06 fev 2015

Jogo entre Caldense e Cruzeiro marca reencontro da “dupla de base” do Atlético, Marcelo Oliveira e Léo Condé



No domingo, 8, ocorre um interessante duelo no Campeonato Mineiro. Trata-se do encontro entre o atual campeão, Cruzeiro, contra a equipe do interior que surpreendeu na primeira rodada, a Caldense, de Poços de Caldas. Ambas as equipes são comandadas por técnicos mineiros e que já vivenciaram uma antiga parceria. Há quase dez anos, Marcelo Oliveira ainda mirava se firmar no degrau dos treinadores da categoria profissional, enquanto Leonardo Condé, atual técnico da Caldense, dava seus primeiros passos na profissão.

Com possibilidade de alcançar a 50ª vitória no novo Mineirão, justamente contra o time do sul de Minas, Marcelo Oliveira relembra o período em que trabalhou com Léo Condé e elogia o treinador adversário deste domingo: “Trabalhamos juntos no Atlético. Tive um relacionamento muito bom com o Léo nas divisões de base do clube. Naquela época, já o via como um técnico muito estudioso e aplicado nas suas funções. Fizemos uma integração produtiva entre o júnior e o juvenil, o que preparava bem os garotos para quando tivessem a oportunidade de subir de categoria. Fico feliz quando vejo um conterrâneo fazendo um bom trabalho. Acredito que o equilíbrio, a capacidade de gerenciar bem as questões do grupo, aliado ao diálogo e parceria são bons valores que estão sendo observados nos treinadores daqui, e creio que o Léo se encaixa nesse perfil”, disse o comandante do Cruzeiro.

Léo Condé, treinador do Tupi na Série C de 2014 e em outras oportunidades, iniciou a carreira bem cedo. Após comandar as categorias de base do América por cinco anos, chamou a atenção do Atlético e foi admitido como técnico do juvenil do clube, com apenas 28 anos. Lá, ele trabalhou em conjunto com Marcelo Oliveira, que comandava o júnior, entre 2006 e 2008. Nesse ano, assumiu a categoria júnior, após Marcelo se transferir para o CRB, de Alagoas. Condé acumulou vários títulos nos três anos em que trabalhou no Galo, como o Campeonato Mineiro juvenil (2006) e cinco títulos em torneios na Europa. Além disso, passaram pelas mãos do jovem técnico alguns jogadores como o lateral Chiquinho, o zagueiro Werley, o meia Giovanni Augusto e o atacante Kléber, que se tornaram revelações do clube alvinegro.

Na última passagem pelo Tupi, em 2014, Condé quase levou o time juizforano para a Série B do Brasileiro

Na última passagem pelo Tupi, em 2014, Condé quase levou o time juizforano para a Série B do Brasileiro

O treinador da Caldense também comentou sobre a época e exaltou o aprendizado que teve com o atual comandante do Cruzeiro. “Foi uma parceria muito boa, pois eu treinava o juvenil do Atlético, e o Marcelo comandava o júnior. Sempre trocávamos ideias sobre métodos de treinamentos, jogadores e outros assuntos importantes do futebol. Lembro-me que fui muito bem recebido na época, porque o Marcelo era o carro-chefe da base do clube, e eu estava ainda na fase inicial da profissão e conhecendo o Atlético. Foi um período de muito aprendizado e crescimento com ele. Depois, ele foi para o CRB, em uma parceria que foi feita na época, mas mantivemos o contato. Sou muito grato ao auxílio que ele deu à minha carreira e foi bacana ver o sucesso que conseguiu com o grande trabalho no Coritiba e Cruzeiro”, afirmou Condé.

De volta à Caldense, após uma campanha segura no Campeonato Mineiro do ano passado, Léo Condé viu sua equipe surpreender e fazer uma estreia memorável no último domingo. A ‘Veterana’ goleou o Mamoré por um sonoro 6 a 1 e, agora, tem o desafio de encarar o atual bicampeão brasileiro. O treinador comentou sobre o confronto: “O Cruzeiro é favorito, sem dúvida. Porém, no ano passado fizemos um bom jogo contra eles e conseguimos um empate. A ideia é tentar repetir o desempenho e não entrar em campo com postura de se apequenar. O adversário passa por uma fase de reformulação, e creio que possamos tirar proveito do desentrosamento para buscar um bom resultado, mesmo no Mineirão”, planejou.

Léo Condé vem de um bom retrospecto diante do Cruzeiro. No Campeonato Mineiro de 2010, ele venceu a Raposa quando treinava o Tupi, por 3 a 2. Em 2011, ainda no comando do Galo Carijó, empatou em 0 a 0. Já no ano passado, pela Caldense, houve novo empate em 0 a 0, na cidade de Poços de Caldas. O novo confronto acontece neste domingo, às 17h, no Mineirão, e será válido pela segunda rodada do estadual.

 

Títulos de Marcelo Oliveira no juniores do Atlético-MG:

Torneios na Holanda e Croácia – 2002 e 2003

Torneio Ennepetal (Alemanha) – 2005

Campeonato Mineiro – 2005 e 2006 (após 8 anos sem título)

Copa Integração – 2002, 2003 e 2007

 

Títulos de Leonardo Condé na base do Atlético-MG:

Campeonato Mineiro juvenil – 2006

Copa Integração juvenil – 2006

Torneio Gradisca juvenil (Itália) – 2006 e 2007

Torneio Terborg sub-20 (Holanda) – 2006 e 2008

Torneio Ennepetal sub-20 (Alemanha) – 2008

 

Texto enviado por assessoria

Foto: Arquivo Toque de Bola


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


19 jan 2018
Futebol do Baeta apresenta Comissão Técnica para Módulo 2 e admite que está atrasado

18 jan 2018
Próximo adversário do Tupi, Uberlândia perde em casa. Veja como começou o Estadual

18 jan 2018
Tem de 12 a 16 anos e quer jogar basquete? Sexta é dia de cesta! Olha esse convite da Faefid-UFJF

17 jan 2018
“Barraco” no Poço Rico! Eleições do Tupynambás viram caso de polícia

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse