13 nov 2011

Um veterano nos braços do time e da torcida



Juiz de Fora (MG), 13 de novembro de 2011

O veterano atacante Ademilson segue em lua-de-mel com o torcedor carijó. O Cidadão Benemérito de Juiz de Fora marcou, aos 42 do primeiro tempo, o gol da vitória sobre o Santa Cruz.

Veja os detalhes da vitória sobre o Santa Cruz

Veja crônica da partida Tupi x Santa Cruz

Veja imagens e entrevistas especiais da campanha carijó.

Em final de carreira, o atacante vive fase iluminada, desde o início das fases de mata-mata, marcando cinco gols dos seis anotados pelo time contra o Anapolina, mais um sobre o Oeste, no jogo de volta (3 a 1) e agora este que dá ao alvinegro a vantagem de o Tupi empatar para ser campeão.

Quando  o blog tem a oportunidade de entrevistar ou conversar com Ademilson, algumas frases são recorrentes. Por exemplo: “Ademilson, no final do jogo contra o Anapolina, você ainda estava correndo, fazendo gols, de onde vem essa energia?” A resposta é: “Não só eu, mas todos os jogadores têm a obrigação de dar o máximo dentro de campo, eu mesmo acho que posso dar ainda mais”.

E as respostas seguem essa linha. São frases que se fossem ditas por outros atletas, principalmente alguns famosos, de grandes clubes, correriam o risco de soar falsas, como os tão contestados beijos em escudos diferentes. Mas ditas pelo atacante carijó? Não há como colocar em xeque.

O primeiro jogo das finais da Série D foi mais um capítulo desta longa lua de mel de Adê, como é chamado entre os companheiros, com a torcida alvinegra. Antes do jogo, quando o locutor do estádio anunciou a escalação dos jogadores, nome por nome, no momento em que Ademilson foi citado, o estádio “veio abaixo”. Do círculo central, ele levantou os braços em agradecimento, diante do maior público do Tupi na temporada – cerca de 15 mil torcedores – e um dos maiores públicos da história do Tupi no próprio Estádio Municipal Radialista Mário Helênio em seus 23 anos completados em 30 de outubro.

Começa o jogo, a marcação do Santa Cruz é forte. Ainda assim, em vários lances, ele consegue levar vantagem, mesmo bem menor que seus marcadores. Recebe, domina, se livra da marcação e faz o pivô, descortinando uma situação de ataque. Aparece na direita, se precisar está na esquerda, oferecendo uma opção de jogo, uma vez que Luciano Ratinho recebeu marcação ainda mais cerrada desde o início.

O torcedor nas arquibancadas gasta boa parte do tempo a se render ao guerreiro Ademilson. No lance do gol, numa das raras situações em que o Tupi achou um caminho menos congestionado, quando Assis domina em direção ao ataque, Adê se posiciona na marca do pênalti. A bola é passada para o lateral direito Marquinho, que muda de direção e parte em diagonal. Como ocorre em muitos treinamentos, Marquinho sabe que uma bola bem enfiada pode descobrir Adê de frente para o gol, e é o que ocorre.

Marquinho faz o passe, e enquanto os zagueiros do Santa Cruz tentam entender para quem é o lançamento, nesse intervalo Ademilson já correu, se deslocou e, sem impedimento, dispara forte diante do goleiro para marcar o gol da vitória. E tome mais homenagens nas arquibancadas. Os jogadores o carregam em direção a torcida. É uma fase iluminada.

Depois da partida, pés no chão. “O time deles mostrou qualidade, não tem nada ganho, mas vamos lutar muito lá pelo resultado”. Pronto. Está aí outra declaração que não deixa dúvidas. O ídolo carijó com certeza vai lutar muito, sim, no Mundão do Arruda, no próximo domingo, 20, valendo o título da Série D.

O treinador Ricardo Drubscky, pouco afeito a elogios individuais, sempre exaltando o grupo, foi questionado durante a entrevista coletiva sobre a incrível sintonia entre o atacante e a torcida, e não economizou na análise: “Ele merece. É dedicado, simples, humilde, já fez sete gols em quatro jogos de mata-mata, nunca se vangloriou disso, vocês acompanham isso no dia-a-dia, é um rapaz que merece, nos momentos finais da carreira está contribuindo demais para a equipe”.

Texto: Ivan Elias

 Foto: Fernando Barbosa


Voltar

Uma Resposta to “Um veterano nos braços do time e da torcida”

  1. Renato Berg/JFora-Mg
    14/11/2011 às 13:46

    Ademilson ” O Diamante Negro” pessoa simples, pura raça e sangue carijo!!jamais será esquecido pelo torcedores do tupi, pois é um atleta exemplar,como também o maior artilheiro do Estádio “Mario Helênio” c/ 27 gols.,onde um de seus gols podemos chamar de antológico marcado contra o Cruzeiro em 2010. (tupi 3 x 2 Cruzeiro)
    Parábens Ademilson !!! que vc continue a brilhar!!! trazendo grande alegria para todos nós….

Deixe uma resposta

Notícias


22 nov 2017
Basquete dos Intercolegiais: conheça todos os atletas campeões e veja as avaliações dos professores

22 nov 2017
JF Vôlei receita “foco e determinação” para buscar reação contra dois adversários diretos na pontuação

20 nov 2017
Com títulos e recordes, CRIA-UFJF brilha nos Jogos Escolares da Juventude

17 nov 2017
Rodrigo Rezende é 27º lugar no Mundial de Ginástica de Trampolim na Bulgária

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.