09 jun 2016

Pesquisa Toque de Bola: só um jogador do Tupi atuou em todas as 7 partidas até o final pela Série B



Com a saída de Ricardo Drubscky e a chegada de Estevam Soares, o torcedor Carijó reza para que, enfim, as peças se encaixem e o time volte (ou comece) a produzir bons resultados. Entretanto, a vida do novo treinador não será nada fácil. Drubscky sequer conseguiu repetir a escalação inicial durante as sete primeiras rodadas da Série B, sofrendo seis derrotas.

O Toque de Bola apresenta um levantamento e analisa as escalações e mudanças no elenco. Encontramos algumas curiosidades que podem ajudar o novo técnico alvinegro a entender como tem jogado o time do Tupi na competição.

Formação carijó na estreia da Série B em 13 de maio, contra o Goiás: Toque de Bola fez levantamento do entra-e-sai de jogadores nas sete primeiras todadas

Formação carijó na estreia da Série B em 13 de maio, contra o Goiás: Toque de Bola fez levantamento do entra-e-sai de jogadores nas sete primeiras todadas

 

   Time titular?

A equipe titular do Galo, na Série B, nunca foi a mesma. Por opção do técnico, lesão ou suspensão, todas as posições do time tiveram jogadores alternados. Os goleiros se revezaram, assim como a dupla de zagueiros, os laterais, o ataque e, principalmente, os meias.

  O sobrevivente

Apenas um jogador resistiu às mudanças, cartões e lesões. Bruno Costa foi titular em todas as partidas do Tupi, até agora, e nunca foi substituído. Disciplinado, o camisa seis alvinegro ainda não foi advertido com cartão amarelo: feito difícil de ser alcançado por jogadores de defesa.

Bruno Costa no dia de sua apresentação oficial (Foto: Divulgação/Tupi)

Bruno Costa no dia de sua apresentação oficial (Foto: Divulgação/Tupi)

   Fome de gol

“Atacante vive de gols”. A frase tão clichê e repetida Brasil afora não parece ter efeito em Santa Terezinha. Giancarlo começou todas as partidas no time principal, mas balançou as redes apenas uma vez (derrota para o Joinville, em casa, por 2 a 1).

O centroavante titular do Tupi, junto a Bruno Costa, foram os dois únicos jogadores a começarem ‘entre os onze’ em todas as partidas. A diferença é que o atacante foi substituído em quatro ocasiões, se tornando aquele que mais vezes saiu de campo por opção do treinador.

 

   12º e 13º jogadores

Henrique, Marcos Serrato, Giancarlo e Bruno Costa são os únicos atletas que participaram de todas as partidas do Galo Carijó. Os dois primeiros, entretanto, começaram no banco de reservas em duas oportunidades e integraram o time titular nas outras cinco. Coincidência ou não, no único jogo em que Henrique e Serrato começaram como titulares e ambos não foram substituídos, o Tupi goleou o Paysandu por 5 a 1.

 

 Carta na manga

A maioria das equipes tem um trunfo para o segundo tempo. No caso do Tupi, essa carta na manga responde pelo nome de Michel. O atacante jamais começou uma partida entre os onze titulares, mas foi a campo em seis das sete partidas do clube na Série B. Mesmo tendo marcado apenas um gol, muitos pedem oportunidade para o jogador no grupo inicial.

 

  Quase 100% 

O capitão alvinegro, Jataí, jogou quase todas as partidas da Série B. O volante atuou em seis partidas como titular e, por ter acumulado três cartões amarelos, acabou ficando suspenso na quinta rodada. Ele precisou deixar a braçadeira de capitão e assistiu a derrota contra o Joinville da arquibancada. Quando jogou, foi substituído somente uma vez.

 

Alteração que acabaria sendo fundamental na goleada sobre o Paysandu: ainda durante o primeiro tempo, Tupi lança Vinícius Kiss na vaga de Formiga. Kiss marcou dois gols

Alteração que acabaria sendo fundamental na goleada sobre o Paysandu: ainda durante o primeiro tempo, Tupi lança Vinícius Kiss na vaga de Formiga. Kiss marcou dois gols

 

  Artilheiro e reserva

Depois de sete jogos, já parou para pensar em quem é o artilheiro do Tupi na Série B? Pode parecer estranho, mas aquele que mais balançou as redes foi Vinicius Kiss. O meia nunca foi titular e marcou apenas duas vezes na competição. Importante lembrar que o torcedor do Galo só pôde gritar ‘gol’ sete vezes desde o início do campeonato.

 

  A camisa um é do…

Para quem achava que na posição de goleiro não caberia mudanças, eis que surge mais uma dúvida. Rafael Santos fez grandes atuações e colocou uma pulga atrás da orelha do torcedor. Ele substituiu Glaysson em duas partidas e, mesmo com derrotas, foi elogiado por torcedores, mídia e comissão técnica.

Rafael tem 27 anos, jogou duas partidas e tomou dois gols (média de um gol por partida). Já Glaysson, apesar dos 37 anos, tem a simpatia da torcida. Ele participou de cinco jogos e tomou sete gols (média de 1,4 gols por partida).

 

  Agora é com você!

Se já aconteceram tantas mudanças é porque não deve ser fácil escolher os 11 titulares. E aí, torcedor? Qual seria o time ideal para você? Lembre-se que Thiaguinho, Sacilotto, Sidimar, Hiroshi e mais recentemente Formiga estão no departamento médico.

 

Texto e pesquisa: Cérix Ramon – Toque de Bola, com supervisão de Ivan Elias – Toque de Bola

Edição: Toque de Bola

Fotos: Arquivo Toque de Bola

O Toque de Bola é administrado pela www.mistoquentecomunicacao.com.br

 


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


22 jan 2018
Clínica com Zico no Maracanã une diferentes gerações em torno do sonho do futebol. Veja fotos

22 jan 2018
Tem de 10 a 16 anos e que jogar futebol? É levar a chuteira e conferir a agenda da semana na Faefid-UFJF

21 jan 2018
Virose no Carijó? Dirigente admite possibilidade, mas não quer usar como desculpa

19 jan 2018
Futebol do Baeta apresenta Comissão Técnica para Módulo 2 e admite que está atrasado

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse