29 mar 2016

Surian vibra com boa fase no Voltaço: “Se vencemos Fla e Flu, é porque somos competentes”



Felipe Surian vive um momento especial no comando do Volta Redonda. Classificado entre os oito clubes que disputam vaga na semifinal da Taça Guanabara, o treinador de apenas 34 anos formado em Santa Terezinha faz boa campanha, ocupa a vice-liderança (atrás somente do Vasco) e sonha em chegar às semifinais. O Voltaço está há dois anos sem perder no Raulino de Oliveira para os times de maior investimento (foram três jogos com duas vitórias e um empate) e invicto diante do seu torcedor neste Estadual. O trabalho do técnico começou em dezembro do ano passado.

Na campanha, além da classificação “entre os grandes”, destaque para uma vitória convincente logo na estreia, diante do Fluminense (3 a 1), e mais recentemente, no sábado, 26, triunfo sobre o Flamengo em partida com participação decisiva do técnico. Niltinho e Rafael Pernão, lançados no decorrer do segundo tempo, construíram a jogada do gol que decidiu a partida: 1 a 0.

Surian encerrou prematuramente a carreira de jogador aos 27 anos, em função de uma hérnia de disco, e viveu seu aprendizado atuando com diferentes treinadores do Tupi. “Desde 2009, trabalhei com todos. A gente aprende com todos, mas Leonardo Condé,  Ricardo Drubscky e Ademir Fonseca marcaram mais” (Condé está no Bragantino, na Série A-2 Paulista, Drubscky voltou ao Tupi e Ademir dirige a URT, de Patos de Minas).

Ele assumiu o Carijó de forma interina algumas vezes. Em 2013, foi efetivado como treinador, esteve na campanha que levou o clube mineiro ao acesso à Série C do Campeonato Brasileiro. Em 2014, treinou o Anápolis-GO e a Caldense, voltando ao Tupi para o Campeonato Mineiro. Antes de seguir para Volta Redonda, disputou a Série D pelo Villa Nova (MG).

Surian contou ao Toque de Bola mais detalhes sobre a formação do elenco, as vitórias sobre os grandes e as perspectivas do time no Estadual.

 

Felipe Surian vive bom momento no comando do Volta Redonda, bem colocado no Campeonato Estadual do Rio e com vitórias sobre a dupla Fla-Flu

Felipe Surian vive bom momento no comando do Volta Redonda, bem colocado no Campeonato Estadual do Rio e com vitórias sobre a dupla Fla-Flu

 

TB: Como surgiu a oportunidade de trabalhar no Volta Redonda? Quanto tempo ficou sem clube?

Surian: Já tínhamos feito um primeiro contato para a Série D, mas não se concretizou. Daí veio o convite para o Estadual do Rio. Fiquei dois meses sem clube. Tinha feito a Série D pelo Villa Nova (MG).

TB: A diretoria estipulou metas: classificação para segunda fase da Taça Guanabara ou para semifinais da Taça GB?

Surian: Sim. As metas foram estabelecidas no início da pré temporada. E as metas são chegar às semifinais.

TB: Como você encontrou o elenco e quais reforços indicou de alguma maneira especial?

Surian: O Zada foi quem contratou a equipe. Ele é o diretor de futebol e tem muito potencial. Já, já estará em um grande clube. Ex-zagueiro do Vasco, está há dois anos aqui e tem muito conhecimento. Competente e trabalhador. Indiquei somente dois atletas: Maílson (zagueiro, ex-Tupi) e Marcelo (volante).

Jogadores se abraçam na comemoração do gol da vitória do Voltaço sobre o Flamengo

Jogadores se abraçam na comemoração do gol da vitória do Voltaço sobre o Flamengo

 

  TB: O Volta Redonda venceu o Fluminense logo na primeira rodada. Até então podia ser atribuído à má fase que vivia o Fluminense ou um dia de sorte do Volta Redonda. Ocorre que agora, já na segunda fase, o Volta Redonda venceu também o Flamengo. Já pode se dizer que foi momento de afirmação do time e de seu trabalho?

Surian: No futebol, até para ter sorte precisa de competência. Vencemos por 3 a 1 o Flu e agora o Fla. Não é fácil vencer um grande, e se vencemos dois, é porque somos competentes.

  TB: Fale um pouco mais do resultado mais recente. Quando você colocou o Rafael Pernão no segundo tempo, foi uma aposta? Ele vinha treinando bem?

Surian: Pernão e Niltinho (também entrou no segundo tempo e fez a jogada do gol em conclusão de Pernão) foram estratégias que tive pois são velozes e o Fla iria cansar no final. Ele não foi aposta. É um grande atleta.

  TB: Você fez outras alterações, inclusive já nos instantes finais lançando o veterano Lopes “Tigrão” (ex-Palmeiras, com participação até em Taça Libertadores). Como é trabalhar com veteranos, situação comum entre as equipes fluminenses? Tem o Vinícius Pacheco e outros.

Surian: Ter jogadores experientes é sempre bom para conduzir os mais novos.

  TB: É difícil conter a euforia agora? Vice-líder e tendo derrotado o Flamengo? Por mais que o adversário esteja em momento difícil, é sempre uma façanha, pela diferença de orçamentos, superar uma equipe “grande”

Surian: Os jogadores estão cientes que ainda não terminou esta fase. Sem euforia, pois os jogos seguintes são difíceis.

 

Texto: Ivan Elias – Toque de Bola

Fotos: Divulgação e Ursula Nery – Agência FERJ

O Toque de Bola é administrado pela www.mistoquentecomunicacao.com.br


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


22 nov 2017
Basquete dos Intercolegiais: conheça todos os atletas campeões e veja as avaliações dos professores

22 nov 2017
JF Vôlei receita “foco e determinação” para buscar reação contra dois adversários diretos na pontuação

20 nov 2017
Com títulos e recordes, CRIA-UFJF brilha nos Jogos Escolares da Juventude

17 nov 2017
Rodrigo Rezende é 27º lugar no Mundial de Ginástica de Trampolim na Bulgária

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.