26 set 2014

Romário dá razão a Sheik, lamenta vergonha do futebol brasileiro e aposta na lei de responsabilidade fiscal



Cansado, mas alerta. Assim o Toque de Bola encontrou Romário, na noite de quinta-feira, 25, na Estação São Pedro, em Juiz de Fora, um dos maiores – apesar do apelido de Baixinho – atacantes de todos os tempos do futebol mundial, hoje Deputado Federal e candidato ao senado pelo estado do Rio de Janeiro.

Convidado do também deputado federal Júlio Delgado, Romário estava visivelmente cansado, depois de uma longa peregrinação no mesmo dia – até o início da tarde em diversas localidades do estado fluminense e depois em Juiz de Fora, com direito até a um comício no bairro Santa Luzia.

Mesmo com a fisionomia demonstrando cansado, Romário atendeu a imprensa e em seguida recebeu uma homenagem de representantes de clubes e de futebol amador da cidade, antes de deixar o local.

O Toque de Bola fez duas perguntas a um atacante nas quatro linhas que promete continuar atuando como um atento marcador das mazelas dos dirigentes do futebol nacional.

 Toque: Sobre a sua atuação como deputado, e agora com a possibilidade de uma vaga no senado, como avalia o que pode ser feito especificamente pelo esporte brasileiro, daquilo que você pensava em fazer quando se candidatou:

Romário: Sobre esporte e futebol especificamente, está para ser votada no Congresso Nacional uma lei de responsabilidade fiscal, que resolve parcialmente um dos problemas dos clubes. Financeiramente ela resolve praticamente a vida de todos, porque os clubes que devem vão ter a oportunidade de pagar essa dívida mais ou menos em 300 meses e poderão organizar de novo sua saúde financeira. E também dará responsabilidade a alguns órgãos como a CBF, os próprios clubes e as federações. Acho que até o final do mandato essa lei já deverá ser votada, depois acredito que ela já vai para o senado. Hoje eu estou na luta para entrar para o senado, e espero poder continuar no senado, fazendo este trabalho fiscalizador e combativo que venho fazendo como deputado. E consequentemente novos projetos direcionados ao esporte em geral, e muitos relacionados ao futebol, já que eu vim do futebol, eu vou implementar em Brasília sempre em prol do beneficio, de uma melhora, porque o que nós estamos vendo aí no esporte em geral e principalmente no nosso futebol é muita gente enriquecendo rapidamente e muita gente sem conhecimento de administração, administrando órgãos direcionados e ligados diretamente ao esporte, principalmente ao futebol, o que não tem dado muito resultado. E a gente está sofrendo com isso, à gente está passando isso aí que a gente tem passado: vergonha com uma Copa do Mundo, fora de campo e principalmente dentro de campo.

Mesmo cansado, Romário conversou com o Toque de Bola e encontrou motivos para sorrir em Juiz de Fora

Mesmo cansado, Romário conversou com o Toque de Bola e encontrou motivos para sorrir em Juiz de Fora

 Toque: Você acredita que sua postura sempre crítica nos comentários, com o peso que você tem, pela sua carreira e depois como deputado, contribuiu para manter essa discussão, essa cobrança em relação aos dirigentes, para questionar os desmandos do futebol brasileiro? Tivemos recentemente o caso do Emerson, jogador do Botafogo, que declarou “A CBF é uma vergonha”…

Romário: Há quatro anos, quando eu fui pedir votos para os meus eleitores, eu passei para eles que eu seria a voz deles em alguns segmentos que fazem parte da minha vida: esporte, futebol, pessoas com deficiências e outros. E é isso que eu tenho feito e é isso que eu vou continuar fazendo no final deste mandato e, se Deus quiser, nos próximos anos como senador. É lógico que um político como eu, pelo que eu representei no esporte e pela credibilidade que eu tenho, minha voz ela ecoa, graças a Deus positivamente nestes segmentos. Em relação ao Emerson, eu não estou no dia a dia do Botafogo, não conheço o Emerson pessoalmente, mas o que posso afirmar é que ele tem 100% de razão. A CBF realmente é uma vergonha.

 


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


21 jan 2018
Virose no Carijó? Dirigente admite possibilidade, mas não quer usar como desculpa

19 jan 2018
Futebol do Baeta apresenta Comissão Técnica para Módulo 2 e admite que está atrasado

18 jan 2018
Próximo adversário do Tupi, Uberlândia perde em casa. Veja como começou o Estadual

18 jan 2018
Tem de 12 a 16 anos e quer jogar basquete? Sexta é dia de cesta! Olha esse convite da Faefid-UFJF

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse