13 fev 2014

Ministério Público pede multa de R$ 56 milhões à CBF e indenização por ingressos e pay-per-view



  O Ministério Público de São Paulo – MPSP – anunciou na tarde desta quinta-feira por meio do promotor Roberto Senise Lisboa que protocolou uma ação civil pública pedindo à Justiça a anulação dos julgamentos do Supremo Tribunal de Justiça Desportiva – STJD – que determinaram a queda da Portuguesa à Série B do Campeonato Brasileiro, além do pagamento por parte da CBF de R$ 56 milhões e do dobro dos valores gastos pelos torcedores de Lusa e Flamengo em ingressos e em pacotes de pay-per-view de jogos do Brasileirão-2013.

Os dois clubes foram punidos com a perda de quatro pontos cada um na competição graças às escalações irregulares do meio campista Héverton, da Portuguesa e do lateral esquerdo André Santos, do Flamengo. Com a suspensão, o time paulista acabou relegado ao grupo dos quatro piores que são rebaixados.

Torcedores da Portuguesa

Torcedores da Portuguesa

O MP se baseia no Estatuto do Torcedor para afirmar que a CBF deveria ter publicado a decisão das suspensões dos atletas pelo Tribunal de Justiça Desportiva – TJD – em seu site oficial antes que fossem disputadas as partidas em que eles acabaram sendo escalados.

Sendo assim, o órgão público pede que a CBF seja obrigada a revisar a perda de pontos das duas equipes sob pena de multa diária de R$ 500 mil reais até o efetivo cumprimento da decisão e que a entidade revise todos os atos de organização e administração do Campeonato Brasileiro de 2014, de 2015, 2016 e 2017 levando em consideração a classificação do Brasileiro de 2013, sem a perda dos pontos de Lusa e Fla, sob a mesma pena de R$ 500 mil.

O pagamento da multa de R$ 56 milhões diz respeito à reparação de danos morais sofridos pelos torcedores pela “alteração ilegal da tabela da Série A” e corresponde à metade dos valores arrecadados por Portuguesa e Flamengo pelos direitos de transmissão do Brasileirão de 2012. Esse valor seria revertido para o fundo de direitos difusos, usado para proteção dos direitos dos consumidores – inclusive de práticas esportivas – e demais interesses difusos e coletivos, como interesses ambientais e urbanísticos.

Também por danos morais se justifica o pagamento do dobro dos valores gastos pelos torcedores de Lusa e Flamengo em ingressos e em pacotes de pay-per-view.

O promotor Roberto Senise acredita que entre dois a sete dias a Justiça emita uma decisão sobre o pedido do MP, obrigado ou não a CBF a restituir os pontos perdidos pelos clubes e a pagar os valores citados.

Ele citou o caso da Máfia do Apito do Campeonato Brasileiro de 2005, envolvendo jogos manipulados pelo árbitro Edilson Pereira de Carvalho, como exemplo de que como este novo episódio pode se arrastar. A CBF e a Federação Paulista de Futebol só foram condenadas a arcar com pagamentos de R$ 20 milhões e R$ 4 milhões, respectivamente, em 2013.

Ainda segundo o promotor, a Justiça pode determinar apenas a restituição dos pontos de Portuguesa e Flamengo, isentando a CBF do pagamento das multas. O inverso, contudo, não deve ocorrer.

Senise lembra que as investigações sobre as suspeitas de que alguém teria pagado a dirigentes da Portuguesa para que Héverton fosse escalado propositalmente de forma irregular continuam e não têm qualquer influência sobre a ação civil pública apresentada nesta quinta-feira.

Texto e informações: site da ESPN Brasil

Foto: Arquivo Toque de Bola


Voltar

Deixe uma resposta


Mais notícias



05 dez 2017

Tupi aparece em 46º lugar em ranking atualizado da CBF. Palmeiras e Cruzeiro empatados na liderança


01 dez 2017

Brasil pega Suíça, Costa Rica e Sérvia em primeira fase “cansativa” na Copa do Mundo. Veja tabela completa


20 out 2017

Partiu Rússia? Danilo Luiz, de Bicas, é novamente convocado para defender a seleção brasileira

Notícias


14 dez 2017

JF Vôlei recebe Corinthians-Guarulhos pela última rodada do turno. Veja panorama completo da Superliga


13 dez 2017

Confira o ranking atualizado da Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador


12 dez 2017

Sistema FIEMG inaugura Parque Aquático do SESI em Juiz de Fora


11 dez 2017

Henrique Furtado reforça Cruzeiro na Polônia e não dirige JF Vôlei contra Corinthians


+ notícias

Toque de Bola


O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.

Desenvolvimento




Acesse