26 jun 2011

Vitória emocionante, a primeira



O Cruzeiro venceu o Coritiba por 2 a 1 na noite deste sábado, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, pela 6ª rodada do Campeonato Brasileiro, e chegou aos seis pontos na competição. O meia argentino Walter Montillo fez os dois gols cruzeirenses, ambos no segundo tempo. A partida marcou a estreia do técnico Joel Santana no comando do Melhor Clube Brasileiro do Século XX. Com o resultado, o time estrelado subiu para o 14ª lugar, pelo menos até o complemento da rodada, neste domingo. O próximo compromisso do Cruzeiro será na próxima quarta-feira, contra o Vasco, às 19h30, em São Januário, no Rio de Janeiro-RJ, pela 7ª rodada do Nacional.

O jogo

O time cruzeirense começou impondo seu ritmo, não tomou conhecimento do adversário e foi para o ataque. A marcação sob pressão, treinada exaustivamente por Joel Santana durante a semana na Toca da Raposa II foi visivelmente notada. A primeira boa chance de gol aconteceu aos sete minutos. Wallyson recebeu na direita e arriscou um chute forte, mas mandou a bola por cima do gol. Aos 14min, Wallyson disparou pela direita e cruzou para a área. A defesa conseguiu fazer o corte antes de Montillo completar para o gol.

O Coritiba tocava mais a bola e, quando chegava ao ataque, diminuía o ritmo. O time estrelado continuava procurando o gol, e teve uma ou outra oportunidade, como em uma cobrança de falta de Montillo, quando a bola bateu na barreira e foi à linha de fundo; e em uma cobrança de escanteio, quando o árbitro marcou uma falta de ataque inexistente.

A equipe cruzeirense encontrava uma certa liberdade pelo lado direito do ataque, com Wallyson, que explorava as jogadas em velocidade e tentava os cruzamentos para a área. Com essa jogada, o Cruzeiro conseguiu algumas faltas por aquele setor. Do outro lado, o adversário não exigia muito do goleiro Fábio, que estava seguro e via a sua dupla de zaga, formada por Gil e Léo, fazer uma boa partida.

Aos 27min, o Coritiba asustou. Bill aproveitou um cruzamento rasteiro da direita, se esticou e desviou em direção ao gol, mas mandou a bola por cima do travessão de Fábio. Aos 37, Joel Santana foi obrigado a fazer a primeira mudança no Cruzeiro. Henrique, com dores no punho direito, deixou o gramado para a entrada de Dudu.

No minuto seguinte, a Raposa chegou novamente ao ataque pelo lado direito, desta vez com o argentino Montillo, que encheu o pé, mas mandou a bola à direita do gol de Edson Bastos. Aos 43min, Everton fez boa jogada individual e arriscou um chute. A bola desviou em Anselmo Ramon no meio do caminho e se perdeu à linha de fundo.

Aos 44min, o árbitro marcou uma falta de Léo em Bill, na entrada da área. O goleiro Fábio reclamou e recebeu cartão amarelo. Após a cobrança, a bola desviou na barreira e saiu. A arbitragem autorizou a cobrança de escanteio, mesmo esgotados o tempo regulamentar e o acréscimo. Após cruzamento, a defesa estrelada afastou e o time partia para um contra-ataque perigoso, mas o árbitro apitou o fim do primeiro tempo, para a reclamação dos cruzeirenses.

Segundo tempo

O Coritiba deu a saída de bola e se mandou para o ataque. O Cruzeiro respondeu e levou perigo. Ainda no primeiro minuto, Anselmo Ramon recebeu passe na entrada da área e finalizou para o gol, mas errou o alvo, e a bola foi por cima. O time estrelado voltou com a mesma equipe que terminou a primeira etapa, mas com uma mudança com relação ao posicionamento dos atletas. Diego Renan foi para a lateral direita, Marquinhos Paraná voltou ao meio-campo e Everton passou a atuar como lateral-esquerdo, formação que também foi treinada durante a semana na Toca II.

Aos seis minutos, Dudu fez jogada individual, invadiu a área do Coritiba e foi deslocado por Eltinho, que foi advertido com cartão amarelo. Pênalti. Montillo cobrou com categoria, mandou a bola para um lado e o goleiro Edson Bastos para o outro: 1 a 0.

O gol incendiou o Cruzeiro, que foi em busca do segundo, e novamente com o meia Dudu. O jovem cruzeirense avançou em velocidade pelo lado esquerdo e foi derrubado por Pereira, que recebeu cartão amarelo. Aos nove minutos, Wallyson recebeu pelo lado direito, já na área, e chutou cruzado. A bola subiu e passou por cima do gol, mas com muito perigo.

A equipe do Coritiba levou perigo ao gol de Fábio aos 14min. Marcos Aurélio cobrou falta e obrigou o camisa 1 cruzeirense a fazer uma grande defesa. Aos 24, Anselmo Ramon, do meio de campo, fez um belo lançamento para Montillo, que, na área, chutou cruzado, mas para fora. Foi a última jogada de Anselmo, que deu lugar a Brandão.

O time paranaense chegou com muito perigo aos 28min. Jonas invadiu a área pela direita e cruzou para Marcos Aurélio. O atacante se enrolou com a defesa e, mesmo caído, conseguiu finalizar, mas Fábio apareceu muito bem.

E quando o Cruzeiro pressionava, levou o gol de empate aos 34min, em um contra-ataque. Marcos Aurélio dominou bem um lançamento e, na cara de Fábio, finalizou com precisão. Mas a alegria do Coritiba durou pouco. Aos 39, Dudu recebeu na direita, como um lateral, e cruzou rasteiro, na medida para Montillo, na cara do gol, completar para a rede e fazer 2 a 1. Logo após o gol, Joel Santana mandou Leandro Guerreiro a campo, no lugar de Wallyson.. Depois, não houve tempo para mais nada, e o Cruzeiro comemorou sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro.

CRUZEIRO 2 x 1 CORITIBA

Motivo: 6ª rodada do Campeonato Brasileiro

Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas

Data: 25/06/2011 (sábado)

Árbitro: Fabrício Neves Correa (RS)

Público: 5.256 pagantes

Renda: R$ 90.733,75

Gols: Montillo, aos 7min; Leonardo, aos 34min e Montillo, aos 39min do segundo tempo

Cruzeiro: Fábio; Marquinhos Paraná, Gil, Léo e Diego Renan; Fabrício, Henrique (Dudu), Everton e Montillo; Wallyson (Leandro Guerreiro) e Anselmo Ramon (Brandão). Técnico: Joel Santana

Coritiba: Edson Bastos; Jonas, Emerson, Pereira e Eltinho; Willian, Léo Gago, Rafinha e Davi (Marcos Aurélio); Bill (Leonardo) e Everton Ribeiro (Everton Costa). Técnico: Marcelo Oliveira.

Cartões amarelos: Fábio e Diego Renan (Cruzeiro); Willian, Eltinho, Pereira e Everton Costa (Coritiba)

Joel: tantas emoções

Em um jogo bastante movimentado, o Cruzeiro conseguiu fazer 2 a 1 no Coritiba, na noite de sábado, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, e obter a sua primeira vitória em seis jogos neste Campeonato Brasileiro. A partida marcou a estreia do técnico Joel Santana, que valorizou bastante o triunfo, visto que ainda não completou nem uma semana que ele iniciou o seu trabalho no Clube.

“O importante hoje foi vencer. Tivemos altos e baixos em função da própria insegurança dos jogadores, e acima de tudo, eles estavam muito acelerados. A gente sabe que o Cruzeiro é uma equipe talentosa no toque de bola, mas eles não estavam conseguindo trocar passes. Mas, conseguiram fazer o resultado. Pelo menos a gente já começa a sair da zona de rebaixamento, que é o nosso primeiro objetivo. Depois vamos galgar um horizonte melhor. Vamos ver”, disse.

O treinador citou o cantor Roberto Carlos, ao brincar com a situação que os torcedores viveram na Arena do Jacaré, já que a partida foi bastante emocionante. Joel se referiu, mais precisamente, às chances de gol que o Cruzeiro ofereceu ao adversário.

“Parece até a música do Roberto Carlos, foram grandes emoções. Demos um contra-ataque… A equipe do Cruzeiro precisa entender que, quando se tem o resultado jogando dentro de casa, não pode dar esse tipo de situação ao adversário. Ninguém dá. Já deram no jogo contra o Santos, já deram no outro jogo em que botaram a vantagem (contra o América-MG), e deram de novo. Parecia que a coisa ia por água abaixo. Empate em casa é derrota. Mas nós tivemos, acima de tudo, a personalidade”.

A participação da Torcida foi bastante destacada pelo comandante estrelado, que comentou sobre o comportamento dos cruzeirenses na Arena do Jacaré. No momento mais difícil da partida, a Torcida, ao invés de vaiar, empurrou a equipe, e acabou premiada com a vitória sobre o Coritiba.

“Apesar de o nosso torcedor estar chateado, ele não vaiou, ele incentivou. E isso que foi importante. Naquele momento, quando a bola queima, o nervosismo vem, o aborrecimento vem. Mas o torcedor entendeu o nosso sacrifício e continuou ajudando, o que é o principal para nós. O torcedor é a razão de tudo. Essa foi uma vitória dividida, entre torcedor e jogadores, em função daquilo que aconteceu no jogo, diante de uma equipe muito bem armada e muito bem organizada. Vencemos, passamos. Vamos pensar agora no Vasco”..

Por fim, Joel Santana explicou a ‘matemática da vitória’ sobre o Coritiba. “Você não faz futebol em quatro dias. Mas, para um primeiro jogo, foi bom. Rendeu o que a gente esperava. Vamos dizer que rendemos 40% no primeiro tempo, com mais 60% no segundo, somando 100% que deram a vitória. Foi isso que aconteceu”.

Textos: site oficial do Cruzeiro


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


22 jan 2018
Clínica com Zico no Maracanã une diferentes gerações em torno do sonho do futebol. Veja fotos

22 jan 2018
Tem de 10 a 16 anos e que jogar futebol? É levar a chuteira e conferir a agenda da semana na Faefid-UFJF

21 jan 2018
Virose no Carijó? Dirigente admite possibilidade, mas não quer usar como desculpa

19 jan 2018
Futebol do Baeta apresenta Comissão Técnica para Módulo 2 e admite que está atrasado

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse