27 ago 2013

Federal perde duas vezes em casa para o Volta Redonda: 3 a 1 e 3 a 2



  A UFJF perdeu para Volta Redonda, nesta terça-feira, 27, na Arena UFJF, por 3 sets a 1 (Parciais: 21 x 18 / 23 x 25 / 21 x 19 / 21 x 18). Jogando um voleibol muito abaixo do apresentado nas outras partidas dentro de casa na pré-temporada, os comandados de Chiquita conheceram a terceira derrota em sete jogos.

  Nesta quarta-feira, 28, em jogo iniciado às 11h, a UFJF voltou a ser derrotada, desta vez por 3 sets a 2, para o time da Cidade do Aço. 

  Veja na fanpage do Toque de Bola como foi o andamento das duas partidas amistosas entre UFJF e Volta Redonda. Segue link:

https://www.facebook.com/toquedebola

O maior pontuador do jogo foi o oposto De Paula, da UFJF, com 17 pontos, seguido de Jônatas, de Volta Redonda, com 16, e Reffatti, da Federal, com 15 bolas confirmadas.

A série de quatro amistosos contra a equipe do Rio de Janeiro terminou nessa quarta-feira, 28, às 11h, novamente na Arena UFJF. A Federal venceu as duas partidas jogando fora de casa e perdeu as duas realizadas diante da torcida.

  A estreia pelo Campeonato Mineiro, na próxima sexta-feira, 30, em Juiz de Fora, com início às 19h, diante do Sada Cruzeiro, novamente com cobertura completa do Toque de Bola.

Veja também:

Vôlei-UFJF: dia de amistoso contra Volta Redonda. Siga no Toque

Jogo passivo

O time de Volta Redonda confirmou a participação na Superliga 2013/2014 de maneira tardia, após muita indefinição por conta de salários atrasados. Com isso, a equipe demorou para engrenar nos treinamentos e ainda conta com elenco reduzido, com 11 jogadores.

Após duas vitórias da UFJF jogando fora de casa, tudo levava a crer que o time de Juiz de Fora entraria em quadra como favorito para o confronto na Arena UFJF. Porém, o panorama do jogo foi bem diferente. Chiquita colocou a equipe considerada titular em quadra: levantador Gelinski, ponteiros Japa e Reffatti, centrais Lucão e Jardel, oposto De Paula e líbero Thales, que, desligados em quadra desde o início, não conseguiram encaixar as jogadas e com muitos erros de saque, perderam o primeiro set, por 21 a 18.

Chiquita trocou o levantador, colocando Rívoli no lugar de Gelinski. Mais equilibrada, mas com muita dificuldade na virada de bola, a UFJF não teve facilidade para empatar a partida. Em uma sequência de bons ataques do oposto De Paula, a Federal virou no fim do segundo set e fechou em 25 a 23, com um belíssimo ataque em diagonal do oposto.

Desperdiçando uma infinidade de oportunidades de contra-ataque, a Federal perdeu a oportunidade de se distanciar no terceiro set  e viu Volta Redonda fechar em 21 x 19, com muitas jogadas pelo meio-de-rede. Pecando na recepção, principalmente com os saques balanceados em cima do ponteiro Japa, o time de Juiz de Fora parecia sem vontade no quarto set e em um ataque do oposto Leozão, foi derrotada por 3 sets a 1.

Inaceitável

Durante todo o jogo, o treinador Chiquita mostrou irritação no banco, com os consecutivos erros da equipe e, principalmente, com a postura dos jogadores dentro de quadra. De acordo com Chiquita, as dificuldades aparecem dentro da partida, mas o modo como os jogadores reagiram foi inaceitável.

“A equipe foi passiva dentro de quadra. É um time experiente, um time de jogadores até esquentados, que não podem ter essa postura dentro de quadra. Falei com eles agora no vestiário, ao fim do jogo, que essa postura passiva, é inadmissível, ainda mais jogando em casa, onde você tem que honrar o público que vem, o pessoal que vem prestigiar, o trabalho que está sendo feito, toda a estrutura que está sendo montada aqui para nós, tem que comer o chão aqui. Não pode ser passivo a uma situação que a outra equipe está colocando. Tivemos dificuldades? Tivemos. Mas você se acomodar com isso, nunca. Comigo não dá, comigo não tem condição de ser assim”, declarou o treinador.

"Inadmissível"! Essa foi a avaliação do treinador Chiquita sobre postura da UFJF dentro de quadra. (Foto: Igor Rodrigues).

“Inadmissível”! Essa foi a avaliação do treinador Chiquita sobre postura da UFJF dentro de quadra. (Foto: Igor Rodrigues).

A diferença no placar ao fim da partida desta terça para os dois primeiros jogos contra Volta Redonda, segundo Chiquita, passa diretamente por essa passividade demonstrada pelos jogadores. Com muitos erros de fundamento, principalmente no ataque, a equipe não conseguiu se encontrar no jogo e não teve calma para mudar a situação dentro de quadra.

“A diferença  é simples. O time foi passivo hoje, se acomodou demais, em função do que aconteceu fora de casa, quando jogou bem em muitos momentos, mas mesmo assim oscilou. Hoje erramos demais, no saque, principalmente, que foi o fundamento que mais nos prejudicou durante a partida, não conseguimos quebrar em nenhum momento o passe adversário. Não tivemos paciência nos contra-ataques, quando produzimos algo. No primeiro set tivemos três oportunidades para abrir vantagem, mas a distribuição foi errada, o passe não foi bom. Jogamos totalmente dispersos”, explicou.

Procurado pelos sacadores durante todo o jogo, o ponteiro Japa, um dos destaques da equipe na temporada passada, não correspondeu na recepção. Com aproveitamento muito baixo, o jogador foi mencionado pelo treinador, que espera uma reação de Japa dentro do jogo.

“Pegaram o nosso melhor ponteiro de passe, que é o Japa. Vi ele aceitando muito essa situação de um sacador flutuante vindo para cima dele e ele  se encolhendo, coisa que não pode. A postura tem que ser outra. É um grande jogador, tecnicamente muito bom, fez uma campanha  muito boa temporada passada, agora, tem determinadas coisas que são pessoais. Não pode se encolher toda hora. A situação de passe do Japa chegou a 33% durante o jogo, o que é muito ruim. Entra o lado psicológico, foi se abatendo e se encolhendo. Amanhã será titular de novo, porque tem que jogar na pressão, tem que se acostumar a isso. É um grande passador, tem treinado bem, tem jogado bem, mas não pode ser assim”, comentou Chiquita.

Habituados à pressão

Com todos os problemas fora de quadra, com grupo ainda com número reduzido de jogadores e quase tendo ficado de fora da Superliga 2013/2014, Volta Redonda novamente passa por um processo de renovação da equipe, sob comando do treinador Alexandre Fadul, que levou o time ao sétimo lugar na tabela na temporada passada.

Para o treinador, os amistosos contra a UFJF são de extrema importância para dar ritmo de jogo para os atletas e fazer com que eles se conheçam e se entrosem o mais rápido possível.

“É um grupo novo, estamos remontando a equipe, assim como fizemos na temporada passada. Estamos no início de trabalho, perdemos muito tempo com esse imbróglio todo, com os problemas fora de quadra, que atrapalharam bastante nossa preparação. Estamos correndo atrás do prejuízo, esses jogos contra Juiz de Fora serão excelentes para começarmos a criar nossa identidade enquanto grupo, ainda estão se adaptando, falta ainda o entrosamento. O fato da equipe ser nova, estar se juntando agora, não nos assusta, pois já passamos por isso. Em função do resultado temporada passada, um sétimo lugar, eles se sentem na responsabilidade de manter um bom nível e continuar competitivo”, analisou Fadul.

Confirmado na Superliga, time de Volta Redonda corre contra o tempo para fechar o grupo. (Foto: Igor Rodrigues).

Confirmado na Superliga, time de Volta Redonda corre contra o tempo para fechar o grupo. (Foto: Igor Rodrigues).

Enquanto a maioria das equipes está insatisfeita com a indefinição do calendário da Superliga por parte da Confederação Brasileira de Vôlei, Volta Redonda pode se beneficiar do atraso no calendário, como disse Fadul.

“Nós estamos trabalhando com a data do dia 14 de setembro para o início da Superliga, mas se prorrogarem ainda mais essa data, é bom que a gente vai conseguir trabalhar um pouco mais (risos). Temporada passada tivemos a mesma dificuldade de quase não jogar às vésperas da competição. Estamos habituados à pressão, mesmo no momento de dificuldade ninguém abandonou Volta Redonda, então isso pode fortalecer isso grupo, que vai procurar vencer, que é continua sendo nosso objetivo”, finalizou.

Texto: Igor Rodrigues


Voltar

4 Respostas to “Federal perde duas vezes em casa para o Volta Redonda: 3 a 1 e 3 a 2”

  1. Jéssica Loures
    28/08/2013 às 1:54

    Atuação realmente apática.
    Me faço uma pergunta: vale a pena pagar o preço de vinte reais para assistir à partir, sem nenhum atrativo ao torcedor que comparece? Preços abussivos.
    Chiquita disse tudo, é inadmissível essa postura.

Deixe uma resposta

Notícias


14 dez 2017
JF Vôlei recebe Corinthians-Guarulhos pela última rodada do turno. Veja panorama completo da Superliga

13 dez 2017
Confira o ranking atualizado da Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador

11 dez 2017
Copa Zico Verão Juiz de Fora: resultados e galeria de fotos

09 dez 2017
Copa Zico Verão Juiz de Fora é atração no Centro de Futebol Zico. Com novidades extra-campo!

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse