03 dez 2013

Chiquita quer regularidade e vê obrigação em buscar 3 pontos fora



  Depois de uma semana complicada de treinos, devido aos desfalques por lesões, a UFJF não conseguiu superar o São Bernardo e foi derrotada por 3 a 2.  O pensamento agora se volta para a partida desta quarta-feira, 4, diante do Volta Redonda, às 20h, no Ginásio Ilha de São João, em Volta Redonda. O técnico Chiquita se mostrou irritado com irregularidade da equipe após a derrota e disse que a questão não é psicológica e que a equipe precisa aprender que o inicio do set é determinante na partida.

Se você já é nosso ouvinte, é convite renovado. Se ainda não é, a oportunidade é muito boa. Neste sábado, 7, Superliga Masculina de Vôlei ao vivo! UFJF x Canoas! A partir de 17h, ao vivo. Na rádio web do Toque de Bola.

Linkhttp://www.toquedebola.esp.br/wp-content/themes/portal-toque/nas-ondas-do-toque.html

“Não é psicológico”

 A Federal começou bem a partida, se impôs em quadra e conseguiu vencer o primeiro set. Dai em diante começou um apagão que durou os dois sets seguintes. Ao fim da partida, Chiquita reclamou dos inúmeros erros e destacou que um time que consegue muitas vezes buscar uma reação dentro do jogo não pode ter problemas psicológicos.

  “Saímos do primeiro set com a vitória relativamente tranquila, mas nós não podemos começar o segundo set da maneira como nós começamos, um branco total. Não pode ser psicológico uma situação em que você começa, sete, oitos pontos atrás aí você vai e recupera o jogo. O pessoal dá uma relaxada porque ganhou o primeiro set, mas o jogo é difícil, todos os jogos são difíceis. São jogos de pontos muito rápidos, então o início é muito importante. A minha equipe ainda não entendeu isso, faz um set maravilhoso o outro vai lá pro chão, pro fundo do poço. E hoje nós fizemos dois, o segundo e o terceiro abaixo do normal, na relação de passe e de saque. Quando nós estabilizamos o passe e paramos de errar besteira, nós fomos para o quarto set e ganhamos tranquilamente”, disse o treinador.

  O levantador Danilo Gelinski concordou que a queda de rendimento no segundo e terceiro sets foi decisiva para a derrota. Para ele é hora de esquecer essa partida e já pensar no Volta Redonda.

“Era um confronto direto, se a gente conseguisse os três pontos, abriríamos uma boa vantagem deles e dentro do G8, foi um jogo em que erramos  muito, principalmente no segundo e no terceiro set. A gente conseguiu buscar nos finais dos últimos sets, mas esses erros no início prejudicaram muito”, observa o capitão do time.

Sem interferência de arbitragem 

  A arbitragem mineira de Henrique Moreira de Toledo Salles e José Henrique Soares Ferreira foi bastante criticada por ambas as equipes. Durante todo o jogo, muita reclamação dos capitães dos times, que protestavam contra as marcações. Logo após a partida, Chiquita conversou com a arbitragem reclamando de algumas situações do jogo. Mesmo assim, o treinador da Federal fez questão de deixar claro que a má atuação dos árbitros não influenciou na vitória do time paulista.

  “Arbitragem muito fraca, não é nível de Superliga, mas não vou eximir a minha equipe com a qualidade que ela tem trabalhado por causa de arbitragem. A arbitragem errou, errou feio, são pagos para fazer isso aqui, tem que fazer a coisa direito, não podem errar o que estão errando, agora a minha equipe jogou abaixo, perdeu por isso, não por causa de arbitragem”, disse.

Obrigação de buscar três pontos

  A UFJF segue em oitavo lugar com oito pontos. Para continuar entre os oito que garantem vaga nos playoffs, o time precisa buscar a vitória fora de casa contra o Volta Redonda, que no sábado, 30, conseguiu seus primeiros três pontos na competição ao vencer o Funvic/Taubaté por 3 a 0. O técnico da Federal acredita que a equipe da casa vai vir com tudo, mas que a UFJF tem obrigação de buscar os três pontos.

“O time jogou fora, na casa do Taubaté, e vai jogar em casa, vai vir com tudo pra cima da gente. Nós temos que ser bem maduros, e encarar essa partida como de vida ou morte, no sentido de que ou a gente vai para frente ou estaciona no primeiro turno. No returno vamos jogar a maior parte das partidas fora, isso pode ser um diferencial negativo pra gente. Nós estamos devendo e temos a obrigação de ir para Volta Redonda e buscar os três pontos”.

Danilo Gelinski endossou o coro do técnico e disse que mesmo com a derrota sofrida para o São Bernardo, a equipe teve pontos positivos. “Agora é esquecer esse jogo e já pensar no Volta Redonda, que é outro confronto direto e muito importante. A gente tem que buscar esses três pontos lá que nós não conseguimos confirmar em casa e no outro sábado já tem outro jogo importante contra o Canoas, então é bola pra frente, porque mesmo com a derrota nós tivemos pontos positivos e vamos exaltar isso para poder vencer os jogos”, concluiu.

Texto: Mari Sequeto

Foto: Toque de Bola


Voltar

3 Respostas to “Chiquita quer regularidade e vê obrigação em buscar 3 pontos fora”

Deixe uma resposta

Notícias


23 out 2017
Primeiro árbitro de vídeo da Libertadores será brasileiro. Vangasse explica as 4 situações em que ele pode atuar

23 out 2017
Leozinho reaparece na seleção da rodada. Próximo adversário do JF Vôlei tem pedido de desculpas ao torcedor

23 out 2017
Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador: resultados e próximos jogos

19 out 2017
Oficial: Tupi informa que treinador Aílton Ferraz não fica no clube

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.