sofridos contra o Santos, na última quarta-feira, pela Copa do Brasil deixaram o técnico em alerta.

Jorginho A gente tem que estar atento em relação a isso e cobrar, principalmente do campo. A gente falou que era um campo que não adiantava tocar de primeira, porque é muito ruim; você tinha que dominar e tocar. E não adiantava você correr com ela. Infelizmente aconteceu esse lance, mas a gente entende, claro. Ninguém quer errar, os jogadores estão fazendo o melhor, eles deram o coração para que a coisa acontecesse. Infelizmente não deu, mas a gente tem que ter atenção nessa saída de bola, principalmente num campo ruim como esse. Eles conseguiram abrir o placar. É uma coisa que a gente tem que estar corrigindo, o treinador é isso mesmo, eu estou ali, sou o responsável, sou o líder dessa equipe e tenho que ser cobrado.

(Nota da redação: o Toque de Bola consultou a administração do estádio e a Secretaria de Esporte e Lazer sobre as críticas do treinador Jorginho ao estado do gramado em Juiz de Fora.

Segue a resposta da Prefeitura:

  “O gramado do Estádio Radialista Mario Helênio, assim como o restante do equipamento esportivo, está em plenas condições de uso para competições oficiais de futebol. Tanto que clubes da série A do Campeonato Brasileiro como Flamengo, Botafogo e Fluminense (sendo este campeão no local)  já mandaram partidas no estádio este ano. O Botafogo inclusive tem elogiado as dependências do estádio onde obtêm um histórico positivo como mandante.
 Apesar do período de estiagem atual a Administração Municipal tem tomado medidas para que o Estádio Mario Helênio atenda as condições corretas para as competições profissionais de futebol.)

Martin: falta regularidade

Após o empate por 2 a 2 com o Tupi, o goleiro Martin Silva apontou os principais motivos do resultado.

– Está faltando um pouco de criação de oportunidade de gol. Não conseguimos segurar, hoje foi uma jogada isolada. Estamos tranquilos, pois temos uma vantagem, mas sofremos esse empate contra um time da parte de baixo da tabela. O mais preocupante não é o resultado, mas sim manter uma regularidade que a gente não está conseguindo.

Martin também apontou o que a equipe deve fazer para quebrar a série sem vitórias, que já dura quatro jogos. – Recuperar esse poderio ofensivo que a gente estava convertendo, mas temos que trabalhar, poupar um pouco, ter descanso, porque isso só se consegue trabalhando, não adianta falar. Nós queremos ver resultado.

 

Texto: Toque de Bola, com supervisão de Ivan Elias, do Toque de Bola

Foto: Vasco (Carlos Gregório)

O Toque de Bola é administrado pela www.mistoquentecomunicacao.com.br


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


21 ago 2017
Intercolegiais: Granbery e Escola Estadual Francisco Bernardino são campeões no Estádio Mário Helênio

21 ago 2017
Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador: resultados e próximos jogos

17 ago 2017
Juiz-forano Artur Bitarello confirma boa fase, vence XTerra em Mangaratiba e lidera na faixa 25-29 anos

16 ago 2017
Aílton vê “desrespeito” na atitude de jogadores do Mogi. Verba da Federação Paulista pode socorrer o clube

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.