18 jun 2012

Série D mais perto de começar que a C. Presidente da CBF promete solução



O presidente da CBF, José Maria Marín, publicou vídeo no site oficial da CBF prometendo uma solução legal em breve para o impasse que paralisa a Série C do Campeonato Brasileiro, em função de uma ação do Treze na Justiça comum. Ele criticou duramente a postura da agremiação e prometeu punições pesadas. A entidade tenta cassar a liminar que incluiu o clube da Paraíba, quinto colocado na Série D de 2011, na divisão superior. A Série D deste ano, contudo, está na iminência de ser iniciada.

O presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Rubens Approbato, só deverá receber nesta quarta-feira o pedido do Santo André para anulação do mandado de garantia emitido no dia 23 de maio, paralisando as duas competições em função do imbróglio judicial envolvendo cinco clubes. Destes, apenas dois permanecem com ações na Justiça comum, o Brasil de Pelotas e o Treze, e as liminares, no momento, só impedem a princípio o início da Série C. Os dois serão denunciados pela Procuradoria-geral do STJD. Approbato precisa também, para despachar a anulação do mandado, de uma manifestação favorável da CBF que, até a noite desta terça-feira, não foi entregue na secretaria do tribunal.

– Acho que se a CBF quer agilidade, eu deveria receber hoje (terça), mas até o momento nada chegou às minhas mãos – disse Approbato, por volta das 18h.

D primeiro que a C?

A CBF está discutindo se é possível iniciar a Série C por conta das ações do Treze-PB, mas é quase certo que a Série D possa começar de imediato. O Santo André, autor do mandado de garantia no STJD, que interrompeu as duas competições, entrará no início da tarde desta terça-feira com um pedido de anulação para que se possa iniciar o torneio. Tudo passará a depender de um despacho do presidente do Tribunal, Rubens Approbato, e de um parecer do procurador geral Paulo Schmidtt, que já se mostrou favorável à anulação do mandado.

– Não sei se será possível iniciar a Série C agora. Isto tem de ser melhor analisado. Mas creio que não há impedimento para a Série D. Tudo depende agora do Santo André entrar com um pedido e o Tribunal aprovar – afirmou Schmidt.

Já o diretor de futebol do Santo André, Sérgio do Prado, diz que o clube fará a parte que lhe compete.

– Vamos entrar com este pedido logo após o almoço, pois esta iniciativa de fato tem que ser nossa, já que o requerimento para a paralisação das competições no STJD foi feito pelo Santo André.

Já a Série C depende ainda de uma solução no caso do Treze-PB. Scmiddt já confirmou que denunciará Treze-PB e Brasil-RS, que insistiram em prosseguir na Justiça comum. Ainda está para acontecer um novo encontro entre a presidente da Federação Paraibana, Rosilene Gomes, e o presidente da CBF, José Maria Marin, possivelmente para comunicar o rompimento oficial com o Treze-PB.

(O texto acima foi publicado no site globoesporte.com atualizado às 13h54, nesta terça-feira, 19)

Capítulos de segunda-feira

A confusão para o início das competições das Séries C e D do Campeonato Brasileiro ganhou um novo capitulo na tarde desta segunda-feira, dia 18 de junho. Em reunião no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio de Janeiro, representantes de Rio Branco/AC e Araguaína/TO entraram em acordo com a CBF para retirar as ações em que obtiveram liminares na Justiça Comum. O único relutante foi o Treze/PB, que levará a conversa ao Conselho Deliberativo e, por enquanto, permanecerá com o processo, mas sob risco de punição pesada.

O procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt, foi o mediador da reunião e falou sobre o encontro e suas decisões. “O Araguaína e o Rio Branco irão retirar a ação, e o Treze, em princípio, permanece com a ação judicial. Nós vamos garantir imunidade de responsabilização aos clubes que retirarem a ação e o mesmo não vai acontecer aos que estão, por hora, descumprindo o regulamento e as normas internacionais”, explicou.

Portanto, apesar de Araguaína e Rio Branco terem garantido que irão retirar suas ações judiciais, ainda não há previsão para os jogos começarem, já que o Treze não aceitou o acordo. “Pela Justiça Comum, ele (o Treze) ainda está com a liminar. Não sei se ainda haveria cenário possível para já iniciar as competições de Séries C e D com essa pendência judicial a favor do Treze. Portanto, o que se pode dizer neste momento é o que o Treze é o único clube que está obstando, na via judicial, o início das Séries C e D”, explicou Paulo Schmitt.

Assim, Rio Branco e Araguaína se livraram de um possível julgamento na Justiça Desportiva. Já Treze e Brasil de Pelotas/RS – que, mesmo tendo a liminar negada pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, não desistirá da briga na Justiça Comum por uma vaga na Série C – devem entrar na pauta do STJD, com risco de serem punidos com multa de até R$ 100 mil. Além disso, podem sofrer sanções com bases nos estatutos da CBF e da Fifa.

“A Procuradoria promoverá essa responsabilização essa semana, através de ação disciplinar por violação ao artigo 191 do CBJD, sem prejuízo de recomendar à CBF a possibilidade de suspensão e aplicação de sansão que lhe couber, por dentro de seus estatutos, a esses clubes que permanecerem com as ações na Justiça Comum”, explicou o procurador.

Assim que a Procuradoria for comunicada oficialmente da retirada das ações por parte de Rio Branco e Araguaína – o que deve ocorrer até terça-feira –, ofertará denúncia aos outros clubes. Se eles voltarem atrás até lá, não haverá julgamentos e assim o imbróglio terminará e a CBF poderá autorizar o início das competições.

Bola rolando?

No início da noite, o site Futebol Interior divulgou que há possibilidade de a CBF anunciar o início das Séries C e D para o próximo final de semana. Isso poderia ocorrer nesta segunda ou terça-feira.

Veja, abaixo, o texto publicado no site:

Rio de Janeiro, RJ, 18 (AFI) – Após Araguaína e Rio Branco retirarem suas ações da Justiça Comum, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) deve já nesta segunda-feira confirmar as tabelas do Campeonato Brasileiro das Séries C e D. Jogos deverão ser marcados já para o próximo sábado e domingo.

Todos os jogos do Grupo B (do Tupi, regionalizado com clubes do Sul e Sudeste) deverão ser agendados, ao contrário do A (com os do Norte e Nordeste), que por conta da ação do Treze na Justiça Comum, não terá dois confrontos – do próprio Treze e Rio Branco. Na contramão do que vinha sendo especulado, as Divisões começarão da primeira rodada.

Se confirmada a tabela, a CBF estará “peitando” a decisão da Justiça, que hoje garante o clube paraibano na Terceira Divisão. Porém, por ter acionado o Poder Público, o Treze deverá ser punido, tanto com desfiliação ou gancho, como num valor de R$ 100mil/dia por insistir em querer algo que não é do seu direito.

Depois da reunião desta segunda-feira, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Brasil de Pelotas e Araguaína estarão na Série D; e Santo André e Rio Branco na Terceira Divisão. O Treze, que sequer conquistou vaga na Quarta Divisão devido à péssima campanha no Campeonato Paraibano, fechará as portas no segundo semestre, isso se não for desfiliado pela entidade máxima do futebol brasileiro.

Luís Fabiano: súmula “entrega” tudo

Outro destaque no portal do STJD é o relato da súmula xingamentos e ameaça de Luís Fabiano, do São Paulo, em São Paulo 1×0 Atlético Mineiro, neste domingo, 17, no Morumbi. Veja o texto:

A vida do atacante Luís Fabiano promete ficar difícil nos próximos dias. Sua expulsão durante o jogo deste último domingo, dia 17 de junho, diante do Atlético/MG, gerou uma série de críticas ao jogador, vindas de todos os lados, como da torcida, dos companheiros e da diretoria do São Paulo. Em cinco rodadas até aqui, Fabuloso jogou quatro partidas e tem cinco amarelos, dois deles resultados nesta expulsão do fim de semana. E o árbitro Elmo Resende não aliviou para Luís Fabiano na súmula, que provavelmente ainda vai terminar punido no STJD.

Luis Fabiano foi expulso já no fim da partida contra o Atlético/MG – na vitória por 1 a 0 no Morumbi, com um gol seu – por reclamar de uma falta de Ronaldinho Gaúcho em um companheiro de equipe. Confira em seguida o relato sobre o fato, na íntegra.

“Aos 40 minutos do 2° tempo, expulsei do campo de jogo, em decorrência do segundo cartão amarelo, o atleta Sr. Luis Fabiano Clemente, n°09 do São Paulo FC., por reclamado comigo dizendo as seguintes palavras: “PORRA, MARCA SÓ UMA SEU MERDA, TÁ INVENTANDO DESDE O INÍCIO, É MUITO FRACO”. Após o jogador receber o cartão vermelho, o mesmo continuou dizendo: “SEU FILHO…, VOCÊ É UM VIADO, DÁ VONTADE DE METER O SOCO NA SUA CARA, VAGABUNDO, TE ENCHER DE PANCADA”. Palavras estas ditas num tom de voz bastante elevado (gritado), sendo que os jogadores da equipe do São Paulo foram contar e retirar o jogador expulso, retirando-o de próximo de mim. Informo-vos ainda que o atleta em pauta já havia sido advertido com cartão amarelo em jogada anterior por ter calçado seu adversário”, escreveu Elmo Resende.

Com a expulsão, Luís Fabiano pode ser enquadrado em mais de um artigo do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), já que será levado a julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), como ocorre com todas as expulsões no Brasileirão.

Além disso, o presidente tricolor Juvenal Juvêncio já avisou que o clube também vai punir o atleta por tal conduta dentro de campo.

Informações: Portal Justiça Desportiva 

 

 

 


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


19 jan 2018
Futebol do Baeta apresenta Comissão Técnica para Módulo 2 e admite que está atrasado

18 jan 2018
Próximo adversário do Tupi, Uberlândia perde em casa. Veja como começou o Estadual

18 jan 2018
Tem de 12 a 16 anos e quer jogar basquete? Sexta é dia de cesta! Olha esse convite da Faefid-UFJF

17 jan 2018
“Barraco” no Poço Rico! Eleições do Tupynambás viram caso de polícia

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse