18 maio 2014

Na raça! Com final emocionante e confusão, Tupi vira sobre o Caxias e chega ao G4



Gols no fim, confusões com a arbitragem, reclamações da torcida e uma virada em oito minutos. Em uma partida que contou com todos os ingredientes necessários para que o coração do torcedor carijó batesse mais forte, o Tupi venceu o Caxias por 2 a 1 neste sábado, 17,  no Mário Helênio, pela quarta rodada da Série C, pulando para a terceira colocação do Grupo B, com sete pontos. Os gaúchos abriram o placar aos 38 minutos do segundo tempo com o atacante Mailson, mas o Alvinegro de Santa Terezinha, na base da raça, conseguiu a virada com gols de Ewerton Maradona e Bruno Barros, aos 39 e 47 da etapa complementar.

Autor do gol que deu a vitória ao Tupi, após uma confusão dentro da área e indefinição do árbitro assistente, o lateral-esquerdo, Bruno Barros, comemorou o resultado e relatou sua versão do lance.

“Dei um toque e ela saiu do goleiro. Fiquei meio tímido para comemorar porque o Henrique, dentro do gol, tinha colocado o pé nela. Mas o mais importante é que o Tupi conseguiu os três pontos em uma vitória em que o time não se abateu, levamos o gol e rapidamente viramos com uma equipe organizada em campo. Lógico que fazer o gol é bom, mas o mais importante é que estamos no caminho certo”

O comandante carijó, Léo Condé, destacou a postura do Tupi no setor defensivo durante o primeiro tempo e o poder de superação no fim do jogo.

“A equipe não fez uma grande partida, mas de um modo geral, tivemos amplo domínio do jogo e, no momento em que estávamos bem próximos de fazer o gol, acabamos sofrendo. Mas a gente que conhece bem o Tupi, sabe que aqui é tudo sofrido, e conseguimos, com o poder de superação conseguimos o empate e até mesmo a virada. Analisando o jogo de uma forma geral, no primeiro tempo conseguimos defensivamente jogar bem, eles não tiveram nenhuma chance de gol praticamente, e a ideia era a de realizar uma transição rápida, com o Henrique na direita, o Maranhão na esquerda e o Maradona alimentando eles, mas não conseguimos encaixar bem, estávamos ansiosos, querendo fazer o gol de qualquer maneira. No segundo tempo, rodamos mais a bola e achamos espaços na defesa deles. A virada foi de suma importância para uma competição tão difícil e equilibrada como a Série C”, analisou Condé.

101_0235

Polícia Militar teve que cercar a arbitragem após o gol da virada carijó

O jogo

Mandante, o Carijó iniciou a partida com maior posse de bola, mas assim como o Caxias, pouco criou até os 15 minutos do primeiro tempo. O Tupi insistia em jogadas pela direita, com Henrique e os gaúchos tentavam levar perigo em jogadas de bola parada. Aos 15 minutos, Ewerton Maradona deu linda caneta no lateral Bebeto, mas demorou para fazer o cruzamento. O lance, no entanto, gerou aplausos do torcedor.

O Caxias chegou com perigo ao gol defendido por Rodrigo logo depois da jogada plástica do meia carijó. Em cobrança de falta pela direita, o zagueiro Tiago chegou finalizando de primeira e a bola passou rente a trave esquerda da meta juizforana. A resposta do Tupi veio em dose dupla, talvez aquecendo a reação no fim do jogo. Aos 19 minutos, Élder Santana recebeu belo cruzamento de Henrique e cabeceou para fora, assustando o goleiro Douglas. Logo depois, após confusão na área, Maradona chutou de primeira, da meia lua, mas o zagueiro gaúcho, em cima da linha, tirou o que seria o primeiro gol do Tupi.

Após os lances, o ritmo das equipes abaixou ainda na primeira etapa e o empate sem gols foi mantido até o intervalo de jogo. Mas o melhor estava para o fim. O segundo tempo começou com pressão Carijó. Logo no primeiro minuto, Toledo finalizou de fora da área e Douglas, atento, defendeu com segurança. Aos 5, Maradona tentou finalização de voleio, com estilo, mas a bola bateu no zagueiro e saiu pela linha de fundo. No escanteio, Wesley Ladeira cabeceou sobre o gol gaúcho.

O Tupi tinha maior posse de bola e comandava a partida, mas o Caxias ameaçava bons contra-ataques, principalmente com a dupla Mailson e Julio Madureira. Aos 17 minutos, Condé promoveu a primeira substituição juizforana. Núbio Flávio entrou no lugar de Maranhão. E entrou bem. Logo em seu primeiro lance, o atacante fez bela jogada pela direita, cruzou, a bola desviou no zagueiro do Caxias e, no rebote, Maguinho finalizou com perigo por cima do gol defendido por Douglas.

Aos 26 minutos, Bruno Barros entrou no lugar de Maguinho. Com a segunda troca na equipe, Henrique voltou para a lateral-direita e Raphael Toledo foi deslocado para o meio campo. Aos 30, a melhor chance da partida até o momento. Henrique recebeu bola em posição semelhante a que marcou o gol na vitória contra o Guaratinguetá e finalizou cruzado, forte. Douglas salvou o Caxias com defesa espetacular. Pouco depois, Condé realizou a última substituição: Oliveira entrou no lugar de Élder Santana.

O Carijó seguia com maior posse de bola e procurando atacar pelas laterais, mas justamente, através de um erro da defesa que possuia a bola, saiu o primeiro gol do jogo. Aos 38, Wesley Ladeira falhou, a bola foi rebatida e, no rebote, Mailson apareceu livre para finalizar para dentro das redes. 1 a 0 Caxias.

O torcedor juizforano, impaciente, já deixava o Estádio Mário Helênio, mas o melhor estava por vir. Sem sentir o gol sofrido, Núbio recebeu lançamento e escorou para Maradona que, de primeira, finalizou forte para empatar a partida. O torcedor, esperançoso, voltou aos seus lugares e empurrou a equipe. Pouco depois, começou a polêmica. Núbio recebeu lançamento e finalizou, chegando antes de Douglas. Na velocidade do lance, o goleiro se chocou com o atacante carijó, derrubando-o e levando todo o elenco juizforano e comissão técnica ao desespero, pedindo pênalti, não marcado.

Nos acréscimos, aos 47 minutos, foi levantada bola na área do Caxias e, após bate rebate, Bruno Barros tocou por último para o fundo das redes. Henrique, em posição duvidosa, chegou a tocar na bola, mas dentro do gol. O assistente chegou a levantar a bandeira, mas imediatamente correu em direção ao centro do campo, validando o gol. Os jogadores do Caxias perceberam a indecisão e partiram para cima da arbitragem. O gol acabou sendo validado e a partida, de virada histórica, terminou com final feliz para o Carijó: 2 a 1 Tupi.

Ficha técnica:

Tupi: Rodrigo; Maguinho (Bruno Barros), Wesley Ladeira, Raphael Toledo e Fabrício; Genalvo, Gustavo, Henrique e Ewerton Maradona; Maranhão (Núbio Flávio) e Élder Santana (Oliveira). Técnico: Léo Condé

S.E.R. Caxias: Douglas; Bebeto (Léo), Tiago, Léo Korte e Alisson Gaúcho; Baiano, Alisson, Bruninho (Rafael Carioca) e Wallacer; Julio Madureira (Tiago Santana) e Mailson. Técnico: Beto Campos

Cartões amarelos: Gustavo, Maguinho (Tupi), Maílson, Alisson Gaúcho, Léo (Caxias)

Gols: Caxias: Maílson (38min/2ºt), Tupi: Ewerton Maradona (39 min/2°t), Núbio Flávio (47 min/2ºt)

Público pagante: 1.121 pessoas

Público total: 1.585 pessoas

Renda: R$15.280,00

Texto: Bruno Kaehler

Fotos: Toque de Bola


Voltar

10 Respostas to “Na raça! Com final emocionante e confusão, Tupi vira sobre o Caxias e chega ao G4”

Deixe uma resposta

Notícias


19 out 2017
Oficial: Tupi informa que treinador Aílton Ferraz não fica no clube

19 out 2017
Copa Toque de Bola de Futsal: Academia destaca “movimento esportivo” gerado pela competição

19 out 2017
Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador: resultados e próximos jogos

18 out 2017
Faefid-UFJF recebe nota máxima em avaliação, foca em “atuar com pessoas” e vê trabalho dobrado

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.